França proíbe pigmentos e revolta tatuadores

Bob Prosser / Flickr

-

A decisão das autoridades francesas, por razões ligadas à protecção da saúde pública, de proibir dezenas de pigmentos coloridos utilizados em tatuagens , está a ser fortemente contestada por profissionais e clientes, que afirmam recear “o fim desta arte” no país.

A polémica surgiu com o decreto do Ministério da Saúde promulgado a pedido da Agência Nacional de Segurança do Medicamento, que proibiu o uso de 59 corantes de um total de 153 utilizados em produtos cosméticos e tintas de tatuagens.

O assunto tem estado em discussão pelas autoridades de saúde desde 2011.

Segundo a agência francesa, trata-se de uma medida de precaução, já que não há estudos que pudessem provar a segurança desses corantes.

“Como as tatuagens não representam nenhum benefício para o consumidor, elas também não deveriam representar um risco”, afirma o Ministério francês da Saúde.

Para os tatuadores, no entanto, não há provas científicas de que os corantes proibidos representem um risco à saúde.

Assinaturas

Os tatuadores conseguiram entretanto o apoio dos clientes e conseguiram reunir 150 mil assinaturas numa petição para cancelar a proibição de quase 40% dos corantes utilizados em tatuagens.

“O governo evoca o princípio de precaução e, ao mesmo tempo, permite a venda de cigarros”, diz Tin-Tin, presidente do sindicato francês de artistas tatuadores (SNAT, na sigla em francês) e considerado uma “estrela” entre os tatuadores franceses.

philippe leroyer / flickr

-

“Os profissionais correm o risco de ter de fechar as suas lojas. Isso vai beneficiar os tatuadores clandestinos, que trabalham em casa e compram pigmentos chineses, sem nenhum controle sanitário, e que não sofrem nenhuma inspecção”, afirma Tin-Tin.

Segundo ele, os cerca de 4 mil tatuadores oficiais em França utilizam pigmentos fabricados no exterior, principalmente nos Estados Unidos, vendidos em França de acordo com a legislação e com total rastreabilidade.

“O risco zero não existe, mas em 30 anos de profissão soube apenas de alguns raros casos de alergias graves. Se houvesse risco de vida com as tatuagens, isso já seria conhecido”, argumenta Tin-Tin.

As autoridades ressaltam que apesar da proibição de 59 corantes, que reúnem diferentes tonalidades de cores diversas, permanece autorizado em França “o uso de 27 corantes vermelhos, 13 brancos e laranjas, 12 amarelos, 6 pretos, 3 violetas e 3 castanhos”.

“Esses pigmentos que continuam autorizados são tão fotossensíveis que o resultado são cores pálidas”, afirma o tatuador Tin-Tin.

O sindicato dos dermatologistas de França ressalta que as cores em geral provocam mais alergias do que o preto. O vermelho, de acordo com os médicos, é uma das cores mais “perigosas” em tatuagens por conter diferentes elementos químicos.

De maneira geral, as tintas podem conter metais tóxicos (cobalto, cromo e cobre) e também hidrocarbonetos, derivados do petróleo, afirmam os dermatologistas franceses.

Para tentar encerrar a polémica, o governo francês ressaltou na semana passada que a maioria dos corantes continuarão autorizados e que a proibição parcial não representa o fim das tatuagens multicoloridas em França.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de beberem desinfetante para as mãos

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de ingerirem desinfetante para as mãos à base de álcool, revelou um relatório do Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) do país esta quarta-feira publicado. De …

Jim Hackett deixa a Ford após três anos de liderança

Ao fim de três anos como CEO da Ford, Jim Hackett será substituído por Jim Farley. Um mandato que fica marcado por problemas financeiros, de produção e pela morte dos três volumes e utilitários. O mandato …

Covid-19: Portugal tem mais 186 casos e quatro pessoas morreram desde sexta-feira

Portugal regista hoje mais quatro mortos e 186 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sexta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o relatório da DGS sobre a situação …

Versão americana da Eurovisão chega em 2021

O Festival Eurovisão da Canção — o maior espetáculo de entretenimento televisivo do mundo — vai chegar aos Estados Unidos no final do próximo ano. A novidade foi divulgada, esta sexta-feira (7), em comunicado oficial. A …

Contratações na TVI após apoios financeiros "suscitam preocupação"

O professor universitário e ex-ministro Miguel Poiares Maduro manifestou "preocupação" relativamente às contratações na TVI, da Media Capital, grupo que beneficia do apoio do Estado, através da compra antecipada de publicidade institucional. Em entrevista à Lusa, …

Invocando Sá Carneiro, Miguel Albuquerque também defende diálogo entre PSD e Chega

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, defendeu que o PSD deve dialogar com vários partidos, incluindo o Chega de André Ventura. Depois de Rui Rio admitir em entrevista à RTP que poderá vir …

Sobe para 18 o número de mortos no acidente de avião na Índia

As autoridades indianas atualizara para 18 o número de mortes no acidente com o avião da Air India Express, que voava do Dubai para Kozhikode, no sul da Índia, e que se partiu em dois …

Luz verde para reabertura de centros de dia. DGS sugere dois metros de distância entre idosos

Os centros de dia vão poder reabrir a partir de 15 de agosto, mas de forma faseada e condicionados a uma avaliação prévia da Segurança Social e entidade de saúde local sempre que funcionem juntamente …

Vacina russa para a covid-19 preocupa cientistas. País pode estar a saltar etapas

Países de todo o mundo continuam na corrida por uma vacina contra a covid-19. A Rússia diz estar prestes a anunciar a vacina, deixando preocupada a comunidade científica, ao passo que Itália avança para os …

Bastonário dos Médicos sugere uso obrigatório de máscara na rua (e em todo o país)

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, sugere que o Governo pondere decretar o uso obrigatório de máscara no espaços exteriores de todo o país, à semelhança do que fez a Região Autónoma da …