Há 17 anos que Marte não estava tão perto (e só em 2035 voltará a estar)

Esta semana, e durante o mês de outubro, o planeta vermelho será mais visível a partir da Terra e está agora a brilhar intensamente. Há uns dias, Marte esteve mais perto da Terra do que nos últimos 17 anos, e do que estará nos próximos 15.

Não é novidade que Marte seja visível a partir da Terra. Mas durante o mês de outubro, o segundo menor planeta do sistema solar atingirá o seu ponto mais alto no céu todos os dias por volta da meia-noite – aparecerá todas as noites no céu de leste e brilhará a oeste ao amanhecer.

De acordo com a CNN, Marte encontra-se, neste momento, um pouco a norte do equador celeste, o que significa que está quase perfeitamente posicionado para ser visto de ambos os hemisférios. Além disso, encontra-se numa região do céu que não tem estrelas brilhantes, o que o tornará inconfundível.

Este período de excelente visibilidade coincide com um evento chamado “Oposição de Marte”, que acontece a cada dois anos, quando a Terra se encontra entre Marte e o Sol.

Segundo a NASA, este evento acontecerá na terça-feira, dia 13 de outubro, quando os três corpos celestes estiverem perfeitamente alinhados. Visto da Terra, Marte aparecerá numa posição completamente oposta à do Sol, razão pela qual os astrónomos dizem que está em ‘oposição’.

Nem Marte nem a Terra orbitam o Sol em círculos perfeitos e também não o fazem no mesmo plano. Ambos os planetas têm órbitas elípticas em forma de oval – a Terra demora 365 dias para completar uma volta ao Sol e Marte precisa de 687 dias -, o que significa que quando a Terra se aproxima do Sol, Marte se afasta do mesmo.

Neste mês, a sua proximidade ao Sol vai permitir uma iluminação quase frontal do planeta vermelho, com a luz solar a fazer com que o seu lindo brilho laranja-avermelhado seja superior.

Os dias em torno da oposição são, também, aqueles em que as órbitas de Marte e da Terra estão mais próximas uma da outra.

O planeta vermelho esteve a “apenas” 62 milhões de quilómetros de distância da Terra, às 15h18 do dia 6 de outubro (hora de Portugal). Em 2003, o planeta fez a sua maior aproximação à Terra em 60 mil anos, chegando a uma distância de 56 milhões de quilómetros, mas não voltará a estar tão perto do nosso planeta até 2035.

Neste momento, o robô Perseverance da NASA está a voar pelo espaço e irá pousar em Marte em fevereiro de 2021. A missão Marte 2020 da NASA é uma das várias missões a caminho de Marte, incluindo a sonda Hope dos Emirados Árabes Unidos e a Tianwen-1 da China. O Perserverance foi lançado no dia 30 de julho, numa fase que permitia uma viagem mais rápida entre a Terra e Marte.

 

Também se poderá observar Júpiter e Saturno

Além de Marte, outros planetas iluminarão o céu durante este mês. Segundo a EarthSky, assim que Marte desaparecer de vista, Júpiter será um dos objetos mais brilhantes no céu noturno e Saturno aparecerá ao lado dele.

Este raro acontecimento deve-se à conjunção de Júpiter e Saturno, que acontece por causa da proximidade entre os dois planetas gigantes e ocorre no dia 21 de dezembro – a última vez foi há 20 anos.

Apesar de Júpiter ofuscar as estrelas e Saturno emitir um brilho dourado, em 2000 foi difícil observá-los, devido à sua proximidade ao Sol.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Aglomerado de safiras estrela encontrado no Sri Lanka pode ser o maior do mundo

Um aglomerado de safiras estrela do mundo foi encontrado num quintal no Sri Lanka. A pedra é azul, pesa 510 quilos e estima-se que valha cerca de 84 milhões de euros. A pedra foi encontrada …

Médico sírio acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade

Um médico sírio foi acusado na Alemanha de crimes contra a humanidade por supostamente torturar e matar pessoas em hospitais militares no seu país de origem, informaram os promotores na quarta-feira. O Ministério Público Federal de …

Justiça climática. Vamos todos sofrer com as alterações climáticas, mas não de forma igual

A recente onda de calor na América do Norte é mais um exemplo de que apesar de ser um problema global, as alterações climáticas não vão afectar todos igualmente e podem exacerbar injustiças sociais e …

Os exemplos que Portugal deve seguir (e evitar) nas últimas etapas da pandemia

No plano apresentado pela equipa de Raquel Duarte comparam-se as estratégias opostas adotadas por Israel e Reino Unido, com a segunda a merecer nota negativa por parte dos investigadores. Os dados foram lançados na reunião que …

Jogos da Taça da Liga de sábado adiados para domingo para poderem ter público

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) anunciou, esta quinta-feira, que os jogos da Taça da Liga agendados para sábado vão ser adiados para domingo, para que possam ter público nas bancadas. "A Liga, …

Dinamarca enfrenta acção legal por querer repatriar refugiados sírios

O governo dinamarquês quer repatriar sírios naturais de Damasco depois de um relatório mostrar que há zonas da Síria onde a segurança melhorou. A decisão está a ser criticada por activistas e o caso pode …

Pela primeira vez, foi observada luz por detrás de um buraco negro

Um estudo divulgado esta quarta-feira revelou a primeira observação direta da luz por detrás de um buraco negro, através da deteção de pequenos sinais luminosos de raios-X, confirmando a Teoria da Relatividade Geral, de Einstein. Segundo …

Cheias atingem campos no Bangladesh. Pelo menos seis refugiados Rohingya mortos

Pelo menos seis refugiados Rohingya morreram após as cheias inundarem os campos de refugiados em Bangladesh nos últimos dias, destruindo os abrigos de bambu e plástico e deixando pelo menos 5.000 desabrigados, informou o Alto-comissariado …

Defesa de Salgado alega diagnóstico preliminar de Alzheimer do ex-banqueiro

A defesa do antigo presidente do BES, que está a ser julgado por três crimes de abuso de confiança no âmbito da Operação Marquês, pediu ao tribunal uma perícia médica devido ao seu diagnóstico preliminar …

Três norte-americanos emitem carbono suficiente para matar uma pessoa, revela estudo

O estilo de vida de três norte-americanos leva a uma emissão de carbono suficiente para matar uma pessoa, revelou um novo artigo, concluindo ainda que as emissões de uma única usina a carvão podem causar …