Funcionários das fábricas de roupa da Etiópia são os mais mal pagos no mundo

Os funcionários das fábricas de roupas da Etiópia – que produzem items para marcas de moda como a Guess, a H&M e a Calvin Klein -, são os mais mal pagos do mundo, recebendo apenas 26 dólares (cerca de 23 euros) por mês, segundo um relatório divulgado na terça-feira.

De acordo com um relatório do Stern Center for Business and Human Rights, da Universidade de Nova Iorque (Estados Unidos), a Etiópia procura tornar-se no principal centro de manufaturação do continente africano, ganhando os trabalhadores dessa área menos de metade do salário pago a alfaiates em Bangladesh, noticiou o Phys Org.

O relatório, intitulado “Made in Ethiopia: Desafios na Nova Fronteira da Indústria do Vestuário”, mostrou que os trabalhadores notoriamente mal pagos em Bangladesh ganham 95 dólares (85 euros) por mês. No Quénia, os funcionários com as mesmas funções ganham 207 dólares (185 euros), na China 326 dólares (291 euros).

Ao invés da força de trabalho barata e flexível promovida na Etiópia, os fornecedores estrangeiros encontraram funcionários insatisfeitos com as suas condições de remuneração e habitação e cada vez mais dispostos a protestar, parando o trabalho ou até mesmo desistindo”, informou Paul Barrett, vice-diretor do centro responsável pelo relatório.

E acrescentou: “Na ânsia de criar uma marca ‘Made in Ethiopia’, o governo, as marcas globais e os fabricantes estrangeiros não conseguiram prever que o salário base era simplesmente insuficiente para os trabalhadores viverem”.

A Etiópia não tem salário mínimo oficial para o setor privado. O relatório mostrou que os trabalhadores, muitos deles jovens mulheres, receberam pouca formação e enfrentaram conflitos culturais com gerentes do sul ou do leste da Ásia.

Este relatório foi realizado no Hawassa Industrial Park, a principal unidade industrial da Etiópia e um dos cinco polos inaugurados pelo governo desde 2014, que conta com fornecedores da China, da Índia e do Sri Lanka. Cerca de 25 mil pessoas trabalham no local na área da produção de roupa, um número que deve crescer para cerca de 60 mil.

A Etiópia é o segundo país mais populoso da África, com cerca de 105 milhões de pessoas que ainda sobrevivem da agricultura e enfrentam as secas e a pobreza.

O governo espera que as exportações de vestuário passem de 145 milhões de dólares (cerca de 130 milhões de euros) por ano para cerca de 30 mil milhões (27 mil milhões de euros), número que o relatório acredite ser “irreal”, visto que os baixos salários levaram a baixa produtividade, greves regulares e altas taxas de desgaste.

O relatório mostrou ainda que as fábricas substituíram todos os seus trabalhadores, em média, a cada 12 meses em média. O Stern Center for Business and Human Rights pediu ao governo etíope que estabelecesse um salário mínimo e elaborasse um plano económico de longo prazo para fortalecer a indústria do vestuário.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Friends: regresso da série está em negociações

De acordo com o The Hollywood Reporter, encontram-se a decorrer negociações que podem levar a uma reunião da série intemporal Friends. Este retorno seria um trunfo exclusivo da plataforma HBO Max, que ainda não foi …

NASA rebatiza Ultima Thule. Antigo nome foi associado ao nazismo

O nome do Ultima Thule deu polémica e a NASA decidiu mudá-lo. A controvérsia surgiu pelo nome dado inicialmente ao mundo gelado do Cinturão de Kuiper estar vinculado à ideologia nazi. O anúncio foi feito esta …

Vídeo mostra orcas a perseguirem tubarões-brancos na África do Sul

O tubarão-branco é visto como o maior predador dos oceanos. Mas um novo vídeo mostra que nem este animal está assim tão seguro, sendo na verdade uma presa para outras espécies. De acordo com o Science …

Descoberta a primeira vespa polinizadora da época dos dinossauros

Uma equipa de cientistas encontrou a primeira vespa polinizadora (prosphex anthophilos), que conviveu com dinossauros há cerca de 100 milhões de anos. O animal foi encontrado num fragmento de resina fossilizada em Mianmar, na Birmânia, segundo …

China está a vender drones assassinos ao Médio Oriente

A China está a vender drones capazes de matar automaticamente, sem necessidade de controlo humano. Os seus principais clientes serão a Arábia Saudita e o Paquistão. Segundo o site Defense One, uma empresa chamada Ziyan está …

Aumento da temperatura pode vir a matar 1,5 milhões de indianos por ano

Se as emissões globais de gases de efeito de estufa não forem interrompidas, cerca de 1,5 milhões de indianos podem vir a morrer anualmente até 2100 devido ao aumento das temperaturas. Os números contam de …

O vencedor do Tour de France, Egan Bernal, pode ter beneficiado de uma vantagem genética

O ponto de viragem da Tour de France deste verão ocorreu no alto de uma montanha nos Alpes franceses. Foi o resultado de anos de treinamento e, de acordo com um estudo divulgado na segunda-feira, …

Mina Chang utilizou uma capa falsa da Time no CV e conseguiu chegar ao Governo de Trump

Mina Chang, vice-secretária adjunta do Gabinete de Operações de Conflitos e Estabilização do Departamento de Estado dos Estados Unidos, mentiu no seu currículo para conseguir alcançar um lugar no Governo de Donald Trump. De acordo com …

Jovem norueguesa controla 450 perfis no Instagram para tentar evitar suicídios

Uma norueguesa de 22 controla 450 perfis privados no Instagram para tentar evitar suicídios, conta a emissora britânica BBC, revelando ainda que a jovem recebeu já o apelido de "salva-vidas" devido ao trabalho que leva …

Espanha vai tentar exumar 31 corpos que se encontram no Vale dos Caídos

As autoridades espanholas vão tentar exumar 31 dos milhares de corpos de pessoas enterradas no Vale dos Caídos, um grande mausoléu onde esteve enterrado o ditador Francisco Franco até ao mês passado. Segundo a agência Associated …