/

A gigantesca fenda da Antártida fez uma curva e torna iminente o desprendimento

4

John Sonntag / IceBridge / NASA Goddard Space Flight Center

 Faltam apenas 13 km para que enorme bloco de gelo se desprenda completamente, afirmam os cientistas

Faltam apenas 13 km para que enorme bloco de gelo se desprenda completamente, afirmam os cientistas

A enorme fenda na plataforma de gelo Larsen C, na Antártida, que pode criar um dos dez maiores icebergs do mundo, fez uma curva e mudou radicalmente de direcção.

“A fenda avançou mais 16 km, com uma aparente e significativa curva à direita perto da extremidade. Agora, só faltam 13 km para que o iceberg se desprenda completamente”, diz à BBC Adrian Luckman, professor da Universidade de Swansea, no Reino Unido.

Luckman acrescenta que a fissura pode estar “muito próxima”, mas ressalva que ainda nada é totalmente certo. Os dados mais recentes foram colhidos entre 25 e 31 de maio pelos satélites Sentinel-1 da União Europeia.

Os registos foram feitos com a ajuda de radares, devido ao início do rigoroso inverno da Antártida, que permanece praticamente no escuro. Depois de ter avançado em dezembro, o ritmo de crescimento estacionou depois de a fenda ter entrado na chamada “zona de sutura”, uma região de gelo flexível.

Mas o cenário alterou-se no início do mês passado, altura em que a extremidade da fenda bifurcou, e a nova ponta mudou de rumo em direcção ao oceano. Quando o iceberg se desprender, o enorme bloco deve afastar-se gradualmente da plataforma de gelo.

“Isso não deve acontecer rapidamente, porque o Mar de Wedell está cheio de gelo, mas tenho a certeza de que será mais rápido do que todo o processo de ruptura dos últimos meses. Tudo dependerá das correntes e dos ventos”, explica Luckman.

O bloco de gelo que ameaça desprender-se tem 5 mil km² – o equivalente a 500 mil campos de futebol. A Larsen C é a maior plataforma de gelo no norte da Antártida.

As plataformas de gelo são as porções da Antártida onde a camada de gelo está sobre o oceano e não sobre a terra.

Segundo os cientistas, a separação do iceberg pode deixar toda a plataforma Larsen C vulnerável a uma ruptura futura. A plataforma tem uma espessura de 350 m e está localizada na extremidade oeste da Antártida, impedindo a dissipação do gelo.

MIDAS/ESA/USGS

Imagem de satélite mostra a região da plataforma Larsen C que ameaça separar-se da Antártida, vista a 1 de Maio

Imagem de satélite mostra a região da plataforma Larsen C que ameaça separar-se da Antártida, vista a 1 de Maio

Os cientistas têm estado a acompanhar a fenda na Larsen C há muitos anos. Recentemente, porém, passaram a observá-la mais atentamente devido às rupturas das plataformas de gelo Larsen A, em 1995, e Larsen B, em 2002.

O ano passado, os cientistas afirmaram que a fenda na Larsen C estava agora a aumentar rapidamente. Mas, em dezembro, o ritmo aumentou para patamares nunca antes vistos, avançando 18 km em duas semanas.

Aquecimento global

Os cientistas dizem, no entanto, que o fenómeno é geográfico e não climático. A fenda existe há décadas, mas cresceu durante um período específico, e o aquecimento global parece ter antecipado a provável ruptura do iceberg. Não há no entanto provas suficientes para suportar esta teoria.

No entanto, os cientistas continuam preocupados com o impacto da separação deste iceberg do resto da plataforma de gelo, já que a ruptura da Larsen B em 2002 aconteceu de forma muito semelhante.

Como vai flutuar sob temperatura constante, o iceberg não aumentará o nível dos mares. Mas novas rupturas na plataforma podem acabar por dar origem a calotes polares que se desprenderiam em direcção ao oceano – e uma vez que esse gelo derreta, afectará o nível dos mares.

Há poucas certezas absolutas, contudo, sobre uma mudança iminente na região da Antártida. Mas segundo estimativas de alguns cientistas, se todo o gelo da Larsen C fundisse, o nível dos mares aumentaria cerca de 10 cm.

  // BBC

4 Comments

    • Se todo o gelo do mundo derreter, o nível do mar subirá 47 cm. Não acredite em tudo o que leia.
      E para que conste, a Antártida já teve florestas. Se vier a ter novamente, não será com certeza o fim do mundo que os Media dão a entender…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.