Governo não intervém nos juros da Caixa Geral de Depósitos

Miguel A. Lopes / Lusa

Além de ter esmagado os juros nos depósitos, a Caixa Geral de Depósitos vai deixar de pagar esta remuneração quando ficar abaixo de 1 euro.

A barreira não é comum na banca nacional. As instituições concorrentes do banco público dizem que não praticam aquele limite. O Governo, por seu lado, recusa-se a intervir. A administração é que decide. Ainda assim, defende que o panorama europeu traz limitações.

“No quadro da missão atribuída pelo Governo à CGD, cumpre à administração definir e implementar as medidas concretas de execução do plano estratégico, incluindo no que respeita à atualização das taxas de juros dos depósitos a prazo”, assume a assessoria de imprensa do Ministério das Finanças, de acordo com o Expresso.

O banco presidido por Paulo Macedo anunciou que, a partir de agosto, iria cortar em pelo menos 70% a taxa anual nominal bruta nos depósitos poupança. Além disso, decidiu que “não serão pagos juros sempre que o valor ilíquido dos juros calculados seja inferior a 1 euro” nos depósitos a prazo e poupança.

Esta alteração no pagamento dos juros leva a que os depósitos tenham um valor superior a 6.666 euros para que haja pagamento de um juro semestral. Segundo o ECO, a redução dos juros já seria esperada, tendo em conta que também o Banco Central Europeu mostrou disponibilidade para baixar ainda mais as taxas de forma a promover o crescimento económico.

O gabinete de Mário Centeno sublinha que há um enquadramento que justifica a limitação dos juros. “No atual contexto de taxas de juro negativas, a remuneração de depósitos e poupanças pelo sector bancário está sujeita a constrangimentos adicionais”.

O Banco Central Europeu tem a taxa diretora em zero e a taxa de depósitos é de -0,40%. Há novas indicações vindas de Mario Draghi sobre a política monetária mais flexível, o que pode indiciar novas medidas de redução de juros dos depósitos.

De acordo com o mesmo jornal, os bancos têm cortado em força nas remunerações dos depósitos, num esforço para equilibrar a margem financeira, empurrando também os clientes para produtos menos penalizadores, como fundos, planos poupança reforma ou seguros financeiros.

A postura do Executivo em relação aos juros nos depósitos não é muito diferente do que aconteceu em relação ao fecho dos balcões. “O Governo não interveio nem intervirá porque temos o entendimento de respeitar a autonomia de gestão das empresas do Estado limitando a intervenção à intervenção estratégica e confiando na administração a sua execução”, disse António Costa em junho de 2018.

A mais recente decisão da CGD de impor um limite mínimo abaixo do qual não paga juros não é comum: BCP, BPI, Novo Banco, Montepio e Crédito Agrícola não aplicam qualquer patamar. O que é comum é que a remuneração mais habitual oscila entre os 0% e os 0,15%. As contas à ordem estão praticamente todas em zero no que diz respeito ao rendimento gerado. Os depósitos em moeda estrangeira são os que mais rendem.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Centeno deixa aviso à Zona Euro. Futuro da UE depende da resposta que der à pandemia

Mário Centeno escreveu aos ministros das Finanças da Zona Euro para os alertar que o futuro da União Europeia depende da forma como conseguir lidar com a crise económica devida à pandemia de Covid-19. Uma …

Governo quer desempregados e trabalhadores em lay-off a reforçar lares e hospitais

O Governo criou uma medida de Apoio ao Reforço de Emergência de Equipamentos Sociais e de Saúde com o objetivo de apoiar as entidades do setor social e solidário. De acordo com o ECO, o Governo …

Recibos verdes podem pedir apoio a partir desta quarta-feira. Será pago ainda este mês

O apoio por quebra de atividade destina-se a trabalhadores independentes que nos últimos 12 meses tenham tido obrigação contributiva em pelo menos 3 meses consecutivos. O formulário para os trabalhadores independentes pedirem apoio por redução de …

"Este mês é perigosíssimo!" Costa avisa que "não podem ir à terra" na Páscoa

"As pessoas não podem ir à terra!" O alerta é de António Costa que avisa que este mês de Abril "é perigosíssimo" por causa da Páscoa. O primeiro-ministro recomenda também aos emigrantes que não venham …

13% dos casos de covid-19 em Portugal são profissionais de saúde. Há 10 médicos nos cuidados intensivos

Um em cada oito infetados com o novo coronavírus em Portugal é profissional de saúde. O número de médicos, enfermeiros, auxiliares e outros trabalhadores de hospitais e centros de saúde que estão contagiados não pára …

Curva em Itália parece estar a aplanar. Confirmado primeiro caso num campo de refugiados grego

A Itália registou mais 4.053 casos positivos e mais 837 mortes em 24 horas, valores semelhantes aos de segunda-feira e que sugerem que a curva da covid-19 parede estar a estabilizar. De acordo com o Observador, …

Há mais de 8 mil infetados e 187 mortes por covid-19 em Portugal

Há mais 27 mortes em relação a terça-feira, aumentando o número total de óbitos para 87. O número de casos confirmados em Portugal já ascende as 8 mil pessoas. O boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da …

Há falhas no sistema que regista casos de covid-19. A "esmagadora maioria" não vai ser contabilizada

O sistema que regista os casos de covid-19 em Portugal é "um pesadelo burocrático", denunciam os infecciologistas. A "esmagadora maioria" dos casos vai acabar por não ser notificada, acrescentam. O problema tornou-se público quando a Direção-Geral …

Mais de 3600 empresas já pediram acesso ao lay-off simplificado

O Governo já recebeu 3600 pedidos de empresas para aderirem ao regime lay-off lançado na semana passada, disse, esta terça-feira, a ministra do Trabalho e da Segurança Social. Ana Mendes Godinho, que falava aos jornalistas no …

Em tempos de crise, os emprestados podem ser a solução do Benfica

Bruno Varela, Cristián Lema, Filip Krovinovic, Gedson Fernandes e Diogo Gonçalves são hipóteses que Bruno Lage tem a seu dispor para regressar dos empréstimos. A suspensão das competições desportivas deixa muitos clubes entre a espada e …