Freira processa Igreja Católica depois de ser violada no convento e engravidar

(dr) TVN

A Irmã Francisca foi violada no convento por um homem que fazia obras de restauro no local

A Irmã Francisca foi violada no convento por um homem que fazia obras de restauro no local

Quando pediram à irmã Francisca que tratasse da alimentação de um grupo de homens que faziam o restauro do convento onde vivia enclausurada, no coração de Santiago, no Chile, a religiosa não fazia ideia do que isso mudaria a sua vida.

A irmã Francisca resume o que ocorreu em 3 palavras: “Começou o meu calvário“, conta a emissora local chilena de televisão TVN.

Tudo ocorreu quando, em 2012, a madre superiora autorizou um grupo de homens a dormir no convento onde trabalhavam. Francisca cuidava deles. Um dia, aproveitando um momento em que se encontrava mal disposta, conta a irmã Francisca, um dos homens, Hernán Rios Valdivia, levou-a para um dos quartos e violou-a.

“Foi um golpe assustador, que mudou a minha vida”, recorda a religiosa. Traumatizada e com medo de que ninguém acreditasse na história, a irmã Francisca não contou a ninguém o que tinha acontecido. “Como mulher, senti-me incapaz de falar, com medo de que não acreditassem em mim. E preferi ficar quieta”, diz.

Mas, três meses depois do ataque, descobriu que estava grávida. No convento, a notícia não foi muito bem recebida. “Fui caluniada, disseram que era culpada e que o tinha feito de propósito”, conta a freira.

“Implorei, disse que estava inocente. As minhas irmãs foram muito cruéis comigo.” Desde então, a madre duperiora do convento passou a pressioná-la para que deixasse o hábito e assinasse uma demissão “voluntária” da ordem. No entanto, Francisca recusou-se.

Como ninguém acreditou na sua versão – até chegaram a acusá-la de roubo, de acordo com o seu testemunho – Francisca decidiu deixar o convento.

Denúncias à Justiça

Com a ajuda de ONGs, Francisca deu a sua criança para adopção e denunciou na Justiça o que tinha acontecido. Em novembro de 2015, Rios Valdivia foi condenado por violação.

No entanto, a irmã Francisca diz que isso não foi suficiente para que pudesse viver em paz. “Tive que me calar, tive que fingir que estava tudo bem, tive que engolir as minhas lágrimas e tive que esconder coisas que me aterrorizavam”, conta Francisca.

A religiosa culpa uma instituição que considerava a sua “única família” e a abandonou, “a igreja, que sempre defendi como um leoa”, e processou a arquidiocese de Santiago e Ordem das Clarissas Capuchinhas.

A resposta da igreja

Segundo os seus assessores o arcebispo de Santiago, Ricardo Ezzati, não conhece o caso. “O bispo não entra em detalhes da vida interna, comum e quotidiana das freiras“, diz Jorge Concha, bispo auxiliar de Santiago, entrevistado pela TVN.

A principal diocese da Igreja Católica no Chile diz que soube do caso apenas depois de ter recebido a notificação do processo civil e que, anteriormente, nunca tinha sido informada pela vítima ou pela madre superior.

Francisca duvida desta versão. Garante que advogados da arquidiocese a visitaram anteriormente, e que reuniram com as “suas irmãs” para discutir a sua renúncia. “Senti-me extremamente intimidada”, diz a irmã.

O Vaticano não comentou o caso.

ZAP // BBC / TVN

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. É simples: acabar já com as confissões religiosas que fazem com que as pessoas ainda vivam na idade média. Acabar com o parasitismo social – pelo menos já a este nível.

RESPONDER

Cientistas revertem casos de Diabetes tipo 2

Num novo estudo, cientistas bloquearam a proteína VDAC1 nas células que produzem insulina e conseguiram reverter casos de Diabetes tipo 2. Os investigadores também conseguiram mostrar que é possível prevenir o surgimento da doença. O estudo, …

Brexit. May diz que acordo “ainda é possível”, mas divergência que resta é “frustrante”

A primeira-ministra britânica, Theresa May, admitiu esta segunda-feira que "ainda é possível" um acordo que permita uma saída ordeira do Reino Unido da União Europeia, mas a divergência que resta com Bruxelas é "frustrante. Numa declaração …

Abrandamento económico pode dificultar consolidação orçamental em Portugal

A agência de notação financeira Fitch reconhece a "trajetória firme de descida" da dívida pública portuguesa, mas adverte que o abrandamento da economia e as pressões sobre o investimento poderão dificultar a consolidação orçamental nos …

Cinco detidos na Turquia após morte de 22 migrantes em acidente de viação

Cinco pessoas foram esta segunda-feira detidas na província de Izmir, no sudoeste da Turquia, após um acidente de viação que matou no domingo 22 imigrantes, incluindo crianças, informou a agência turca estatal Anadolu. Entre os detidos …

Celebridade chinesa da internet detida por "desrespeitar" hino da China

A lei do Hino, aprovada no ano passado, prevê detenções até 15 dias ou prisão até três anos para quem cantar a Marcha dos Voluntários de forma "distorcida ou desrespeitosa", em público. Uma celebridade da internet …

Ex-presidente do BPP condenado a cinco anos de prisão

O antigo presidente Banco Privado Português (BPP) João Rendeiro foi esta segunda-feira condenado a cinco anos de prisão por falsidade informática e falsificação de documentos. O fundador do banco poderá ver a pena ser suspensa …

Seis aviões comerciais avistam OVNIs no Chile

Pelo menos seis aviões comerciais — cinco deles da Latam Chile e um da Copa Airlines — comunicaram ao Comité de Estudos de Fenómenos Aéreos Anómalos (CEFAA) o avistamento de objetos voadores não identificados no …

Príncipe Harry e Meghan Markle vão ser pais

O príncipe Harry e a duquesa de Sussex, Megan Markle, estão à espera do primeiro filho. O bebé deverá nascer na primavera, anunciou esta sgeunda-feira o Palácio de Kensington, em comunicado. Megan Markle, a duquesa de …

Carros autónomos chegam hoje às estradas portuguesas

Esta segunda-feira vão começar os primeiros testes a carros autónomos nas estradas portuguesas. A A9/CREL - Circular Regional Externa de Lisboa -, em Lisboa, servirá de teste para as fabricantes. Em parceria com a Brisa e …

Portugueses querem a mesma hora durante o ano inteiro

O resultado de uma sondagem recente revela que a maioria dos portugueses prefere ter a mesma hora durante o ano inteiro, um resultado que vai ao encontro dos resultados do inquérito da Comissão Europeia. O resultado …