Os gorilas também ficam de luto quando os familiares morrem

(dr) Dian Fossey Gorilla Fund International

Um jovem gorila ao lado do corpo da mãe várias horas depois da sua morte

Gorilas mostram sinais de luto em redor de cadáveres. Quanto mais próxima é a relação social que os gorilas tinham com o morto, mais notável é a interação.

Às vezes, passam dias ao lado dele e dormem no mesmo ninho. De forma intrigante, no entanto, os gorilas também mostram um sofrimento prolongado com a morte de um estranho.

Investigadores, muitas vezes, perdem a oportunidade de ver como os gorilas se comportam em relação aos corpos dos seus entes queridos no meio selvagem, já que os membros que morrem de um grupo frequentemente se afastam para morrer em silêncio noutro lugar. Por outro lado, os habitantes dos zoológicos podem ser guias pouco confiáveis para estudar o comportamento natural.

Amy Porter, do Dian Fossey Gorilla Fund, faz parte de uma equipa que assistiu e filmou o que aconteceu quando dois gorilas no Parque Nacional dos Vulcões, em Ruanda, morreram vítimas de doença. Estes foram comparados com a descoberta de um indivíduo recentemente morto por um grupo de gorilas de Grauer no Parque Nacional Kahuzi-Biega na República Democrática do Congo.

Em cada caso, os gorilas sentaram-se com o corpo, cheiraram e tocaram-no, mas também o arranjaram e até o lamberam. Um dos gorilas mortos era um macho dominante, Titus, e o outro, uma fêmea dominante, Tuck, ambos com mais de 30 anos, uma idade razoável para os padrões dos gorilas. Ambos vieram de um grupo que investigadores observaram durante décadas e cujas relações sociais eram conhecidas.

Como esperado, Porter relata na revista PeerJ, os gorilas vivos com os laços genéticos e sociais mais próximos dos mortos passaram a maior parte do tempo com os cadáveres. O filho de Tuck “tentou mover a cabeça gentilmente com as mãos” e até tentou sugar os seus seios, apesar de já não mamar. Membros mais velhos do grupo bateram nos seus peitos, atingiram plantas e o cadáver de Tuck entre olhares para o corpo.

Os gorilas de Grauer, exceto as fêmeas adultas, mostraram um comportamento “muito semelhante” em relação a um gorila morto que encontraram. Cuidaram dele e bateram nos seus peitos em redor dele, embora fosse um desconhecido para a maioria deles.

De uma perspetiva evolutiva, o comportamento tem sérios inconvenientes. O ébola, que pode ser facilmente transmitido dos mortos para os vivos, tem sido um dos principais contribuintes para o estado criticamente ameaçado dos gorilas. A proximidade de vítimas de armadilhas também pode elevar o risco de grupos inteiros serem eliminados por caçadores ilegais.

É improvável que o comportamento tenha sobrevivido se não refletisse algo importante. Talvez, sendo criaturas sociais, um gorila tão dominado pela dor que ficará com um parente morto tenha maior probabilidade de sobreviver do que um que não ame a família ou cuide de outros membros da sua espécie.

PARTILHAR

RESPONDER

Só as mulheres podem parar o Apocalipse nuclear

O aumento da participação feminina no setor nuclear ajudaria a reduzir a ameaça de um Apocalipse, afirmou recentemente a analista Xanthe Scharf. O conflito nuclear continua a ser a maior ameaça imediata à segurança global. Os …

Esqueleto que caiu de um penhasco pode ter pertencido a uma princesa

Há mais de um século, um tronco esculpido que continha o antigo esqueleto de uma mulher caiu de um penhasco à beira-mar na pequena vila costeira polaca de Bagicz. Agora, os investigadores determinaram que a mulher …

Apanhado no Facetime. Prisão perpétua para português por violação e agressão em Inglaterra

Um português a residir em Inglaterra foi condenado a prisão perpétua por violação e agressão a uma jovem de 19 anos, tendo uma captura de ecrã durante uma chamada de FaceTime sido um elemento chave. Samuel …

Estranha síndrome genética está a cegar famílias inteiras

Médicos na Austrália descobriram uma condição ultra-rara que está gradualmente a cegar famílias inteiras em redor do mundo. Agora, estão a tentar encontrar uma cura. Os primeiros sinais da condição surgiram na Austrália, quando uma mãe, …

Juventus é campeã pela oitava vez consecutiva. E Ronaldo estava lá

A Juventus conquistou este sábado a Serie A pela oitava vez consecutiva, depois de vencer em casa a Fiorentina por 2-1, em jogo da 33ª jornada. Poucos dias após a eliminação nos quartos de final da …

Coletes Amarelos: novo sábado de violência em Paris

Mobilizados há mais de cinco meses, os "coletes amarelos" voltaram este sábado às ruas para o seu "acto XXIII" marcado por uma nova escalada da tensão entre manifestantes e forças de autoridade. Tiros de gás lacrimogéneo, …

Porto vs Santa Clara | Dragão suficiente assume liderança

O FC Porto venceu hoje o Santa Clara por 1-0, em partida da 30.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol, que permite aos ‘dragões' regressarem, à condição, ao comando do campeonato. O FC Porto cumpriu …

Notre-Dame pode não ser a única. Vários monumentos em todo o mundo estão em risco

O incêndio na catedral de Notre-Dame, em Paris, levantou questões sobre a forma como os órgãos responsáveis pelo património cultural realizam políticas de conservação e detetam possíveis problemas. Além disso, a Unesco indicou que vários locais de …

Hubble espreita aglomerado cósmico azul

Os enxames globulares são objetos inerentemente belos, mas o alvo desta imagem do Telescópio Espacial Hubble da NASA/ESA, Messier 3, é frequentemente reconhecido como um dos mais esplêndidos de todos. Contendo, incrivelmente, meio milhão de estrelas, …

Comer carne vermelha (mesmo moderadamente) aumenta risco de cancro do intestino

O maior estudo alguma vez realizado no Reino Unido sugere que devemos reduzir (ainda mais) o consumo de carne vermelha. Um estudo financiado pela Cancer Research UK e desenvolvido pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, …