Há mais um erro nos exames nacionais. É na prova de Física e Química

Marcos Santos / USP

Nas questões sobre Química desta prova do 11.º ano apresenta-se um resultado de uma experiência que está errado. Iave garante que não terá impacto nos resultados dos alunos.

Foi uma professora que alertou o jornal Público na manhã de quarta-feira para o “erro científico” no enunciado do exame de Física e Química A da 2.ª fase, realizado na quinta-feira por cerca de 21 mil alunos.

O secretário-geral da Sociedade Portuguesa de Química (SPQ), Adelino Galvão, disse que o erro “não devia ter acontecido”, mas, como aconteceu, “nenhum aluno será prejudicado”.

Em causa está a questão 1.2 do grupo II que tem na base o relato de uma experiência química. Só que o resultado apresentado para esta experiência está errado, confirmou também Adelino Galvão. No enunciado afirma-se que “arrefecendo uma solução contendo iões [FeSCN]2+ (aq), observa-se que a cor vermelha da solução vai ficando menos intensa”. Ora o que acontece é exatamente o contrário. Ou seja, ao arrefecer esta solução, a cor vermelha vai ficando “mais intensa”.

Questionado sobre o caso, o Instituto de Avaliação Educativa (Iave) não reconhece explicitamente a existência do erro, optando antes por indicar que a pergunta em causa “descreve o resultado hipotético de uma atividade experimental” e que, deste modo, “a única interpretação possível é a que consta nos critérios de classificação” elaborados por este organismo para serem seguidos pelos professores classificadores.

Adelino Galvão refere que a SPQ já tinha alertado o Iave para esta questão, que teve “resposta em menos de 24 horas” com a confirmação de que o erro “não terá repercussão nos resultados”.

“Os exames são feitos por humanos e, por vezes, há erros. O que me preocupa mais neste caso é que este erro se possa propagar no futuro, já que os alunos treinam para exames com base nos enunciados de provas anteriores”, refere o secretário-geral da SPQ.

Mas o exame de Física e Química não foi o único exame com falhas. Na quarta-feira, foi noticiado que o exame de de Matemática Aplicada às Ciências Sociais (MACS), uma disciplina no currículo dos alunos de Línguas e Humanidades, continha um “erro grave” numa das questões feiras. O professor da Póvoa do Lanhoso que detetou o caso garantiu aquela questão, na forma como foi formulada, “não tem resposta”.

Já no exame de Português, pela primeira vez, foi pedido aos alunos que interpretassem um poema de Camões que não tinha sido lecionado nas aulas. Foi uma professora que alertou o Iave)do facto de o excerto – estâncias 26 a 29 do Canto VI – da obra Os Lusíadas, que saiu no exame nacional de Português da 2ª fase, não constar no programa.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. E Geografia na 1a fase? Foram detetados vários erros, comunicados ao IAVE que insiste no erro. A equipa de supervisão engana os professores classificadores com opiniões, para ter em conta, que não fazem qualquer sentido. Há questões mal formuladas, há critérios de classificação errados, há perguntas a que os critérios de classificação não dão resposta (e querem essa resposta por parte dos alunos), há cenários de resposta que não se enquadram na pergunta, entre outros. A juntar a tudo isto, anualmente, há critérios de classificação que são mantidos no segredo dos Deuses. O IAVE nunca altera a versão de trabalho dos CC para a versão final, opta por divulgar um documento interno onde corrige alguns dos problemas detetados, noutros insiste-se no erro. Para além dos erros não deverem existir a versão final dos CC deveria conter todas as alterações para que os alunos e família possam conscientemente optar, ou não, pelo pedido de reapreciação da prova.
    Os erros em questão foram comunicados nos fóruns de classificação, foi apresentada argumentação e a “equipa do IAVE” limita-se a responder: a resposta certa é a X, sem qualquer tipo de fundamentação. Foram ainda comunicados diretamente ao IAVE na avaliação que se faz do processo de classificação. O IAVE nunca reage a esta avaliação, não sei sequer se é tida em consideração. Não é dado qualquer feedback aos classificadores.

  2. Do grupo de porofessores responsáveis pelo teste, ficava de fora um “ou dois”, para resolver o teste.
    Será que ele dava pelo erro?
    Se não desse pelo erro, deixava de dar aulas.

RESPONDER

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …

Há mais pessoas em quarentena do que vivas durante a 2ª Guerra Mundial

Um terço da população mundial - 2,6 mil milhões de pessoas - está em quarentena. São mais seres humanos em isolamento do que aqueles que estavam vivos para testemunhar a 2ª Guerra Mundial. Na terça-feira, o …

Biblioteca virtual no Minecraft dá voz a jornalistas censurados de todo o mundo

Enquanto governos de todo o mundo reprimem a liberdade jornalística e censuram a sua imprensa nacional, a Reporters Without Borders está a trabalhar para chegar ao público através de um canal improvável: uma enorme biblioteca …

Há mais 19 mortos em Portugal. Número de casos confirmados perto dos 6.000

Portugal registou, este domingo, mais 19 mortes devido ao surto de covid-19. O número de casos confirmados é de 5.962, mais 792 em relação aos números de sábado. A Direção-Geral de Saúde revelou este domingo o …

Criança de 14 anos morre com covid-19 no Hospital da Feira

Uma criança de 14 anos morreu, este domingo, no Hospital de São Sebastião, na Feira, vítima de covid-19. Sofria de psoríase, doença que pode debilitar o sistema imunitário. O rapaz era morador em Ovar e tinha …

A Estação Matternet é um "portal seguro de drones" para hospitais

O sistema é simples: a equipa médica do hospital coloca as amostras que precisam de ser testadas no interior da estação, e esta encarrega-se automaticamente de as colocar num drone. Depois, o topo da torre …

Espanha atinge recorde: Morreram 838 pessoas nas últimas 24 horas

Espanha registou, nas últimas 24 horas, 838 mortos com o novo coronavírus, voltando a aumentar o número de falecidos num só dia e elevando o balanço total para 6.528, de acordo com a última atualização …