“Temos de falar sobre o Qatar”. Futebol nórdico bate o pé à organização do Mundial de 2022

(h) FIFA

O sentimento não é exclusivo do futebol nórdico, mas é de lá que têm vindo as mais variadas formas de contestação à realização do Mundial de 2022 no Qatar.

Não é para menos. Desde que o Qatar ganhou o direito a organizar o próximo Mundial, em dezembro de 2010, que 6.500 trabalhadores da Índia, Paquistão, Nepal, Bangladesh e Sri Lanka terão morrido neste pequeno país do Golfo Pérsico.

O internacional alemão Toni Kroos classificou como “inaceitáveis” as condições laborais em vigor no Qatar. “Os imigrantes são submetidos a jornadas de trabalho contínuas, sob temperaturas de 50.º graus, não são alimentados de forma condigna e não têm acesso a agua potável”, disse num podcast, em março deste ano.

No arranque da qualificação para o Campeonato do Mundo, jogadores da Noruega e da Alemanha exibiram t-shirts com mensagens de alerta para a situação vivida no país.

Esta semana, foi o internacional finlandês Tim Sparv a chamar a atenção para o que se está a passar. “Para qualquer pessoa que simplesmente se preocupa com os direitos humanos, continue a falar sobre o Campeonato do Mundo do Qatar”, lê-se na carta aberta publicada no The Players’ Tribune.

“Continue a discussão. Continue a expressar o seu apoio aos trabalhadores migrantes. Escreva, tweet sobre eles. Publique declarações. Fale. Coloque mais pressão sobre o Qatar e a FIFA”, prosseguiu.

Sparv diz que sabe que está a escrever esta mensagem tarde de mais e, que se o tivesse feito há mais anos, até “poderia ter salvado vidas”.

O seu colega de seleção Riku Riski até recusou participar num estágio com a Finlândia no Qatar, por razões éticas.

“Não sou um especialista, mas enquanto capitão da Finlândia eu sei que em breve poderei estar a jogar em estádios que custaram a vida a trabalhadores”, lamentou Sparv.

Agora, a federação sueca de futebol (SvFF), que costuma organizar um campo de treinos no Qatar durante o mês de janeiro, anunciou que este ano não o vai fazer.

Numa declaração no seu site oficial, a SvFF anunciou que após uma reunião com os treinadores da Allsvenskan, a principal divisão da Suécia, e com os representantes da liga, ficou “expressa a opinião unânime que o estágio não deve acontecer em Doha nos próximos anos”.

Sem o acordo dos clubes, não há jogadores dispensados para a seleção, realça a Tribuna Expresso.

  Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Muito bem!!
    É o Mundial de Futebol no Quatar, Jogos Olímpicos na China, F1 nos Emirados/Dubai/Arábia Saudita, etc, etc – tudo ditaduras manhosas onde não há direitos humanos e que “compram” eventos internacionais para se promoveram – enquanto o resto do mundo olha para o lado!…

  2. Exatamente, finalmente estamos a abrir os olhos desta podridão, temos que começar a pensar na realidade em que nós é que sustentamos os nossos inimigos, essas ditaduras/comunistas/fachistas. Neste caso o que é que o Qatar têm de seguenificado para o futebol, quando nós os europeus que é onde está o futebol mundial, ficamos a ver lá para as 6 ou 4 da manhã o futebol LOL… como o que eu vi num documentário sobre os trabalhadores no Qatar, digo-vos era como o holocausto, morre este vêm outro, tiravam os passaportes etc.

  3. Países que não respeitam os direitos das mulheres não deveriam ter direito a protagonismo com eventos mundiais. Infelizmente o dinheiro tem um efeito anestesiante em alguns dirigentes.

RESPONDER

Kim Jong-Un quer criar "exército invencível" para proteger a Coreia do Norte

Kim Jong-un promete construir um "exército invencível" face ao que diz serem políticas hostis dos Estados Unidos. Ainda assim, o líder norte-coreano garante que o país não procura “guerra com ninguém”. As declarações do líder da …

PSP da Figueira da Foz efetuou maior apreensão de droga em 20 anos

Cerca de 20 quilogramas (kg) de haxixe, quase 16 kg de liamba e cocaína para 3.395 doses foram apreendidos pela PSP da Figueira da Foz, na maior apreensão de droga em 20 anos. A droga apreendida …

Empresa alemã explodiu o seu próprio foguetão

A Rocket Factory Augsburg (RFA), uma startup alemã, terminou recentemente um teste de pressão criogénica destrutiva a um dos seus foguetões - o RFA One. A Rocket Factory Ausgburg realizou um teste a um dos seus …

Visitas hospitalares devem apresentar certificado digital ou teste negativo

Quem visitar um doente internado ou acompanhar um utente nos serviços do SNS vai ter de apresentar o certificado digital ou um resultado negativo de um teste à covid-19, segundo uma orientação da Direção-Geral da …

Medina renuncia a cargo de vereador para facilitar a vida a Moedas

Numa carta enviada à Assembleia Municipal, Fernando Medina afirma que a sua saída ajuda ao funcionamento do executivo municipal de Carlos Moedas, novo presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Depois de uma derrota inesperada na …

Resposta britânica à pandemia foi "dos maiores fracassos de sempre"

Um relatório do Parlamento britânico sobre a gestão pandémica no Reino Unido arrasa os esforços do executivo britânico no sentido de impedir a propagação do vírus no início da pandemia. Segundo a visão dos parlamentares, a …

PGR abre inquérito a caso de jovem agredido no Porto que acabou por morrer

A Procuradoria-Geral da República (PGR) abriu um inquérito para investigar o caso do rapaz de 23 anos que foi espancado na Baixa do Porto, na madrugada de domingo, e que acabou por morrer no hospital, …

Podia ser anedota, mas não é: equipa marcou 4 auto-golos, de propósito

Jogadoras de futsal do Banfield estavam a vencer por 2-0 quando decidiram perder propositadamente. Tudo a pensar nos play-offs. Quem abrir este artigo e analisar este vídeo, pode pensar que isto foi filmado propositadamente para os …

Portugal vai receber 6,1 milhões de vacinas até ao final do ano

Portugal vai receber cerca de 6,1 milhões de vacinas contra a covid-19 até final do ano, dispondo de doses suficientes para voltar a vacinar toda a população, caso seja necessário, anunciou hoje o coordenador da …

Objeto de Hamilton. Galáxia "dupla" intrigou astrónomos durante anos

O nosso Universo esconde vários objetos estranhos, desde estrelas em explosão a galáxias em colisão. O Hubble encontrou o que parece ser um par de objetos idênticos, tão estranhos que os astrónomos demoraram vários anos …