Guterres defende hipótese de Coreia do Norte responder por crimes contra a humanidade

Faces Of The World / Flickr

O secretário-geral da ONU, António Guterres

Um relatório enviado para a ONU afirma não ter havido progressos na responsabilização pelas violações dos direitos humanos e cita dados que podem constituir crimes contra a humanidade.

O secretário-geral da ONU defendeu que o Conselho de Segurança das Nações Unidas deve ponderar pedir ao Tribunal Penal Internacional (TPI) que julgue possíveis crimes contra a humanidade cometidos na Coreia do Norte.

Um relatório enviado para a Assembleia Geral da ONU afirma não ter havido progressos na responsabilização pelas violações dos direitos humanos no país e cita dados anteriores que podem constituir crimes contra a humanidade.

António Guterres afirmou na quinta-feira que “continua a ser imperativo para a comunidade internacional responder à situação dos direitos humanos” na Coreia do Norte, incluindo o apoio à responsabilização “caso se verifique que foram cometidos crimes contra a humanidade, a fim de evitar a impunidade”.

“Isto pressupõe que o Conselho de Segurança atue por sua iniciativa ou por recomendação da Assembleia Geral para que se considere o encaminhamento da situação para o Tribunal Penal Internacional”, afirmou o líder da ONU.

O TPI foi criado para procurar a responsabilização pelas piores atrocidades do mundo: crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio.

A ONU também publicou um relatório esta quarta-feira sobre a região chinesa de Xinjiang, onde apontou possíveis “crimes contra a humanidade” e mencionou “provas” de tortura e violência sexual contra a minoria uigur, pedindo a intervenção da comunidade internacional.

“A extensão da detenção arbitrária e discriminatória de membros dos uigures e de outros grupos predominantemente muçulmanos (…) pode constituir crimes internacionais, em particular crimes contra a humanidade”, referiu o relatório, com menos de cinquenta páginas, nas suas conclusões.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.