Gado na UE produz 704 milhões de toneladas de CO2 (mais do que todos os transportes juntos)

(dr) Envato Elements

De acordo com uma nova análise da Greenpeace, animais de criação como vacas, porcos e outros, estão a emitir mais gases com efeito de estufa na Europa do que todos os transportes juntos.

Na última década, o aumento da produção de carne e de laticínios na Europa fez com que a agricultura se tornasse numa fonte muito maior de emissões. Embora alguns países tenham priorizado a energia renovável e o transporte nas suas políticas climáticas, as iniciativas para reduzir o impacto da alimentação e da agricultura no clima ficaram descuradas.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, em 2018, o gado da União Europeia foi responsável pelo equivalente a cerca de 502 milhões de toneladas de dióxido de carbono, sobretudo devido ao metano que libertam. Estes números são comparáveis com os 656 milhões de toneladas de dióxido de carbono libertados pelos transportes que circulam na Europa no mesmo ano.

De acordo com estes números, até parece que os transportes são mais poluidores, mas quando as emissões indiretas dos gases provenientes da pecuária são calculadas, os números totais aumentam e são equivalentes a 704 milhões de toneladas de dióxido de carbono. Os cálculos são apresentados num novo relatório da Greenpeace intitulado Farming for Failure, publicado no dia 22 de setembro.

A produção de carne e laticínios na União Europeia aumentou 9,5% entre 2007 e 2018, o que de acordo com o Greenpeace se traduziu num aumento nas emissões anuais de 6%, ou seja, cerca de 39 milhões de toneladas – o que é equivalente a colocar 8,4 milhões de novos carros na estrada.

Se estes aumentos continuarem, a UE tem pouca probabilidade de cumprir as suas obrigações de reduzir os gases de efeito estufa, de acordo com o que está estipulado no acordo de Paris. Na semana passada, a UE reforçou as suas metas de redução de emissões, anunciando uma meta de cortes de 55% até 2030.

Marco Contiero, diretor de política agrícola da Greenpeace, disse que os países devem controlar as emissões da pecuária ou correm o risco de enfrentar uma grande falha nas metas de redução. “A ciência é clara, os números também. A única maneira de reduzir as emissões aos níveis necessários é diminuir o número de animais”.

Um corte de metade da pecuária intensiva iria reduzir cerca de 250 milhões de toneladas de emissões de dióxido de carbono por ano – revela o The Guardian.

A Greenpeace apela ao fim dos subsídios públicos para a criação de animais em grande escala, que são entregues aos produtores no âmbito da política agrícola comum da União Europeia – a organização defende que este seria um grande passo a dar neste problema.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. É preciso as pessoas começarem a perceber que o corpo humano funciona melhor com dieta vegetariana (vejam o documentário Netflix “the game changer”). Para além disso, a redução do consumo de carne tem impactos favoráveis no meio ambiente e na descarbonizacão que o planeta precisa nesta fase. Não adianta andarmos armados em macacões a atacar quem tem juízo.

RESPONDER

Noah, de apenas dois anos, está desaparecido desde quarta-feira. Cadela, peça de roupa e pegadas encontradas

Um menino de dois anos está desaparecido em Proença-a-Velha, concelho de Idanha-a-Nova, desde quarta-feira de manhã. A GNR e PJ estão no local a fazer buscas com auxílio de populares que se juntaram às autoridades. Ao …

Passos avisa que há reformas que se fazem em “confronto” e não vale a pena “ficar à espera” do PS

O ex-primeiro-ministro Pedro Passos Coelho acusou esta quarta-feira a esquerda de "desqualificar" o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e avisou que há reformas que só se fazem "em confronto", pedindo às forças políticas que "não …

Luzes cintilantes mostram potencial como novo tratamento para o Alzheimer

Uma equipa de investigadores usou som e luzes cintilantes para tratar ratos com a doença de Alzheimer, obtendo alguns resultados positivos. Agora, os cientistas testaram o mesmo tratamento em humanos, conseguindo mais uma vez resultados …

Planeta Terra passa a ter (oficialmente) cinco oceanos

A National Geographic Society fez o primeiro mapeamento dos oceanos em mais de 100 anos e, desta vez, reconhece que a Terra possui cinco oceanos. Definir as fronteiras dos oceanos da Terra não é uma tarefa …

O misterioso escurecimento da Betelgeuse foi oficialmente desvendado

A causa da misteriosa perda de brilho da estrela foi causada por uma nuvem gigante de poeira, expelida pela própria supergigante vermelha. O "Grande Escurecimento da Betelgeuse", como passou a ser conhecido, foi um fenómeno que …

Entre cursos de água e "kahns", a Alemanha ainda alberga uma minoria étnica de língua eslava

As nações europeias nasceram e desvaneceram ao longo do tempo, mas há uma minoria étnica de língua eslava que permanece dentro da Alemanha. Lehde é uma pacata vila, com cerca 150 habitantes, de ilhas pantanosas interligadas …

Itália 3-0 Suíça | Squadra Azzurra volta a ganhar e a encantar

A Itália tornou-se hoje a primeira seleção a garantir o apuramento para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer a Suíça por 3-0, em encontro da segunda jornada do Grupo A, disputado …

Sony apresenta o seu primeiro drone, o Airpeak S1

Há algum tempo que a Sony planeava lançar um drone, agora, é oficial. A empresa de tecnologia apresentou um drone chamado Airpeak S1 que será, muito provavelmente, o primeiro de muitos. A Sony anunciou oficialmente o …

Candidaturas a astronauta da Agência Espacial Europeia encerram na sexta-feira

Os candidatos têm de ter, pelo menos, um mestrado e experiência profissional, serem fluentes em inglês e ter mais de 1,30 metros.  O prazo para apresentação de candidaturas a vagas para novos astronautas da Agência Espacial …

Dois meses no escuro. Valentina Miozzo passou a quarentena sozinha no Ártico

A pandemia de covid-19 foi um duro golpe de solidão forçada para a maioria das pessoas, mas para a italiana Valentina Miozzo foi a oportunidade perfeita para usufruir de alguns momentos a sós. A meio da …