O fracasso é um “pré-requisito” para o sucesso

O fracasso é uma espécie de pré-requisito “essencial” para alcançar o sucesso, concluiu uma nova instigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos.

Segundo o novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista cientifica Nature, não basta apenas trabalhar muito e persistir para ser bem-sucedido – é também necessário falhar e aprender com os erros.

Para chegar a esta conclusão, os especialistas analisaram vários dados relacionados com experiências de sucesso e fracasso em diversos cenários.

Por exemplo, a equipa analisou 776.721 pedidos de bolsas de estudo apresentados aos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos entre 1985 a 2015, os 46 anos de investimentos em startups com capital de risco, bem como 170.350 ataques terroristas realizados entre 1970 e 2017.

Depois de analisar todos os dados, os cientistas descobriram que “todos os vencedores começam como perdedores”, frisando que quem vence e quem perde tenta o mesmo número de vezes – ou seja, o sucesso não está relacionado com a persistência após o fracasso, as antes no processo de aprendizagem.

“É preciso descobrir o que funcionou e o que não funcionou e depois concentrar-se no que precisa de ser melhorado, em vez de se debater e mudar tudo. As pessoas que falharam não trabalham necessariamente menos [do que as que tiveram sucesso]. Podem até ter trabalhado mais, mas fizeram alterações desnecessárias”, explicou Dashun Wang, professor de administração e organização na universidade norte-americana.

O modelo matemático utilizado

Os cientistas analisaram, entre outras coisas, quantas vezes um cientistas pediu um financiamento, o que foi mudando entre os pedidos e qual era o período de tempo entre um pedido e o exatamente a seguir.

No que toca às startups, tiveram em conta parâmetros como a oferta pública inicial, fusão de alto valor e aquisições. Por fim, no caso dos ataques terroristas, foi considerado como um ato bem-sucedido matar pelo menos uma pessoa, enquanto os fracassos eram avaliados como tentativas sem causalidade.

O objetivo do estudo passava por formular um “modelo matemático” explorando os “mecanismos que governam a dinâmica do fracasso”. A equipe identificou estatísticas que separavam grupos bem-sucedidos dos fracassados. Por exemplo, um indicador de sucesso era o tempo entre as tentativas fracassadas. Quanto mais rápido uma pessoa falha, melhor são as suas possibilidades de ter sucesso. Quanto mais tempo passa entre as tentativas, mais propensa fica a pessoa a falhar novamente.

Ao trabalhar com dados de tão larga escala, Wang e a sua equipa conseguiram identificar pontos críticos comuns entre as diversas tentativas falhadas, entendendo melhor qual é o caminho que leva ao fracasso e qual é o caminho que leva ao sucesso.

Segundo os cientistas, a existência destes pontos de inflexão contrariam as explicações tradicionais sobre fracasso e sucesso, que envolvem fatores como a sorte ou hábitos de trabalho. “O que estamos a mostrar com este estudo é que, mesmo na ausência destes fatores, ainda é possível ter resultados muito diferentes”, sublinhou Wang.

Na prática, e segundo defende o novo estudo, no caminho para o sucesso o que importa é como é que as pessoas falham, respondem à falha e onde é que essas falhas os levam.

De acordo com Albert-László Barabási, cientista da Universidade Northeastern, o modelo desenvolvido para esta investigação pode ser utilizado noutras pesquisas científicas.

“Existem inúmeros trabalhos que tentam entender como é que as pessoas e os produtos são bem-sucedidos. No entanto, há muito pouco entendimento sobre o papel do fracasso. O trabalho de Wang reescreve fundamentalmente a nossa compreensão do sucesso, mostrando o papel principal que o fracasso desempenha nestes processo, oferecendo finalmente uma estrutura metodológica e conceputal para colocar o fracasso onde pertence, que é dentro do cânone do sucesso”, argumenta.

O próximo passo da investigação passa por é refinar o modelo para quantificar outras características individuais e organizacionais que podem influenciar o sucesso.

PARTILHAR

RESPONDER

Estudo estima 471 mortes em Portugal até agosto (e que o pico foi atingido a 3 de abril)

De acordo com as estimativas do estudo, cerca de 151.680 pessoas vão morrer na Europa durante a "primeira vaga" da doença. Um estudo divulgado esta terça-feira nos Estados Unidos estima que a covid-19 venha a provocar …

Mais de metade da população mundial está fechada em casa

Mais de metade da população mundial (52%) está atualmente confinada nas suas casas por ordem das autoridades para combater a propagação da doença covid-19. Segundo um balanço feito pela agência France Fresse (AFP), mais de quatro …

Documentário da Netflix reacende debate sobre os milhares de tigres em cativeiro nos Estados Unidos

A minissérie documental da Netflix "Tiger King: Morte, Caos e Loucura" veio reacender o debate sobre os grandes felinos que estão em cativeiro, frisando que há cerca de 10.000 espécimes nestas condições nos Estados Unidos. …

Luciano venceu a covid-19 aos 100 anos. Teve direito a bolo, a um desenho e a uma alta hospitalar

Luciano Marques da Silva completou 100 anos no hospital de São João, no Porto, onde se encontrava hospitalizado devido à infeção por covid-19. Depois de dez dias de internamento, conseguiu vencer e recebeu alta. No dia …

Geneinno S2, a scooter subaquática que o impulsiona entre as ondas

Há dois anos, foi anunciada a Trident, uma scooter subaquática fabricada pela startup chinesa Geneinno. Agora, a empresa lançou um modelo mais barato e portátil, conhecido como Geneinno S2. O Trident - ou Geneinno S1 - …

WhatsApp restringe opção de reencaminhar mensagens para evitar desinformação

A rede social anunciou que vai passar a restringir o reencaminhamento de mensagens para tentar diminuir a disseminação de informação falsa sobre a pandemia de covid-19. De acordo com a revista Newsweek, a partir desta terça-feira, …

"Mostre-me a sua identificação." Na Tunísia, um robô pergunta às pessoas por que não estão em casa

Nas ruas de Túnis, a capital da Tunísia, um robô não pilotado aborda as pessoas na rua e pergunta-lhes por que não estão em casa, exigindo-lhes um documento de identificação. A Tunísia está em confinamento obrigatório …

Putin não quer repetir os erros dos outros países

Vladimir Putin diz que "o pico da epidemia ainda não foi superado", mas garante que tem "em consideração as experiências positivas e negativas de outros países". O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou esta terça-feira para …

É possível fazer uma máscara de tecido em apenas alguns segundos

O cirurgião-geral norte-americano Jerome Adams disse que as máscaras faciais de pano podem ser feitas a partir de utensílios domésticos comuns. No início do mês, Jerome Adams, cirurgião-geral dos Estados Unidos, deixou um aviso ao público …

Há dois mil enfermeiros em casa em vigilância ativa (e 363 infetados)

De acordo com o comunicado da Ordem dos Enfermeiros, que sublinha a necessidade de testar estes profissionais, "já não há nenhum distrito sem enfermeiros infetados". Quase dois mil enfermeiros estão, atualmente, em casa em situação de …