Funcionários das fábricas de roupa da Etiópia são os mais mal pagos no mundo

Os funcionários das fábricas de roupas da Etiópia – que produzem items para marcas de moda como a Guess, a H&M e a Calvin Klein -, são os mais mal pagos do mundo, recebendo apenas 26 dólares (cerca de 23 euros) por mês, segundo um relatório divulgado na terça-feira.

De acordo com um relatório do Stern Center for Business and Human Rights, da Universidade de Nova Iorque (Estados Unidos), a Etiópia procura tornar-se no principal centro de manufaturação do continente africano, ganhando os trabalhadores dessa área menos de metade do salário pago a alfaiates em Bangladesh, noticiou o Phys Org.

O relatório, intitulado “Made in Ethiopia: Desafios na Nova Fronteira da Indústria do Vestuário”, mostrou que os trabalhadores notoriamente mal pagos em Bangladesh ganham 95 dólares (85 euros) por mês. No Quénia, os funcionários com as mesmas funções ganham 207 dólares (185 euros), na China 326 dólares (291 euros).

Ao invés da força de trabalho barata e flexível promovida na Etiópia, os fornecedores estrangeiros encontraram funcionários insatisfeitos com as suas condições de remuneração e habitação e cada vez mais dispostos a protestar, parando o trabalho ou até mesmo desistindo”, informou Paul Barrett, vice-diretor do centro responsável pelo relatório.

E acrescentou: “Na ânsia de criar uma marca ‘Made in Ethiopia’, o governo, as marcas globais e os fabricantes estrangeiros não conseguiram prever que o salário base era simplesmente insuficiente para os trabalhadores viverem”.

A Etiópia não tem salário mínimo oficial para o setor privado. O relatório mostrou que os trabalhadores, muitos deles jovens mulheres, receberam pouca formação e enfrentaram conflitos culturais com gerentes do sul ou do leste da Ásia.

Este relatório foi realizado no Hawassa Industrial Park, a principal unidade industrial da Etiópia e um dos cinco polos inaugurados pelo governo desde 2014, que conta com fornecedores da China, da Índia e do Sri Lanka. Cerca de 25 mil pessoas trabalham no local na área da produção de roupa, um número que deve crescer para cerca de 60 mil.

A Etiópia é o segundo país mais populoso da África, com cerca de 105 milhões de pessoas que ainda sobrevivem da agricultura e enfrentam as secas e a pobreza.

O governo espera que as exportações de vestuário passem de 145 milhões de dólares (cerca de 130 milhões de euros) por ano para cerca de 30 mil milhões (27 mil milhões de euros), número que o relatório acredite ser “irreal”, visto que os baixos salários levaram a baixa produtividade, greves regulares e altas taxas de desgaste.

O relatório mostrou ainda que as fábricas substituíram todos os seus trabalhadores, em média, a cada 12 meses em média. O Stern Center for Business and Human Rights pediu ao governo etíope que estabelecesse um salário mínimo e elaborasse um plano económico de longo prazo para fortalecer a indústria do vestuário.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

43% das escolas no mundo sem condições de higiene para reabertura segura

Mais de 40% das escolas no mundo não têm acesso a condições básicas de higiene, como água para lavar as mãos e sabão, aumentando os riscos de reabertura no contexto da pandemia de covid-19, alertam …

Mais seis mortes, 325 novos casos e 237 recuperados

Portugal regista esta quinta-fira mais seis mortes por covid-19, 325 novos casos de infeção e mais 237 pessoas dadas como recuperadas em relação a quarta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo …

"Filme fantástico". Novo livro revela cartas entre Kim Jong-un e Donald Trump

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, qualificou o seu relacionamento com o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como um “filme fantástico”, segundo os editores de um livro a ser publicado, que revela a correspondência entre …

Grupo avisa Bruxelas que Portugal pode tornar-se ilha ferroviária na Europa

Um grupo de portugueses ligados ao setor ferroviário alertou a comissária europeia dos Transportes para a possibilidade de Portugal se tornar uma ilha ferroviária na Europa devido ao atraso em adotar "a bitola europeia" nas …

China encontra traços do coronavírus em asas de frango importadas do Brasil

Traços do novo coronavírus foram encontrados em asas de frango importadas do Brasil, na cidade de Shenzhen, no sul da China, noticiou, esta quinta-feira, um jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC). Os traços foram detetados …

Denúncia de Rui Pinto leva a congelamento de conta bancária da Doyen

Oito milhões de euros que estavam numa conta bancária do fundo de investimento Doyen foram congelados pelas autoridades portuguesas. Uma denúncia do whistleblower português Rui Pinto levou o fundo a ser investigado por suspeitas de fraude …

Preocupado com a Bielorrúsia, Macron ligou a Putin (e aproveitaram para falar da vacina russa)

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manifestou esta quarta-feira ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, "uma preocupação muito grande" quanto à situação na Bielorrússia após a reeleição do chefe de Estado autoritário bielorrusso, Alexander Lukashenko. Segundo indicou …

Obras do Hospital Militar de Belém custaram mais do triplo do valor estimado

As obras no Hospital Militar de Belém, em Lisboa, custaram mais do valor inicialmente estimado, avançou o Diário de Notícias esta quarta-feira. De acordo com o jornal, estava inicialmente previsto que a reabilitação de três …

Autópsia a Valentina revela descolamento do crânio

A autópsia a Valentina, a menina de 9 anos encontrada morta na serra D’el Rei, em Peniche, distrito de Leiria, em meados de maio, revela descolamento do crânio, avança esta quinta-feira o Correio da Manhã. …

Rio pede "coerência" na lotação do Avante e faz comparação com estádios

O líder do PSD pronunciou-se sobre a lotação da festa do Avante, lembrando que, se for reduzida para metade, isso é o mesmo que os estádios do FC Porto ou do Sporting estarem cheios. Na sua …