Governo não intervém nos juros da Caixa Geral de Depósitos

Miguel A. Lopes / Lusa

Além de ter esmagado os juros nos depósitos, a Caixa Geral de Depósitos vai deixar de pagar esta remuneração quando ficar abaixo de 1 euro.

A barreira não é comum na banca nacional. As instituições concorrentes do banco público dizem que não praticam aquele limite. O Governo, por seu lado, recusa-se a intervir. A administração é que decide. Ainda assim, defende que o panorama europeu traz limitações.

“No quadro da missão atribuída pelo Governo à CGD, cumpre à administração definir e implementar as medidas concretas de execução do plano estratégico, incluindo no que respeita à atualização das taxas de juros dos depósitos a prazo”, assume a assessoria de imprensa do Ministério das Finanças, de acordo com o Expresso.

O banco presidido por Paulo Macedo anunciou que, a partir de agosto, iria cortar em pelo menos 70% a taxa anual nominal bruta nos depósitos poupança. Além disso, decidiu que “não serão pagos juros sempre que o valor ilíquido dos juros calculados seja inferior a 1 euro” nos depósitos a prazo e poupança.

Esta alteração no pagamento dos juros leva a que os depósitos tenham um valor superior a 6.666 euros para que haja pagamento de um juro semestral. Segundo o ECO, a redução dos juros já seria esperada, tendo em conta que também o Banco Central Europeu mostrou disponibilidade para baixar ainda mais as taxas de forma a promover o crescimento económico.

O gabinete de Mário Centeno sublinha que há um enquadramento que justifica a limitação dos juros. “No atual contexto de taxas de juro negativas, a remuneração de depósitos e poupanças pelo sector bancário está sujeita a constrangimentos adicionais”.

O Banco Central Europeu tem a taxa diretora em zero e a taxa de depósitos é de -0,40%. Há novas indicações vindas de Mario Draghi sobre a política monetária mais flexível, o que pode indiciar novas medidas de redução de juros dos depósitos.

De acordo com o mesmo jornal, os bancos têm cortado em força nas remunerações dos depósitos, num esforço para equilibrar a margem financeira, empurrando também os clientes para produtos menos penalizadores, como fundos, planos poupança reforma ou seguros financeiros.

A postura do Executivo em relação aos juros nos depósitos não é muito diferente do que aconteceu em relação ao fecho dos balcões. “O Governo não interveio nem intervirá porque temos o entendimento de respeitar a autonomia de gestão das empresas do Estado limitando a intervenção à intervenção estratégica e confiando na administração a sua execução”, disse António Costa em junho de 2018.

A mais recente decisão da CGD de impor um limite mínimo abaixo do qual não paga juros não é comum: BCP, BPI, Novo Banco, Montepio e Crédito Agrícola não aplicam qualquer patamar. O que é comum é que a remuneração mais habitual oscila entre os 0% e os 0,15%. As contas à ordem estão praticamente todas em zero no que diz respeito ao rendimento gerado. Os depósitos em moeda estrangeira são os que mais rendem.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa suspensa a partir de hoje (e durante 45 dias)

A Transtejo tinha informado que a ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa estaria suspensa a partir desta segunda-feira, por 45 dias, devido a obras, mas será assegurado transporte rodoviário até ao terminal de Almada. “A …

Nagorno-Karabakh. Arménia e Azerbaijão acusam-se mutuamente de violação de novo cessar-fogo

A Arménia e o Azerbaijão trocaram esta segunda-feira acusações pela violação de um novo cessar-fogo acordado no domingo para pôr fim às hostilidades no enclave de Nagorno-Karabakh, que deveria ter entrado hoje em vigor. A Arménia …

Venezuela testou molécula que "anula a 100%" o novo coronavírus

O Presidente da Venezuela anunciou, este domingo, que o Instituto Venezuelano de Investigações Científicas (IVIC) testou com sucesso uma molécula, a DR10, que "anula 100%" o novo coronavírus. "O IVIC testou uma molécula usada para tratar …

Com a bancarrota a caminho, Governo Sócrates vendeu quase 80% dos imóveis públicos

Numa altura em que o país já estava em situação complicada, com o cenário de bancarrota no horizonte, o último Governo de José Sócrates vendeu quase 80% do património imobiliário público em apenas dois anos. Estes …

Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, houve centenas de festas ilegais e álcool na rua

Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, foram muitos os que ignoraram as restrições. A polícia espanhola foi obrigada a intervir em centenas de festas ilegais e numa festa ao ar livre com mais …

Casa Branca admite que EUA não poderão controlar pandemia. Biden acusa Trump de ter desistido

A Casa Branca admitiu este domingo que os EUA não poderão controlar a pandemia por ser tão contagiosa, numa mudança à postura de minimização da gravidade da crise, numa altura em que há novos recordes …

GNR obrigada a intervir no GP de Fórmula 1. Bastonário diz que evento foi um "insulto" aos profissionais de saúde

O circuito de Portimão teve de fechar algumas bancadas para garantir o distanciamento dos 27.500 espetadores autorizados pela Direção-Geral de Saúde (DGS). Pelo menos em duas foi necessária a intervenção da GNR. Em comunicado, a GNR …

Governo atira-se ao Bloco de Esquerda. Voto contra é "incompreensível"

Em conferência de imprensa, esta segunda-feira, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, afirmou que "o Governo considera incompreensível que não possa contar com o Bloco de Esquerda" para aprovar o Orçamento do …

Chilenos votam de forma esmagadora para substituir Constituição de Pinochet

Os chilenos votaram de forma esmagadora, este domingo, a favor de uma nova Constituição para substituir a herdada da era do ditador Pinochet, num referendo realizado um ano após uma revolta popular contra a desigualdade …

Parques eólicos instalados em terrenos baldios vão passar a pagar IMI

Os terrenos baldios onde sejam instalados parques eólicos destinados a produzir energia elétrica vão perder o direito à isenção de IMI que a lei previa anteriormente para este tipo de imóveis. O Jornal de Negócios adianta …