Gado na UE produz 704 milhões de toneladas de CO2 (mais do que todos os transportes juntos)

(dr) Envato Elements

De acordo com uma nova análise da Greenpeace, animais de criação como vacas, porcos e outros, estão a emitir mais gases com efeito de estufa na Europa do que todos os transportes juntos.

Na última década, o aumento da produção de carne e de laticínios na Europa fez com que a agricultura se tornasse numa fonte muito maior de emissões. Embora alguns países tenham priorizado a energia renovável e o transporte nas suas políticas climáticas, as iniciativas para reduzir o impacto da alimentação e da agricultura no clima ficaram descuradas.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, em 2018, o gado da União Europeia foi responsável pelo equivalente a cerca de 502 milhões de toneladas de dióxido de carbono, sobretudo devido ao metano que libertam. Estes números são comparáveis com os 656 milhões de toneladas de dióxido de carbono libertados pelos transportes que circulam na Europa no mesmo ano.

De acordo com estes números, até parece que os transportes são mais poluidores, mas quando as emissões indiretas dos gases provenientes da pecuária são calculadas, os números totais aumentam e são equivalentes a 704 milhões de toneladas de dióxido de carbono. Os cálculos são apresentados num novo relatório da Greenpeace intitulado Farming for Failure, publicado no dia 22 de setembro.

A produção de carne e laticínios na União Europeia aumentou 9,5% entre 2007 e 2018, o que de acordo com o Greenpeace se traduziu num aumento nas emissões anuais de 6%, ou seja, cerca de 39 milhões de toneladas – o que é equivalente a colocar 8,4 milhões de novos carros na estrada.

Se estes aumentos continuarem, a UE tem pouca probabilidade de cumprir as suas obrigações de reduzir os gases de efeito estufa, de acordo com o que está estipulado no acordo de Paris. Na semana passada, a UE reforçou as suas metas de redução de emissões, anunciando uma meta de cortes de 55% até 2030.

Marco Contiero, diretor de política agrícola da Greenpeace, disse que os países devem controlar as emissões da pecuária ou correm o risco de enfrentar uma grande falha nas metas de redução. “A ciência é clara, os números também. A única maneira de reduzir as emissões aos níveis necessários é diminuir o número de animais”.

Um corte de metade da pecuária intensiva iria reduzir cerca de 250 milhões de toneladas de emissões de dióxido de carbono por ano – revela o The Guardian.

A Greenpeace apela ao fim dos subsídios públicos para a criação de animais em grande escala, que são entregues aos produtores no âmbito da política agrícola comum da União Europeia – a organização defende que este seria um grande passo a dar neste problema.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Fim dos subsídios para criação de animais?? Pois deveriam era acabar com os animais para esses senhores da Grinprise passar a comer erva. Quero dizer *erd@!

  2. É preciso as pessoas começarem a perceber que o corpo humano funciona melhor com dieta vegetariana (vejam o documentário Netflix “the game changer”). Para além disso, a redução do consumo de carne tem impactos favoráveis no meio ambiente e na descarbonizacão que o planeta precisa nesta fase. Não adianta andarmos armados em macacões a atacar quem tem juízo.

RESPONDER

Ir à escola, viajar e assistir a espetáculos. As exceções à proibição de circulação entre concelhos

No final do último Conselho de Ministros, na semana passada, o Governo anunciou a proibição de circulação entre concelhos entre as 0h de 30 de outubro e as 6h de 3 de novembro, englobando o …

País Basco em confinamento, Bélgica quer transferir doentes para os Países Baixos e França "perdeu o controlo"

Numa altura em que a Europa volta a ser epicentro da pandemia de covid-19, o País Basco decretou o confinamento da população e França considera impor a mesma medida. Com falta de camas, Bélgica pediu …

"Dia histórico". Senado confirma nomeação de Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal dos EUA

O Senado norte-americano confirmou segunda-feira à noite a juíza Amy Coney Barrett para o Supremo Tribunal dos Estados Unidos, o que representa uma vitória política para o Presidente Donald Trump a poucos dias das eleições …

Os olhos das corujas podem ter uma "lente" que melhora a visão noturna

As corujas capturam as suas presas durante a noite. Uma nova investigação sugere que há algo de especial na forma como as moléculas de ADN nos olhos das corujas estão acondicionadas, uma característica que lhes …

Os extraterrestres podem estar a observar-nos à distância (em mais de 1.000 estrelas diferentes)

Da mesma forma que nós, da Terra, já detetámos vários milhares de planetas ao redor de outras estrelas, uma hipotética civilização alienígena poderia ter detetado a nossa presença. Mas de que posições no Espaço isso seria …

Afinal, o buraco negro mais próximo da Terra pode não ser um buraco negro

Um objeto identificado no início deste ano como o buraco negro mais próximo da Terra pode, afinal, não o ser. Depois de reanalisar os dados, diferentes equipas de cientistas concluíram que o sistema HR 6819 …

Rara cobra de duas cabeças e dois cérebros independentes encontrada na Florida

Uma rara cobra com duas cabeças e dois cérebros independentes foi resgatada no estado norte-americano da Florida por uma equipa de especialistas do organização Florida Fish and Wildlife Conservation Commission. Na rede social Facebook, a organização, …

Benfica 2-0 Belenenses SAD | Darwinismo rende arranque histórico

O Benfica cumpriu e venceu o Belenenses SAD por 2-0, no Estádio da Luz, na partida que encerrou a quinta jornada da Liga NOS. Foi o quinto triunfo benfiquista no campeonato em cinco partidas, o …

Uma tarefa doméstica está a poluir sorrateiramente o ambiente

O que vestimos e como lavamos as nossas roupas influencia o número de microfibras sintéticas que libertamos no meio ambiente. Há uma tarefa doméstica a poluir sorrateiramente o ambiente. Um novo artigo científico, publicado na PLOS …

A companhia aérea que faliu devido à covid-19 está de volta

A pandemia de covid-19 foi traiçoeira para muitas empresas. A Flybe, uma das primeiras vítimas, está agora a ressuscitar - e pode voltar a rasgar os céus já no próximo ano. A economia mundial foi muito …