15 anos. França fixa idade para consentimento sexual

O Governo francês está a preparar-se para estabelecer a idade mínima de consentimento sexual para os 15 anos, anunciou esta semana a ministra para a Igualdade.

A “decisão do Governo em definir essa idade nos 15 anos”, referiu Marlène Schiappa na segunda-feira, tem lugar depois de consultas públicas e tem em conta as recomendações de um painel de especialistas chamados a pronunciarem-se sobre o assunto, revela o semanário Expresso esta quarta-feira.

A questão ganhou espaço e destaque no debate público quando alguns ativistas e deputados criticaram o facto de a legislação francesa ter permitido que dois homens que tiveram sexo com menores de idade evitassem acusações formais de violação de crianças.

À luz das atuais leis, qualquer ato sexual entre um adulto e uma criança com menos de 15 anos pode ser julgado como uma ofensa sexual; contudo, para que o adulto seja acusado de violação, o Ministério Público tem de provar que a criança foi forçada a ter sexo – uma questão mais complicada quando envolve pré-adolescentes que estão a despertar para a sua sexualidade mas que, ao mesmo tempo, ainda não têm maturidade suficiente para definirem os seus próprios limites nem para terem uma noção clara de consentimento.

O tema entrou no debate público em novembro, quando um homem de 30 anos foi absolvido do crime de violação de uma criança de onze anos depois de o tribunal ter determinado que a menor não foi sujeita a qualquer “constrangimento, ameaça, violência ou surpresa”.

O outro caso que contribuiu para a decisão do Ministério da Igualdade envolve outra menina de onze anos e um homem de 29 que foi julgado por ter tido sexo com uma menor em vez de enfrentar acusações de violação, algo que enfureceu a família da vítima.

Vários deputados e grupos de proteção infantil exigiam ao Governo, desde o ano passado, que aumentasse a idade mínima de consentimento sexual, sugerindo que França deveria seguir o exemplo da maioria dos países europeus, onde varia entre os 13 e os 15 anos.

Schiappa disse estar “muito satisfeita” com a decisão de se limitar o consentimento aos 15 ou mais anos, como recomendado por um painel de médicos e especialistas judiciais. A nova idade legal para consentir relações sexuais está integrada num pacote mais alargado de medidas para acabar com o sexismo e a violência sexual em França, pacote esse que deverá ser aprovado pelo Governo de Emmanuel Macron até ao final deste mês.

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Acho bem, aos 15 anos a maior parte delas já sabem mais da poda que o frustrado de massamá de administração pública, não inclui segurança social (leia-se impostos a pagar e subsídios).

  2. Tenho a opinião, e não mais do que opinião, que a lei francesa é equilibrada. Tive notícia dum caso, passado numa importante cidade transmontana, em que uma família alugou um quarto da sua vivenda a um cidadão de quarenta e tantos anos, que ali foi colocado num “serviço do Estado”, portanto na qualidade de funcionário público. O seu serviço ocorria de tarde e à noite e tinha por hábito levantar-se à 11 horas da manhã. Ao fim do segundo mês de estadia, uma menina de 12 anos, filha da família, sempre que o seu horário escolar o permitia, começou a bater-lhe à porta do quarto logo que os pais saíam de casa e, em trajes menores mas ousados, atirava-se por cima dele esfregando os seus órgãos genitais no corpo do homem que, assustado, teve ainda assim o bom senso de colocar o seu telemóvel a gravar o que se passava quando passou da primeira vez. À quarta ou quinta vez, foi ter com o pai da menor e, chamando-o de parte, deu-lhe a escutar os tons e os sons dos atos dela, dizendo que se ia embora porque não queria sarilhos e menos ainda qualquer “comércio” com pessoas daquela idade. O pai mostrou espanto e, chamando a filha, confrontou-a com os fatos, ao que ela alegou que era o hóspede que a chamava. Só que os sons e os tons apontavam noutro sentido. O pai pediu desculpas e disse ao funcionário que partisse descansado que o caso morreria ali. Moral da história: a rapariga/menina tinha já desejos libidinosos que não conseguia controlar e começou a atacar quem
    supunha ser seguro. Se o caso tivesse chegado ao conhecimento das autoridades e os pais não fossem honestos, provavelmente o inocente cidadão estaria hoje preso. Creio pois que as pessoas, a partir dos 14 ou 15 anos, devem ter a possibilidade legal de consentirem e proporem atos íntimos a quem lhes aprouver, como prevê a lei francesa.

Nova Iorque alerta que só terá material médico até 5 de abril

O presidente da câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, alertou esta sexta-feira que a cidade apenas tem material médico até 5 de abril, lembrando que a 'Big Apple' é atualmente o epicentro do novo …

Cientistas determinaram como é que o cérebro controla a voz dos morcegos

Segundo um recente estudo levado a cabo por biólogos da Universidade de Frankfurt, é um circuito neuronal específico no cérebro dos morcegos que controla as suas vozes. Os morcegos são conhecidos pelo seu exímio sentido de …

Detetadas outras nove misteriosas rajadas rápidas de rádio que se repetem

Foram detetadas nove outras Rajadas Rápidas de Rádio (FRB) que se repetem entre as 700 já identificadas desde outubro de 2018 pelo projeto científico CHIME (Canadian Hydrogen Intensity Mapping Experiment), que se baseia num telescópio localizado …

"Não é completamente de loucos" pensar que há vida em Mercúrio

Há a possibilidade, ainda que pequena, de que Mercúrio, o planeta mais próximo do Sol, possa abrigar vida, concluiu uma nova investigação. "É possível que, enquanto houver água, as temperaturas [no planeta] sejam apropriadas para …

O porta-aviões mais avançado do mundo tem um problema inesperado nas suas casas de banho

O porta-aviões de propulsão nuclear USS Gerald R. Ford, o mais avançado da Marinha dos Estados Unidos, tem um problemas nas suas casas de banho, que precisam de ser lavadas com ácido regularmente. De acordo com …

Retirada dos ricos, colapso dos transportes e medo do contacto. As cidades no pós-pandemia

Mesmo depois de a pandemia do novo coronavírus diminuir e voltar a ser seguro estar com outras pessoas, a sociedade pode nunca mais ser a mesma. A atual pandemia de Covid-19 está a mudar rapidamente a …

"Quando a Alemanha disser que há eurobonds, os holandeses vão pastar para outras paragens"

Ana Gomes mostrou-se satisfeita com a atuação de António Costa e Marcelo Rebelo de Sousa durante esta pandemia. A ex-eurodeputada deixou ainda duras críticas aos holandeses, que diz irem pastar para outras paragens quando os …

Coreia do Norte diz não ter casos de covid-19 (mas terá pedido ajuda secretamente)

Apesar de negar ter casos de infeção por covid-19, o novo coronavírus oriundo da China, a Coreia do Norte terá discretamente solicitado ajuda a outros países no combate da doença. As autoridades do país asiático terão …

Seguranças chineses usam óculos inteligentes que detetam pessoas com febre

Os seguranças do Parque Hongyuan, em Hangzhou, na China, conseguem detetar a temperatura corporal de todos os visitantes à distância de até um metro. Como? Graças a uns óculos inteligentes. De acordo com o jornal South …

"O cisne negro de todos os cisnes negros". Vírus é global, mas Portugal e Itália serão mais prejudicados

A grande pandemia motivada pelo coronavírus vai ser económica, consideram especialistas que acreditam que no pós Covid-19, o mundo mudará de forma significativa em várias áreas. Certo é que a crise económica vai afectar os …