Galp e REN vão mesmo ter que pagar contribuição extraordinária

PSD / Flickr

O ministro do Ambiente, Ordenamento do Território e Energia, Jorge Moreira da Silva

O ministro do Ambiente, Jorge Moreira da Silva, lamentou que a REN e a Galp Energia tenham decidido não pagar a contribuição extraordinária sobre o setor energético e avisou que as autoridades fiscais avançarão para a execução fiscal.

Em declarações aos jornalistas em Viseu, esta terça-feira, o ministro frisou que “a lei é para aplicar a toda a gente“, seja aos cidadãos que pagam IRS, às empresas que pagam IRC, a estas empresas que tinham uma contribuição extraordinária e também aos cidadãos e aos pensionistas “que tiveram de enfrentar contribuições extraordinárias”.

Na segunda-feira, a REN e a Galp Energia comunicaram ao mercado que não tinham pago a contribuição extraordinária sobre o setor energético relativa a 2014, cujo prazo de liquidação terminou a 15 de novembro.

No caso da REN está em causa um valor de cerca de 25 milhões de euros e no da Galp de 35 milhões de euros.

“Estas empresas tomaram a decisão e agora esta é matéria que a área fiscal, a autoridade tributária, desenvolverá“, tal como acontece em caso de incumprimento por parte de um cidadão ou de uma empresa, referiu.

O governante considerou que “a lei é muito clara” e que, quando um cidadão ou empresa falha determinado prazo na área fiscal, “existem juros de mora, penalizações, uma execução fiscal”.

“Essa é matéria que está prevista na lei e a lei é para ser aplicada a toda a gente. Aos pequenos empresários, aos grandes e aos cidadãos a título individual. Ninguém está isento das suas responsabilidades fiscais”, sublinhou.

Jorge Moreira da Silva lamentou a decisão destas empresas especialmente por se tratar de “uma contribuição que tinha por objetivo alargar o esforço de sacrifício, repartir os sacríficos por mais entidades”.

“Esta é uma decisão das empresas. O dever do Governo, do Estado, é assegurar o cumprimento da lei”, realçou, acrescentando que nenhum português “se pode dar ao luxo de ter estados de alma quando paga o IRS ou o IRC”.

O ministro lembrou que “esta contribuição extraordinária de 150 milhões de euros foi concretizada numa altura em que o Governo necessitava de cumprir um determinado objetivo orçamental” e optou por avançar com ela “para evitar um aumento de impostos aos cidadãos ou uma penalização adicional dos pensionistas”.

“Entendemos que tinha chegado a altura de, além de todos os cortes nas rendas excessivas que o Governo já tinha vindo a realizar, e que ainda agora concretiza, também seria importante, em especial num setor em que as empresas beneficiam de um regime próprio (nomeadamente operarem sob concessão), que fossem alvo deste contributo num momento difícil para todos os portugueses e para o país”, explicou.

Neste âmbito, lamentou que “as empresas tenham decidido não cumprir as suas obrigações legais”, mas também que, “numa matéria em que se promovia a equidade na repartição de esforços e de encargos, não formular uma decisão solidária com o momento que o país vivia e ainda vive”.

/Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Quem manda é GALP, EDP, REN, Banco Portugal etc que é onde aterram os boys, por isso essas taxas são para esquecer, se calhar ainda tem que pagar uma indmenização e já não era a primeira por incomodarem os senhoritos disto tudo.

  2. Isto bateu mesmo no fundo..
    O governo perdeu a autoridade e o respeito por parte das pessoas empresas e instituições.
    Seria bom que este caso fosse acompanhado de perto por todos os cidadãos, pois caso se prove que este é um imposto ilegal, todos devem sr ressarcidos do dinheiro que nos foi retirado, e se assim não for, não estamos perante um Estado, mas sim de uma quadrilha terrorista que usa os meios que tem, policia tribunais etc para violentamente retirar os bens ao cidadão.

  3. Embora ache muito mal estas taxas e taxinhas e impostos para tudo e mais alguma coisa, a verdade é que temos de ser todos a pagar e porque eu sou obrigado a pagar quer queira quer não, porque é que estes capitalistas do país querem ficar de fora, têm tanta ou mais obrigação de contribuir do que eu, afinal fazem parte do mesmo capitalismo selvagem junto com os governos que se instalaram em Portugal e são eles os verdadeiros culpados da ruína em que nos encontramos hoje. Que os façam pagar sem dó nem piedade.

  4. Eu acredito que estes tubarões, que vendem seus produtos e serviços pelo preço que querem e têm lucros fabulosos, não venham a pagar um centimo sequer desta taxa. E tem mais; se o Estado os pressiona, deslocalizam a sede das suas empresas para outros países da Europa e até o IRC deixam de pagar. Não seriam os primeiros. Já outros ratos abandonaram este navio que navega à vista, em mar revolto e com um comandante que não sabe sequer o mar em que se encontra.

RESPONDER

Consumo de proteínas e laticínios pode ajudar a reduzir risco de diabetes

Cientistas associaram um maior consumo de proteínas e laticínios a um menor risco de diabetes. Em contrapartida, alimentos ricos em calorias foram ligados a um maior risco de diabetes. A diabetes é um problema de saúde …

Médicos alertam: técnica de tapar a boca com fita-cola para dormir melhor é perigosa

Chama-se "buteyko" e consiste em encontrar formas de respirar melhor pelo nariz, entre as quais fechar a boca enquanto dormimos. A tendência está a gerar um debate entre os médicos, que consideram esta técnica perigosa. Foi …

Incentivos financeiros ajudam pessoas a deixar de fumar

Fumar mata um em cada dois fumadores ávidos, mas desistir leva a grandes melhorias na saúde, aumento da esperança de vida e poupança de custos com cuidados de saúde. Pagar às pessoas para pararem de …

Há uma coisa simples que podemos fazer para combater as alterações climáticas: falar sobre o problema

A preocupação com as alterações climáticas pode ser muitas vezes um fardo solitário, mas a verdade é que não precisa de ser assim. De acordo com um novo estudo, simplesmente falar sobre o assunto com …

Em busca das duas princesas alemãs. Vaticano analisa ossários após encontrar túmulos vazios

Os trabalhos começaram esta manhã no cemitério que fica dentro das muralhas do Vaticano e foram analisados os restos dos dois ossários, explicou o porta-voz interino da Santa Sé, Alessando Gisotti. Os ossários estavam perto dos …

Miguel Pinto Lisboa é o novo presidente do Vitória de Guimarães

Miguel Pinto Lisboa foi eleito, este sábado, o novo presidente do Vitória de Guimarães, avança a imprensa portuguesa. Os números ainda não são oficiais, mas as primeiras projeções indicam que o candidato de 47 anos da …

Incêndios em Castelo Branco e Santarém. Há quatro bombeiros feridos, um em estado grave

Dois incêndios em Castelo Branco estão a mobilizar mais de 500 operacionais e 15 meios aéreos. Há estradas cortadas e aldeias evacuadas. Dois incêndios em povoamento florestal, todos no distrito de Castelo Branco, um no município …

"É contra a vontade de Deus". Família que se recusou a pagar impostos é condenada na Austrália

Uma família cristã australiana recusou-se a pagar impostos, alegando que é "contra a vontade de Deus". Em tribunal, o juiz obrigou a pagar 1,3 milhões de euros. Em 2017, na Tasmânia, uma família cristã não pagou …

David guardou uma pedra durante anos pensando que era ouro. Afinal, era bem mais raro que isso

Em 2015, David Hole estava a explorar Maryborough Regional Park, perto de Melbourne, na Austrália. Com um detetor de metais, descobriu algo fora do comum: uma rocha avermelhada muito pesada que repousava em argila amarela. Maryborough …

Quadro roubado por soldado nazi é devolvido a museu de Florença

O quadro de natureza-morta tinha sido roubado do museu por um soldado nazi como um presente para a sua esposa. Agora, o quadro foi devolvido ao museu pelos alemães. Um soldado nazi em retirada de Itália …