Helicóptero de combate a incêndios despenhou-se a perseguir incendiários

Nuno André Ferreira / Lusa

Helicóptero Kamov Ka-32A-11BC da frota da Protecção Civil no combate a um incêndio

O helicóptero que caiu na zona de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, em Agosto de 2015, estava em plena perseguição a dois alegados incendiários, concluiu o relatório do acidente com a aeronave que levava cinco tripulantes a bordo.

O relatório do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAAF) com as conclusões da análise às circunstâncias da queda do helicóptero foi divulgado nesta semana no site da entidade.

Já se sabia que a análise ao acidente que aconteceu a 8 de Agosto de 2015, perto do Lugar do Côto, no concelho de Arcos de Valdevez, determinou responsabilidades do piloto pela queda. E agora fica a saber-se que a tentativa de aterragem falhada se deveu à intenção de perseguir dois alegados incendiários.

O relatório refere que quando o helicóptero regressava do Centro de Meios Aéreos de Arcos de Valdevez, após completar uma missão de combate a incêndio, os cinco militares da GNR que iam na aeronave viram “dois homens” que acharam serem os responsáveis pelo fogo que ardia na zona.

Após uma “rápida conversa”, o piloto resolveu aterrar o helicóptero para se proceder à perseguição dos dois suspeitos.

“Na manobra de aproximação e aterragem, o piloto perdeu o controlo da aeronave, embatendo com intensidade no solo e causando danos estruturais significativos” ao helicóptero, sustenta o relatório, apontando que o condutor do veículo “não teve em consideração o facto de estar a aterrar na região de sotavento da montanha, que estaria a ser afectada por vento turbulento e rajadas descendentes“.

Assim, o GPIAAF conclui que foi “a ineficaz ou inexistente análise de risco por parte do piloto na execução da manobra de aproximação e aterragem não planeada” que causou o acidente.

O relatório também nota a fadiga do piloto como causa, realçando que o homem de 30 anos estava a trabalhar há oito horas seguidas, “seis delas como tempo de voo efectivo, não tendo feito paragem no período de almoço às 13h30, como previsto, dado que, após aterrar, teve indicações para descolar novamente para uma nova missão”.

“A reduzida performance do piloto é consistente com os efeitos de fadiga, limitando a habilidade deste para realizar uma análise adequada dos riscos”, constata o documento.

O acidente não teve consequências graves, além dos estragos no helicóptero, e só o piloto e um militar da GNR sofreram ferimentos ligeiros.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Tigre de um zoo de Nova Iorque testa positivo ao novo coronavírus

Um tigre do jardim zoológico do Bronx em Nova Iorque, nos Estados Unidos, testou positivo ao novo coronavírus, indicou no domingo a instituição. Em comunicado, o jardim zoológico detalha que o grande felino terá contraído o …

Mais de 100 mil trabalhadores independentes já pediram apoio do Governo

Mais de 100 mil trabalhadores independentes já se candidataram ao apoio extraordinário criado pelo Governo para fazer face à paragem total de atividade devido à pandemia de covid-19. Segundo o comunicado do Ministério do Trabalho, Solidariedade …

“Voltaremos a encontrar-nos”. Isabel II relembra a 2.ª Guerra Mundial e fala de um desafio "diferente"

A rainha Isabel II salientou este domingo, numa mensagem televisiva, que a pandemia Covid-19 é um desafio "diferente" de outros enfrentados pelo Reino Unido e exortou os britânicos a respeitar o confinamento. "Embora já tenhamos enfrentado …

CTT recuam. Não vão propor a distribuição de dividendos de 2019

O Conselho de Administração dos CTT - Correios de Portugal, SA informaram esta segunda-feira que já não vão propor à Assembleia Geral de Acionistas a distribuição de dividendos relativos ao exercício de 2019, como previsto, …

Há enfermeiros sem treino a trabalhar nos cuidados intensivos

A presidente do Sindicato de Todos os Enfermeiros Unidos (SITEU), Gorete Pimentel, denuncia que há enfermeiros sem treino a trabalhar em unidades de cuidados intensivos. "São necessários três a quatro meses para que um enfermeiro seja …

Ronaldo vai tornar-se o primeiro bilionário no mundo do futebol

Cristiano Ronaldo vai faturar cerca de 90 milhões de euros este ano. Isto faz com que o futebolista português atinja os mil milhões de euros em receitas durante a sua carreira. Embora Cristiano Ronaldo tenha sido …

Tribunais adiaram mais 50 mil diligências num mês

A pandemia de covid-19 obrigou os tribunais portugueses a adiar 2.445 diligências e a anular outras 28.957, escreve o jornal Público. Ao todo, foram desmarcadas 51.402 diligências, frisa o matutino na sua edição desta segunda-feira, …

311 mortes e uma subida de 4% nos casos confirmados em Portugal. Recuperados quase duplicaram

O número de mortes em Portugal relacionadas com a Covid-19 ultrapassou a barreira das 300, situando-se nas 311 vítimas, mais 16 do que no domingo. O número de recuperados também cresceu para 140. Os casos …

"Uma vergonha para o país". Morte de ucraniano leva a "mudanças profundas" no funcionamento do SEF

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse esta segunda-feira que vai haver “mudanças profundas no modelo de funcionamento do Centro de Instalação Temporária do SEF no aeroporto de Lisboa, na sequência do caso da …

City abre processo a Kyle Walker por festa com prostitutas durante quarentena

Kyle Walker, futebolista do Manchester City, viu o clube instaurar-lhe um processo disciplinar, depois de este ter, alegadamente, quebrado a obrigação de confinamento devido à COVID-19 numa festa com prostituas. “Os futebolistas são modelos a seguir …