Governo admite requisição civil para travar greve dos enfermeiros

Nuno Fox / Lusa

A ministra da Saúde, Marta Temido

O Ministério da Saúde (MS) esclareceu esta sexta-feira, em resposta enviada à Lusa, que a requisição civil é uma das possibilidades a ser avaliada como forma de travar a greve cirúrgica dos enfermeiros.

Questionado pela Lusa a propósito da entrevista da ministra da Saúde, Marta Temido, à RTP na quarta-feira na qual a governante admitiu equacionar meios jurídicos para combater a nova greve dos enfermeiros nos blocos operatórios, o MS adiantou que os referidos meios jurídicos podem passar por uma requisição civil.

A hipótese de recorrer à requisição civil vinha a ser afastada por Marta Temido, que a considera uma “opção extrema” e que só se usa quando não há cumprimento de serviços mínimos. Na entrevista à RTP, Marta Temido foi confrontada com a greve dos enfermeiros nos blocos cirúrgicos de sete centros hospitalares, que hoje começou e que se prolonga até 28 de fevereiro, após as negociações com as estruturas sindicais terem terminado na quarta-feira de forma inconclusiva.

Questionada sobre a possibilidade de uma requisição civil, a ministra afirmou que, na atual lei da greve, essa solução não é possível se estiverem a ser cumpridos os serviços mínimos, mas advertiu para um “aspeto absolutamente incomum”, que é a duração da greve e para os serviços em causa, que merecem “serviços máximos”.

Marta Temido admitiu, sem detalhes, “equacionar outras alternativas de resposta e, eventualmente, meios de reação jurídicos” em relação a esta nova greve, que replica o modelo de uma paralisação de enfermeiros que decorreu no final do ano passado.

“Em última instância, esta greve, que já enfrentámos antes e que nos preparamos para enfrentar outra vez, convoca para uma reflexão sobre questões éticas, deontológicas e sobre o exercício do direito à greve”, observou, ressalvando que não está em causa a legitimidade das reivindicações.

A outra possibilidade de recurso a meios jurídicos apontada pela tutela, na resposta enviada à Lusa, é a análise pelo Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República “do exercício do direito à greve e licitude do financiamento colaborativo, entre outras questões relacionadas com a greve em causa”.

Requisição civil é uma forma de “ameaça”

A Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE) considerou esta sexta-feira que a possibilidade de o Governo avançar com a requisição civil para travar a greve cirúrgica dos enfermeiros é “ameaça ou coação” para tentar desmobilizar, admitindo prolongar a luta.

A greve dos enfermeiros nos blocos cirúrgicos de sete centros hospitalares começou hoje e prologa-se até 28 de fevereiro, após as negociações entre as estruturas sindicais e Governo terem terminado na quarta-feira de forma inconclusiva.

A presidente da ASPE, Lúcia leite, afirmou que esse é um direito do Governo, mas entende esta posição como uma ameaça para desmobilizar os enfermeiros em greve.

“É direito que o Governo terá enquadrado na lei, mas terá de ter os fundamentos da lei para poder utilizar a requisição civil. Tal como aconteceu na primeira greve cirúrgica, houve muitas ameaças, com pareces da Procuradoria-Geral da República, dúvidas sobre a legitimidade e legalidade da greve que depois se esfumaçaram em nada”, afirmou em declarações à agência Lusa. A dirigente sindical acrescentou que os enfermeiros estão a cumprir todos os serviços mínimos definidos pelo Tribunal Arbitral.

“Da informação que tenho do gabinete jurídico está tudo conforme, os serviços mínimos estão a ser cumpridos de acordo com o Tribunal Arbitral. Não sei o que daí podia vir, entendo isso como uma ameaça ou uma coação para tentar desmobilizar os enfermeiros que estão em greve”, acrescentou. Lúcia Leite reafirmou que “os serviços mínimos estão a ser totalmente garantidos”.

“Informei os enfermeiros que devem respeitar os critérios de prioridade que as equipas médicas decidirem, eles é que são responsáveis se estão a operar situações que não são urgentes e depois deixam urgentes por operar. Não passem essa responsabilidade para os enfermeiros”, advertiu.

A presidente da ASPE admitiu a hipótese de a greve se prolongar, inclusive até à véspera das eleições legislativas, de 6 de outubro.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Washington D.C. pode estar prestes a tornar-se o 51.º estado dos EUA

A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos votou mais uma vez um projeto de lei para conceder a Washington D.C. o estatuto de estado. A cidade pode vir a ser 51.º estado do país. De acordo …

Vai nascer um megacentro de dados em Sines. Investimento pode gerar até 1.200 empregos

O projeto de um novo data centre em Sines prevê um investimento de até 3,5 mil milhões de euros, que criará até 1.200 postos de trabalho diretos altamente qualificados. "Tem o potencial de ser o maior …

Oposição unida aborrece o senhor das contas. Aprovações podem pôr em causa estabilidade financeira

No Parlamento, o Governo continua a ser surpreendido com aprovações de medidas pela oposição. Nas Finanças, fazem-se contas e deixam-se avisos. "A repetição sistemática deste tipo de aprovações pela Assembleia da República poderá vir a colocar …

“Está tudo em aberto”. Capitães de Abril admitem abandonar celebrações (e desfile pode ser cancelado)

Após a polémica levantada pela exclusão da Iniciativa Liberal do cortejo, o presidente da Associação 25 de Abril (A25A), Vasco Lourenço, convocou uma reunião da comissão promotora do tradicional desfile comemorativo do 25 de Abril, …

Governo vai usar empréstimos para capitalizar empresas a fundo perdido. Estradas terão financiamento nacional

O Governo pode vir a usar os 2,3 mil milhões adicionais do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) para reforçar os capitais próprios das empresas e este dinheiro pode ser canalizado via subvenções a fundo …

Clubes que desistiram da Superliga vão ter de pagar multa (que pode ser de 300 milhões)

Os clubes que desistiram da ideia de formar uma Superliga Europeia vão ter de pagar uma multa. Apenas Real Madrid e Barcelona ainda não anunciaram a sua saída. Os relatos relativamente ao valor da coima variam …

Antiga moradia do Gerês de CR7 não vai ser demolida. O crime prescreveu

Apesar da IGAMAOT considerar que a construção foi executada à revelia do projeto aprovado, o Ministério Público diz que o caso tem de ser arquivado porque o crime prescreveu. De acordo com o que noticia o …

"Passaporte dourado". Férias, doações ou investimentos: o esquema de Malta para vender a sua nacionalidade

Malta, membro da União Europeia e do espaço Schengen, começou a vender a nacionalidade maltesa há mais de oito anos. Contudo, e-mails da empresa facilitadora, a Henley & Partners, mostram que a "ligação genuína" ao …

Aprovadas alterações à lei eleitoral autárquica. Eleitores em confinamento podem votar em casa e em lares

A Assembleia da República aprovou esta quinta-feira, por maioria, as alterações à lei eleitoral autárquica, que dá resposta às reivindicações dos movimentos de autarcas independentes que se queixavam de dificultar as candidaturas. Votaram a favor PS, …

Sporting interessado em Claudinho, estrela da Red Bull

O Sporting está à procura de reforços para o ataque, tendo em vista já a próxima temporada. Claudinho, do Red Bull Bragantino, é um dos favoritos. O principal foco do Sporting para esta temporada é conquistar …