Há famílias norte-americanas a lutar para comprar um bem essencial (menosprezado por muitos)

Meses depois do início da crise pandémica, há várias famílias norte-americanas a lutar para pagar as contas de energia. Durante as ondas de calor, que podem mesmo ser mortais para idosos ou crianças, esta é uma grande preocupação.

Sanya Carley e David Konisky, professores na Universidade do Indiana, nos Estados Unidos, realizaram uma investigação na qual constataram que 13% dos inquiridos não conseguiram pagar uma fatura energética no mês anterior. Além disso, 9% receberam um aviso de corte e 4% tiveram o seu serviço interrompido.

Segundo o The Conversation, mais de metade dos estados norte-americanos proibiu temporariamente as concessionárias de interromper o fornecimento de energia, mas, se extrapolarmos os resultados, significa que aproximadamente 800.000 famílias de baixo rendimento tiveram cortes na eletricidade.

O problema pode piorar à medida que a economia se afunda. Quando as famílias não se podem dar ao luxo de manter as luzes acesas, aquecer ou arrefecer as suas casas, elas sofrem física e mentalmente. Os riscos incluem exposição à humidade e mofo; práticas perigosas, como o uso de fogões para aquecer o ambiente; e stress, ansiedade e depressão.

Antes de 2020, previa-se que a insegurança energética piorasse devido ao aumento dos custos da energia, juntamente com ondas de calor mais frequentes e períodos de frio devido às mudanças climáticas. Agora, a pandemia de covid-19 apresenta um desafio sem precedentes.

Há, ainda, muitas famílias que lidam com a realidade do desemprego, também potenciado pela crise sanitária. Para essas pessoas, o problema ganha outra dimensão, já que têm, muitas vezes, de escolher entre cobrir os custos de energia ou outras despesas.

Os professores universitários defendem que os Governos e as organizações – públicas, privadas e sem fins lucrativos – podem ajudar financeiramente as famílias vulneráveis ​​e pequenas empresas, através, por exemplo, da expansão do Low-Income Home Energy Assistance Program, ou LIHEAP.

Na ótica de Carley e Konisky, os Governos também devem considerar aumentar o financiamento do Programa de Assistência à Climatização do Departamento de Energia. Este programa representa uma solução de longo prazo que pode ajudar as famílias de baixo rendimento a economizar dinheiro com contas de energia, reparando e atualizando os principais componentes.

Reconhecer que a energia é uma necessidade humana, básica e essencial é o primeiro passo, rematam.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O Bosão de Higgs foi apanhado a fazer algo inesperado

Uma equipa de cientistas do Laboratório Europeu de Física de Partículas (CERN) observou o Bosão de Higgs, a fazer algo inesperado: à medida que caía, esta parecia decompor-se numa combinação inesperada de partículas. De acordo com …

Feitos de estrelas. Os nossos ossos são compostos por estrelas que explodiram

Uma nova investigação concluiu que metade do cálcio do nosso Universo é oriundo de uma supernova rica em cálcio, que explodiu há milhões de anos. O novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista …

"Monarquia criminosa". Parlamento declara Catalunha republicana e não reconhece o rei

O Parlamento catalão aprovou esta sexta-feira uma resolução na qual declara que “a Catalunha é republicana e, portanto, não reconhece nem quer ter um rei”, rotulando a monarquia de “criminosa”. A resolução foi aprovada em sessão …

Novo método deteta metais tóxicos em alimentos e água em apenas algumas horas

Uma equipa de cientistas da Universidade de Joanesburgo, na África do Sul, desenvolveu um método sensível para detetar níveis perigosos de metais pesados em alguns alimentos e água. Os vestígios de metais como chumbo (Pb), arsénico …

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados a rebatizar dezenas de genes humanos. A culpa é do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é mais parecida com um fogo florestal do que com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …