Guterres quis vender residência oficial para superar crise da ONU. Mas não o deixaram

O secretário-geral da ONU admitiu que queria vender a residência oficial, que custa dezenas de milhões de dólares, para ajudar a organização a ultrapassar uma grave crise orçamental. Mas, pelos vistos, a venda não é possível.

António Guterres admitiu, esta terça-feira, a membros de uma comissão do orçamento da ONU que, quando chegou a secretário-geral, considerou seriamente vender a sua residência oficial para ajudar a organização a ultrapassar uma grave crise orçamental.

“A primeira coisa que fiz quando cheguei foi perguntar se poderia vender a casa. Não estou a brincar, é uma história verdadeira”, disse Guterres aos diplomatas, que assumiu o cargo em janeiro de 2017.

A ONU, então, enfrentava um buraco orçamental de 1,5 mil milhões de dólares, cerca de 1,3 mil milhões de euros, nas suas operações de manutenção da paz, bem como outro de 492 milhões de dólares no seu orçamento ordinário devido a projetos de lei por pagar pelos Estados membros.

A residência oficial do secretário-geral da ONU é uma casa de quatro andares com jardim, com vista para East River, em Manhattan, Nova Iorque, nos Estados Unidos. A residência foi oferecida à organização por um bilionário, em 1972, e seu valor é estimado em várias dezenas de milhões de dólares.

Contudo, Guterres disse que descobriu rapidamente que os acordos entre as Nações Unidas e os EUA, anfitriões da organização, não lhe permitiam vender a propriedade.

O português tinha a noção que as finanças da ONU estavam num estado “crítico” e que a organização na iminência de ter sérios problemas de fluxo de caixa até o final do ano, mesmo com a suposição otimista de que todos os Estados membros pagassem as suas contribuições integral e pontualmente.

Já no ano passado, o secretário-geral tinha alertado que a organização está a ficar sem dinheiro e, através de uma carta enviada aos embaixadores, convocou os Estados membros a pagarem o que devem o mais rápido possível.

Entre os países devedores estão os EUA, responsáveis por 22% do orçamento (mas que pagam mais tarde devido ao seu calendário fiscal próprio), a Argentina, a Venezuela, a Síria e a Bielorrússia. As dívidas à ONU podem ser punidas com perda de direito de voto.

Guterres foi aclamado secretário-geral da ONU em outubro de 2016, sucedendo ao sul-coreano, Ban Ki-moon, que, no seu discurso de despedida, elogiou o “espírito de servir” do ex-primeiro-ministro português, “conhecido por todos” na organização.

Antes de liderar a ONU, num mandato que termina a 31 de dezembro de 2021, Guterres esteve dez anos à frente da Agência da Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Iémen irá enfrentar a pior fome já vista nas últimas décadas. Guterres implora por generosidade

De acordo com a ONU, a situação humanitária no Iémen é muito grave e o país irá enfrentar a pior fome à qual o mundo já assistiu. Esta situação pode ser revertida se os seus …

"Um erro histórico". Tratado assinado em Portugal incentiva aquecimento global

Um tratado assinado em Lisboa concede um grande poder às empresas de energia para processar os Estados caso se sintam prejudicadas por políticas climáticas. O Tratado da Carta da Energia (TCE) é um acordo internacional assinado …

Jornalistas estrangeiros denunciam "declínio da liberdade" na China

A China utilizou as medidas para controlar o coronavírus, a intimidação e restrições de visto para limitar a cobertura jornalística estrangeira em 2020, dando início a um "rápido declínio da liberdade na media", denunciou o …

Sindicato dos chefes da PSP interpôs ação judicial por causa da pré-aposentação

O Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP indicou este domingo que interpôs uma ação judicial para impugnar um despacho da direção nacional da Polícia Segurança Pública sobre a lista de pedidos da passagem …

"A agricultura em Montalegre vai acabar". Praga de javalis destrói culturas

Os agricultores do concelho de Montalegre andam desesperados com o facto dos javalis andarem a destruir as culturas. A população destes animais tem aumentado muito nos últimos anos e as medidas de controlo têm sido …

50 mil euros. Governo cria prémio nacional para proteger florestas

No próximo Conselho de Ministros, na quinta-feira, o Governo vai discutir um prémio bianual para projetos que ajudem a melhorar a floresta, do ponto de vista técnico, científico ou da comunicação. A notícia é avançada esta …

Polícia Judiciária ajudou a evitar dois ataques em França

As informações partilhadas pela Polícia Judiciária (PJ) com a Europol foram cruciais para alcançar a detenção do jihadista marroquino que viveu em Portugal. Hicham El-Hanafi foi condenado a 30 anos de prisão em França, na semana …

Duque de Edimburgo foi transferido para outro hospital

O Palácio de Buckingham anunciou esta segunda-feira que o príncipe Filipe, marido da rainha do Reino Unido, Isabel II, foi transferido para outro hospital de Londres para continuar o tratamento de uma infeção. O Palácio disse …

Presidência da UE. Governo trabalha para encontro com Biden durante "semestre português"

A presidência portuguesa do Conselho da União Europeia quer um encontro com o Presidente Joe Biden ainda durante o primeiro semestre. A presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE) está a trabalhar na realização de …

Vacina da Pfizer. Intervalo entre doses aumenta para 28 dias (e lista de prioritários vai incluir pessoas com trissomia-21)

O intervalo entre a toma das duas doses da vacina da Pfizer/BioNtech contra a covid-19 foi alargado de 21 para 28 dias, anunciou esta segunda-feira o secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda …