Helicóptero de combate a incêndios despenhou-se a perseguir incendiários

Nuno André Ferreira / Lusa

Helicóptero Kamov Ka-32A-11BC da frota da Protecção Civil no combate a um incêndio

O helicóptero que caiu na zona de Arcos de Valdevez, distrito de Viana do Castelo, em Agosto de 2015, estava em plena perseguição a dois alegados incendiários, concluiu o relatório do acidente com a aeronave que levava cinco tripulantes a bordo.

O relatório do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves (GPIAAF) com as conclusões da análise às circunstâncias da queda do helicóptero foi divulgado nesta semana no site da entidade.

Já se sabia que a análise ao acidente que aconteceu a 8 de Agosto de 2015, perto do Lugar do Côto, no concelho de Arcos de Valdevez, determinou responsabilidades do piloto pela queda. E agora fica a saber-se que a tentativa de aterragem falhada se deveu à intenção de perseguir dois alegados incendiários.

O relatório refere que quando o helicóptero regressava do Centro de Meios Aéreos de Arcos de Valdevez, após completar uma missão de combate a incêndio, os cinco militares da GNR que iam na aeronave viram “dois homens” que acharam serem os responsáveis pelo fogo que ardia na zona.

Após uma “rápida conversa”, o piloto resolveu aterrar o helicóptero para se proceder à perseguição dos dois suspeitos.

“Na manobra de aproximação e aterragem, o piloto perdeu o controlo da aeronave, embatendo com intensidade no solo e causando danos estruturais significativos” ao helicóptero, sustenta o relatório, apontando que o condutor do veículo “não teve em consideração o facto de estar a aterrar na região de sotavento da montanha, que estaria a ser afectada por vento turbulento e rajadas descendentes“.

Assim, o GPIAAF conclui que foi “a ineficaz ou inexistente análise de risco por parte do piloto na execução da manobra de aproximação e aterragem não planeada” que causou o acidente.

O relatório também nota a fadiga do piloto como causa, realçando que o homem de 30 anos estava a trabalhar há oito horas seguidas, “seis delas como tempo de voo efectivo, não tendo feito paragem no período de almoço às 13h30, como previsto, dado que, após aterrar, teve indicações para descolar novamente para uma nova missão”.

“A reduzida performance do piloto é consistente com os efeitos de fadiga, limitando a habilidade deste para realizar uma análise adequada dos riscos”, constata o documento.

O acidente não teve consequências graves, além dos estragos no helicóptero, e só o piloto e um militar da GNR sofreram ferimentos ligeiros.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas reverteram principal sintoma da esquizofrenia em camundongos

Um medicamento que está atualmente a ser desenvolvido para tratar a leucemia reverteu (em camundongos) um sintoma de esquizofrenia anteriormente intratável: o enfraquecimento da memória de trabalho. A memória de trabalho é um processo cerebral fundamental usado …

Para as criaturas marinhas, as doenças infecciosas são a sentinela da mudança

Uma recente investigação analisou as mudanças nas doenças relatadas em espécies submarinas num período de 44 anos. A conclusão não surpreende: a saúde dos oceanos está a piorar a passos largos. A compreensão das tendências oceânicas …

Solidariedade e ambiente. Nos EUA, já é possível doar as suas peças Lego

Nunca somos demasiado velhos para brincar com peças Lego. No entanto, se estiver a ficar sem espaço para as arrumar e estiver à procura de uma forma de garantir que os seus blocos acabam em …

Eis os primeiros smartphones pensados e fabricados em África

https://vimeo.com/365789486 No Ruanda nasceram os primeiros rebentos do grupo Mara, que anunciou o lançamento dos seus dois primeiros smartphones. São os primeiros a serem totalmente fabricados em África. Estes são os dois primeiros smartphones totalmente fabricados em …

Siza Vieira recebe Grande Prémio da Academia de Belas-Artes francesa

O arquitecto Álvaro Siza Vieira recebeu o Grande Prémio de Arquitetura da Académie des Beaux-Arts, pelo conjunto do seu percurso, no valor de 35 mil euros. “É uma grande honra, porque é um prémio importante. É …

Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones. Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma …

Cientistas observaram pela primeira vez porcos a usar ferramentas

Uma equipa de cientistas registou pela primeira vez uma família de javalis das Visayas, num jardim zoológico em Paris, a usar paus para cavar e construir ninhos. Os porcos não gostam só de chafurdar na lama …

Transição verde: o mundo tem muito a aprender com uma pequena cidade na Islândia

Uma pequena cidade no norte da Islândia tornou-se quase neutra em dióxido de carbono (CO2). Uma equipa de cientistas viajou até ao país insular nórdico para descobrir como podemos aprender com esta cidade. Atualmente, as cidades …

Adolfo Mesquita Nunes não será candidato à liderança do CDS

Adolfo Mesquita Nunes anunciou este domingo que não será candidato à liderança do CDS. A garantia foi deixada pelo próprio, na sua página pessoal de Facebook, depois de ter sido desafiado por António Pires de …

Afastado desde a noite eleitoral, Rui Rio volta para lançar suspeitas sobre a RTP

Afastado dos holofotes desde a noite eleitoral e sem dizer se se vai recandidatar à liderança do PSD, Rui Rio recorreu ao Twitter para comentar as suas suspeitas sobre a RTP. O líder social-democrata recorreu às …