15 anos. França fixa idade para consentimento sexual

O Governo francês está a preparar-se para estabelecer a idade mínima de consentimento sexual para os 15 anos, anunciou esta semana a ministra para a Igualdade.

A “decisão do Governo em definir essa idade nos 15 anos”, referiu Marlène Schiappa na segunda-feira, tem lugar depois de consultas públicas e tem em conta as recomendações de um painel de especialistas chamados a pronunciarem-se sobre o assunto, revela o semanário Expresso esta quarta-feira.

A questão ganhou espaço e destaque no debate público quando alguns ativistas e deputados criticaram o facto de a legislação francesa ter permitido que dois homens que tiveram sexo com menores de idade evitassem acusações formais de violação de crianças.

À luz das atuais leis, qualquer ato sexual entre um adulto e uma criança com menos de 15 anos pode ser julgado como uma ofensa sexual; contudo, para que o adulto seja acusado de violação, o Ministério Público tem de provar que a criança foi forçada a ter sexo – uma questão mais complicada quando envolve pré-adolescentes que estão a despertar para a sua sexualidade mas que, ao mesmo tempo, ainda não têm maturidade suficiente para definirem os seus próprios limites nem para terem uma noção clara de consentimento.

O tema entrou no debate público em novembro, quando um homem de 30 anos foi absolvido do crime de violação de uma criança de onze anos depois de o tribunal ter determinado que a menor não foi sujeita a qualquer “constrangimento, ameaça, violência ou surpresa”.

O outro caso que contribuiu para a decisão do Ministério da Igualdade envolve outra menina de onze anos e um homem de 29 que foi julgado por ter tido sexo com uma menor em vez de enfrentar acusações de violação, algo que enfureceu a família da vítima.

Vários deputados e grupos de proteção infantil exigiam ao Governo, desde o ano passado, que aumentasse a idade mínima de consentimento sexual, sugerindo que França deveria seguir o exemplo da maioria dos países europeus, onde varia entre os 13 e os 15 anos.

Schiappa disse estar “muito satisfeita” com a decisão de se limitar o consentimento aos 15 ou mais anos, como recomendado por um painel de médicos e especialistas judiciais. A nova idade legal para consentir relações sexuais está integrada num pacote mais alargado de medidas para acabar com o sexismo e a violência sexual em França, pacote esse que deverá ser aprovado pelo Governo de Emmanuel Macron até ao final deste mês.

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Acho bem, aos 15 anos a maior parte delas já sabem mais da poda que o frustrado de massamá de administração pública, não inclui segurança social (leia-se impostos a pagar e subsídios).

  2. Tenho a opinião, e não mais do que opinião, que a lei francesa é equilibrada. Tive notícia dum caso, passado numa importante cidade transmontana, em que uma família alugou um quarto da sua vivenda a um cidadão de quarenta e tantos anos, que ali foi colocado num “serviço do Estado”, portanto na qualidade de funcionário público. O seu serviço ocorria de tarde e à noite e tinha por hábito levantar-se à 11 horas da manhã. Ao fim do segundo mês de estadia, uma menina de 12 anos, filha da família, sempre que o seu horário escolar o permitia, começou a bater-lhe à porta do quarto logo que os pais saíam de casa e, em trajes menores mas ousados, atirava-se por cima dele esfregando os seus órgãos genitais no corpo do homem que, assustado, teve ainda assim o bom senso de colocar o seu telemóvel a gravar o que se passava quando passou da primeira vez. À quarta ou quinta vez, foi ter com o pai da menor e, chamando-o de parte, deu-lhe a escutar os tons e os sons dos atos dela, dizendo que se ia embora porque não queria sarilhos e menos ainda qualquer “comércio” com pessoas daquela idade. O pai mostrou espanto e, chamando a filha, confrontou-a com os fatos, ao que ela alegou que era o hóspede que a chamava. Só que os sons e os tons apontavam noutro sentido. O pai pediu desculpas e disse ao funcionário que partisse descansado que o caso morreria ali. Moral da história: a rapariga/menina tinha já desejos libidinosos que não conseguia controlar e começou a atacar quem
    supunha ser seguro. Se o caso tivesse chegado ao conhecimento das autoridades e os pais não fossem honestos, provavelmente o inocente cidadão estaria hoje preso. Creio pois que as pessoas, a partir dos 14 ou 15 anos, devem ter a possibilidade legal de consentirem e proporem atos íntimos a quem lhes aprouver, como prevê a lei francesa.

Enfermeiros que deixem de ser chefes regressam ao início da carreira

Há enfermeiros que regressaram ao início de carreira depois de terem abandonado as suas funções de chefia, revela o jornal Público. Tal como escreve o matutino, que avança a notícia esta quinta-feira, para que estes …

"Ronaldo foi abandonado pela equipa". Imprensa italiana arrasa Juve e elogia CR7

O Lyon tirou partido do fator casa e surpreendeu a octocampeã italiana, Juventus, em França, e ganhou esta quarta-feira uma vantagem importante - embora ténue - na eliminatória com os bianconeri para a Liga dos …

Costa desaconselha viagens de finalistas. Associação de pais diz que "não vale o risco"

O primeiro-ministro, António Costa, admitiu esta quinta-feira que Portugal acabará por ter casos de coronavírus "mais cedo ou mais tarde". No entender líder do Executivo, que falava aos jornalistas em Bragança à margem da primeira …

Esquerda está contra, PSD não dá a mão. Montijo está em risco (mas "não há drama")

O ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, vai respeitar a decisão da maioria do Parlamento. "Acataremos, não há drama". Esta quarta-feira, Pedro Nuno Santos respondeu às críticas da esquerda acerca da vontade do Governo …

Reino Unido admite abandonar negociações com a União Europeia

O Governo britânico admite abandonar as negociações com a União Europeia (UE) para um acordo pós-Brexit se não houver progressos até junho, refere um documento publicado esta quinta-feira com a posição do Reino Unido. Num documento …

Bancos avisam: Proibir comissões vai levar a fecho de balcões e despedimentos

A Associação Portuguesa de Bancos (APB) é contra a proibição de comissões bancárias ou a sua limitação em valor e em número, no MB Way e nos contratos de crédito. As propostas vão ser discutidas …

Juiz Vaz das Neves usou Relação de Lisboa para ganhar 280 mil euros com julgamento privado

O juiz Luís Vaz das Neves, ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa, usou o salão nobre do tribunal para um julgamento privado com o qual ganhou 280 mil euros. De acordo com o jornal Público, …

Sergio Ramos é rei e senhor dos cartões vermelhos. Domina em todas as provas

O central Sergio Ramos foi esta quarta-feira expulso pela 26.ª vez na derrota do Real Madrid no Bernabéu frente ao Manchester City (2-1), na primeira-mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões. O futebolista espanhol …

Covid-19. Há oito novos casos suspeitos em Portugal (e vieram todos de Itália)

A Direção-Geral da Saúde confirmou 25 casos suspeitos, 18 dos quais tiveram resultados negativos depois de realizados testes laboratoriais. Nas últimas 24 horas, foram registados oito novos casos suspeitos. Dos novos casos suspeitos, cinco no Hospital …

SC Braga eliminado da Liga Europa. FC Porto e Benfica obrigados a vencer

O Sporting de Braga perdeu esta quarta-feira por 1-0 na receção aos escoceses do Rangers, em jogo da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol, sendo eliminado da competição europeia. O …