Guterres é um subordinado dos EUA, acusa a Coreia do Norte

André Kosters / Lusa

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres

A Coreia do Norte criticou o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, por apoiar sanções para pressionar o país a entrar em negociações com os Estados Unidos sobre a desnuclearização, referindo que tem atuado como um subordinado.

A Missão da Coreia do Norte nas Nações Unidas considerou que as declarações de António Guterres na Conferência de Segurança de Munique, em 16 de fevereiro, foram “imprudentes” e com uma “mentalidade inflexível baseada em preconceito extremo sem qualquer consideração de imparcialidade”.

A missão referiu, numa declaração, que não haveria problema nuclear na península coreana se não houvesse uma “política hostil” dos Estados Unidos e se não existisse “chantagem ou ameaças nucleares”.

Não disse uma única palavra contra os Estados Unidos, que são os principais culpados por todo o agravamento da situação atual”, referem, considerando António Guterres um subordinado dos Estados Unidos.

O secretário geral das Nações Unidas disse que, pela primeira vez desde a Guerra Fria, o mundo enfrenta a “ameaça de um conflito nuclear”. António Guterres afirmou que as sanções sucessivamente mais duras impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas para pressionar a Coreia do Norte são “absolutamente essenciais de ser mantidas”.

“Mesmo que as relações entre as duas Coreias tenham melhorado, vamos ser claros, essa não é a questão central que estamos a enfrentar. A questão central continua a ser a questão da desnuclearização“, disse.

A Missão da Coreia do Norte pediu a Guterres para “refrear o seu comportamento” e entender que a ameaça nuclear é dos EUA, que está a desenvolver armas nucleares mais sofisticadas e relatou a “sua ambição para ataques nucleares preventivos” contra o Norte.

“Se António Guterres realmente quiser resolver o problema nuclear na península coreana, deve apelar ao Conselho de Segurança para promover o melhoramento das relações inter-coreanas e desencorajar os países vizinhos de perturbar o processo”, conclui.

// Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. A UE? Esses burgueses não fizeram nada de jeito e ainda se poem a mandar bitaites? Se calhar o UK é que tem razão e devíamos acabar com a UE. Ou pelo menos mudar muita coisa. A UE é tão culpada como EUA que não fez nada, deixou a situação descair. Gueterres fez bem em dizer o que achava. Esses tipos da UE são lunaticos e ideologistas.

  2. Existe aqui um pouco ou muita verdade. Não sendo um apoiante do regime da Coreia do Norte nem dos Estados Unidos fica umas perguntas no ar. Qual foi o pais que utilizou a bomba atómica contra a humanidade? Que sanções sofreu esse pais? Que pais tem incentivado o nuclear face ao seu poder militar? Como podem estes países defendem-se dum pais super poderoso senão da mesma forma. São questões pertinentes que ninguém aborda principalmente a comunicação submissa a muitos interesses…porque será?

    • Os EUA usaram a bomba atómica para pôr fim à guerra… E deram um ultimato, avisaram que iam largar a bomba, o Japão não se rendeu…

      • Esqueceste-te de alguns detalhes:
        Os EUA usaram a bomba atómica para acabar com uma guerra para a qual foram chamados, quando estavam sossegados no seu canto, depois de um ataque cobarde e de surpresa dos japoneses a Pearl Harbour, que matou numa hora umas 2400 pessoas.
        Na altura, com excepção óbvia dos japoneses e dos seus aliados nazis, ninguém se incomodou muito com a rendição forçada à bomba – nomeadamente os povos asiáticos da região, que estavam a ser chacinados pelos japoneses, entre os quais os chineses.
        Não foi uma bomba, foram duas. O imperador só se rendeu depois da segunda bomba (Nagasaki) ter caído

        • Deduzo que o comentário, com o qual concordo a 100%, seja para o jose santos. É giro ver a Europa, que deve a actual liberdade, democracia e prosperidade económica, aos EUA, assumir constantemente ares de superioridade e criticar os meios pelos quais conseguiram os ditos benefícios de que hoje gozam. Não se trata só da 2ª Guerra. Se os EUA não tivessem enfrentado e derrotado a URSS durante a Guerra Fria, hoje a Europa de Leste continuaria subjugada a regimes comunistas, e várias outras partes do Globo teriam seguramente o mesmo destino.

RESPONDER

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer influencia risco de desenvolver a doença

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer aumenta a probabilidade de desenvolver a doença, concluiu um estudo recente que avaliou a história familiar de mais de 280 mil pessoas. Na última década, vários estudos indicaram a …

Marcelo Rebelo de Sousa promulgou a nova lei da paridade (mas com alguns parêntesis)

O Presidente da República promulgou a nova Lei da Paridade. A lei estabelece que as listas para a Assembleia da República, para o Parlamento Europeu e para as autarquias locais têm de assegurar a representação …

Cientistas descobrem o que provocou três eras glaciais na Terra

Cientistas estadunidenses calcularam que um evento geológico repetido deu origem às três últimas eras glaciais no nosso planeta, a última das quais ainda mantém o seu gelo nas regiões polares. Segundo a revista Science, a responsável …

A Terra pode guardar um Oumuamua no seu interior

Uma parte da terra que pisamos poderia vir, literalmente, de outras regiões da galáxia - áreas muito distantes do local onde o planeta está localizado e que para chegar até aqui teriam que viajar anos-luz …

Há um planeta mais próximo da Terra do que Vénus

A partir do Sol, a ordem dos primeiros planetas começa com Mercúrio, depois Vénus e depois a Terra. Então, Vénus é o planeta mais próximo do nosso? A resposta é: depende. Uma equipa de cientistas acaba …

O fim das consolas está à vista. Google lança serviço de videojogos na "nuvem"

A Google apresentou o seu novo serviço de jogos na "nuvem", Stadia, na Game Developers Conference (GDC), em São Francisco. O serviço não precisa de nenhuma consola e pode ser jogado em qualquer plataforma. O CEO …

Câmaras escondidas em hotéis filmavam hóspedes sem consentimento

O escândalo foi revelado na Coreia do Sul, onde dois homens foram presos por esconder câmaras em hotéis, que transmitiam as imagens em direto para um site, onde havia quem pagasse dinheiro para ver as …

Mesquita Nunes quer ser feliz (e que haja espaço nos partidos para quem tem vida profissional)

Adolfo Mesquita Nunes defende que "tem de haver espaço nos partidos para quem tem vida profissional". O antigo vice-presidente do CDS/PP apresentou a sua demissão do partido para assumir funções na administração da Galp. "Tem a …

Finlandeses são o povo mais feliz do mundo

A Finlândia lidera, pelo segundo ano consecutivo, um ranking da ONU das populações mais felizes, onde os investigadores dizem que os níveis de felicidade no mundo estão a diminuir. O Relatório Mundial sobre a Felicidade de …

Condenado por homicídio com provas semeadas pela Polícia vai receber 13 milhões de dólares

O Conselho de Supervisores de San Francisco, nos Estados Unidos (EUA), aprovou na terça-feira uma indemnização de 13,1 milhões de dólares (cerca de 11,5 milhões de euros) a um homem que passou mais de seis …