“A cidade toda é a minha galeria”. O artista ucraniano Gamlet foi ordenado a pintar as ruínas de Kharkiv

O artista não vê as suas obras como armas contra a Rússia e prefere pensar nas criações como um fonte de inspiração para as forças ucranianas.

Reconhecido internacionalmente em exposições desde Lima até Londres, Gamlet Zinkivsky tem agora um novo desafio em mãos. O artista ucraniano de 35 anos está agora a pintar murais na sua cidade-natal de Kharkiv, a segunda maior do país, no meio da destruição causada pela guerra.

“Se sair de cá, posso ter a minha carreira em qualquer sítio no estrangeiro. Mas isso só seria pelo conforto. Na Ucrânia, sinto que estou a reconstruir o país. Toda a cidade é a minha casa, a cidade toda é a minha galeria”, revela à AFP.

O seu trabalho mais recente inclui as palavras “hospitalidade infernal” e retrata cocktails molotv e petróleo no centro da cidade destruída pela artilharia russa. No início de guerra, Gamlet estava na Ucrânia ocidental, uma zona do país menos afetada pelo conflito, onde estava a angariar fundos para a ajuda humanitária.

Foi nessa altura que o comandante do batalhão Khartia Battalion o contacou. “Precisamos de ti aqui, tens de pintar“, disse-lhe.

Gamblet acredita que o trabalho nas ruas é mais importante para a moral pública do que as exposições nas galerias. “Vejo as pessoas a sorrir e felizes quando viram a pintura num edifício destruído que adoravam”, revela.

A arte de rua, apesar de não ser lucrativa, é mais acessível. “A arte de rua é a história para as pessoas que nunca foram a uma exposição, mas conhecem o meu trabalho na rua”, afirma o artista.

Algumas das suas obras em Mariupol, Izyum e Berdyansk foram destruídas, mas Gamlet espera que as que ainda estão em edifícios destruídos possam ser doadas a museus ou vendidas com os fundos a ser dirigidos a uma causa.

Apesar de retratar eventos da guerra, o artista não vê as suas criações como uma arma contra a Rússia, sendo antes uma “inspiração” para os soldados ucranianos.

Esta é já a segunda vez que Gamlet fica em Kharkiv por motivos políticos. O artista ia mudar-se para Paris em 2013 antes da queda do governo de Viktor Yanukovych, em 2014.

O momento foi importante para Gamlet. “Em 2014 comecei a pintar com um novo espírito poderoso. Percebi que era ucraniano“, remata.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.