A guerra contra o plástico está a distrair-nos da poluição invisível

O atual foco na poluição de plástico está a fazer com que as pessoas descurem o tipo de poluição que não é possível ver, alerta uma equipa de investigadores.

O plástico é um material incrivelmente útil e versátil do qual depende grande parte da sociedade moderna, mas tornou-se uma das questões ambientais mais atuais. Nos últimos anos, a poluição de plástico estimulou a ação de indivíduos, organizações e governos em níveis semelhantes a algumas das maiores ameaças ao meio ambiente, como as alterações climáticas e a perda de biodiversidade.

Essa preocupação é bem fundamentada. A poluição de plástico pode enredar a vida selvagem, pode ser ingerida e bloquear estômagos e intestinos e pode conter produtos químicos prejudiciais. O plástico pode partir-se em pequenos pedaços, eventualmente em microplásticos que podem acumular-se na cadeia alimentar. Também foi encontrado em algumas das partes mais remotas do mundo.

Mas, embora haja uma animosidade generalizada em relação aos plásticos, eles são um grupo de materiais sem os quais não podemos viver e sem os quais não devemos viver.

Num artigo publicado recentemente na revista científica WIREs Water, uma equipa de cientistas argumenta que os plásticos em si não são a causa do problema e que deixar de reconhecer isso pode agravar catástrofes ambientais e sociais muito maiores.

Os impactos ambientais de alguns poluentes menos visíveis são bem conhecidos. Gases com efeito estufa, como dióxido de carbono e metano, contribuem para o aquecimento global. Partículas finas na atmosfera estão associadas a doenças respiratórias e são o principal componente do smog. E a radiação do desastre nuclear de Chernobil continua a afetar a vida selvagem que assumiu a sua zona de exclusão.

Mas a sociedade polui o meio ambiente de mais maneiras do que a maioria das pessoas pensa, e tem feito isso muito antes de a preocupação com a poluição por plástico se tornar predominante. A agricultura leva ao enriquecimento excessivo de nutrientes e à poluição por pesticidas. Equipamentos eletrónicos, veículos e edifícios requerem uma grande variedade de metais tóxicos que vazam para o meio ambiente no final da suas vidas.

Essas realidades menos conhecidas do consumo diário degradam o meio ambiente e são tóxicas para a vida selvagem. Como produtos químicos, em vez de partículas como o plástico, esses poluentes também são muito mais móveis e, no caso dos metais tóxicos, mais persistentes.

A poluição de plástico fornece uma distração conveniente dessas verdades inconvenientes. Começando com a legislação política no topo, a ação de alto nível contra a poluição por plástico tem sido desproporcional ao seu impacto ambiental, alertam os cientistas.

Focar no produto – não no plástico

O plástico é apenas um tipo de material antrópico no meio ambiente. Fibras têxteis de plástico, como poliéster ou náilon, são uma forma importante de poluição, mas são as fibras naturais como a lã e o algodão que dominam recentemente as amostras ambientais. Embora biodegradáveis, quando essas fibras naturais se degradam, elas podem liberar substâncias químicas nocivas, como corantes, para o meio ambiente.

O vidro e o alumínio, às vezes promovidos como soluções para a poluição das garrafas plásticas, podem ter pegadas de carbono maiores do que os plásticos que substituem. E muitas dessas alternativas também persistirão no meio ambiente. Alguém que atira uma garrafa de plástico para o rio não muda o seu comportamento se tiver uma lata de alumínio.

O problema é o produto, não o plástico. O desejo por conveniência, as indústrias que dependem do consumo excessivo e não do consumo informado, e uma cultura de políticas voltadas para a popularidade e não para a progressão estão na raiz da conversa sobre o plástico. Mas a poluição do plástico é apenas a parte que se consegue ver.

O que fazer?

“Plástico” e “poluição de plástico” são muitas vezes confundidos. A poluição de plástico é um sintoma visível e facilmente identificável de níveis insustentáveis de consumo, design de produto inadequado, gestão de resíduos inadequada e política hipócrita.

Emissões de gases com efeito estufa, perda de biodiversidade, práticas de exploração de trabalho e poluição química não podem ser vistos tão claramente ou os seus efeitos desenvolvem-se por um longo período de tempo. Mas, uma vez que os seus impactos são visíveis, geralmente é tarde demais para os ambientes que afetam. É por isso que há uma necessidade urgente de aumentar o perfil da poluição que não pode ser vista.

A poluição de plástico mobilizou níveis sem precedentes de ação ambiental. Mas para ter sucesso, essa ação precisa focar nas verdadeiras causas, como o consumo excessivo de itens prontamente descartáveis, ao invés de simplesmente na presença de plástico no ambiente. Ele também deve fazer um trabalho melhor de enquadrar a poluição do plástico no contexto de outros poluentes mais significativos.

PARTILHAR

RESPONDER

Uniforme da II Guerra Mundial encontrado num pacote "cheio de história"

Um uniforme de piloto da Força Aérea Real (RAF), usado na II Guerra Mundial, foi descoberto embrulhado num pacote feito de folhas de jornais e vai agora a leilão. De acordo com a cadeia televisiva CNN, …

Primeiro motociclo voador do mundo pode alcançar uma velocidade de quase 490 km/h

A empresa Jetpack Aviation concluiu os testes referentes ao projeto Speeder, para o desenvolvimento de uma aeronave que faz descolagens e aterragens na vertical. Segundo a companhia, o veículo, que se assemelha a um motociclo, …

Scarlett Johansson processa Disney por estreia de "Viúva Negra" no streaming

A atriz norte-americana processou a Disney, esta quinta-feira, por violação do contrato, na sequência do lançamento digital do filme "Black Widow" na plataforma de streaming, adiantando que o seu salário estava dependente das receitas de …

Incidente com módulo russo fez EEI mudar de posição

A Estação Espacial Internacional (EEI) perdeu, esta quinta-feira, o controlo de orientação e saiu da posição configurada, na sequência de um incidente com o módulo russo Nauka. A situação, que se prolongou durante 47 minutos, aconteceu …

Relatório dos CDC indica que variante Delta é tão contagiosa como a varicela

Um relatório interno dos Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos indica que a variante Delta é tão contagiosa como a varicela. O jornal Washington Post teve acesso a este relatório interno …

Task force concorda que número de mortos e internados vacinados seja divulgado

A sugestão apresentada pelo presidente da Assembleia da República, de se divulgar os dados da vacinação nos internamentos e óbitos por covid-19, "é muito sensata", defendeu o coordenador da task force do plano de vacinação. Em …

Lucro da CGD sobe 18% para 294 milhões de euros no primeiro semestre

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) registou 294 milhões de euros de lucro no primeiro semestre, mais 18% do que no período homólogo, foi anunciado esta sexta-feira. "A Caixa Geral de Depósitos registou 294 milhões de …

Acordar uma hora mais cedo diminui (muito) o risco de depressão

Estudo envolveu mais de 800 mil pessoas. Risco de cair em depressão desce 23%. Um estudo recente indica que, se uma pessoa se levantar uma hora mais cedo do que o habitual, o risco de cair …

Adeptos no Dragão: acabou o "enorme vazio no coração do FC Porto"

O Estádio do Dragão vai voltar a ter pessoas nas bancadas em jogos do FC Porto, 17 meses depois. O regresso vai acontecer na estreia na I Liga, contra o Belenenses SAD, e o clube …

México planeia libertar milhares de reclusos idosos ou que foram torturados

O Presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse nesta quinta-feira que vai libertar por decreto reclusos detidos em circunstâncias especiais, como os que foram torturados, os maiores de 75 anos e os que estão …