O fracasso é um “pré-requisito” para o sucesso

O fracasso é uma espécie de pré-requisito “essencial” para alcançar o sucesso, concluiu uma nova instigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos.

Segundo o novo estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista cientifica Nature, não basta apenas trabalhar muito e persistir para ser bem-sucedido – é também necessário falhar e aprender com os erros.

Para chegar a esta conclusão, os especialistas analisaram vários dados relacionados com experiências de sucesso e fracasso em diversos cenários.

Por exemplo, a equipa analisou 776.721 pedidos de bolsas de estudo apresentados aos Institutos Nacionais de Saúde dos Estados Unidos entre 1985 a 2015, os 46 anos de investimentos em startups com capital de risco, bem como 170.350 ataques terroristas realizados entre 1970 e 2017.

Depois de analisar todos os dados, os cientistas descobriram que “todos os vencedores começam como perdedores”, frisando que quem vence e quem perde tenta o mesmo número de vezes – ou seja, o sucesso não está relacionado com a persistência após o fracasso, as antes no processo de aprendizagem.

“É preciso descobrir o que funcionou e o que não funcionou e depois concentrar-se no que precisa de ser melhorado, em vez de se debater e mudar tudo. As pessoas que falharam não trabalham necessariamente menos [do que as que tiveram sucesso]. Podem até ter trabalhado mais, mas fizeram alterações desnecessárias”, explicou Dashun Wang, professor de administração e organização na universidade norte-americana.

O modelo matemático utilizado

Os cientistas analisaram, entre outras coisas, quantas vezes um cientistas pediu um financiamento, o que foi mudando entre os pedidos e qual era o período de tempo entre um pedido e o exatamente a seguir.

No que toca às startups, tiveram em conta parâmetros como a oferta pública inicial, fusão de alto valor e aquisições. Por fim, no caso dos ataques terroristas, foi considerado como um ato bem-sucedido matar pelo menos uma pessoa, enquanto os fracassos eram avaliados como tentativas sem causalidade.

O objetivo do estudo passava por formular um “modelo matemático” explorando os “mecanismos que governam a dinâmica do fracasso”. A equipe identificou estatísticas que separavam grupos bem-sucedidos dos fracassados. Por exemplo, um indicador de sucesso era o tempo entre as tentativas fracassadas. Quanto mais rápido uma pessoa falha, melhor são as suas possibilidades de ter sucesso. Quanto mais tempo passa entre as tentativas, mais propensa fica a pessoa a falhar novamente.

Ao trabalhar com dados de tão larga escala, Wang e a sua equipa conseguiram identificar pontos críticos comuns entre as diversas tentativas falhadas, entendendo melhor qual é o caminho que leva ao fracasso e qual é o caminho que leva ao sucesso.

Segundo os cientistas, a existência destes pontos de inflexão contrariam as explicações tradicionais sobre fracasso e sucesso, que envolvem fatores como a sorte ou hábitos de trabalho. “O que estamos a mostrar com este estudo é que, mesmo na ausência destes fatores, ainda é possível ter resultados muito diferentes”, sublinhou Wang.

Na prática, e segundo defende o novo estudo, no caminho para o sucesso o que importa é como é que as pessoas falham, respondem à falha e onde é que essas falhas os levam.

De acordo com Albert-László Barabási, cientista da Universidade Northeastern, o modelo desenvolvido para esta investigação pode ser utilizado noutras pesquisas científicas.

“Existem inúmeros trabalhos que tentam entender como é que as pessoas e os produtos são bem-sucedidos. No entanto, há muito pouco entendimento sobre o papel do fracasso. O trabalho de Wang reescreve fundamentalmente a nossa compreensão do sucesso, mostrando o papel principal que o fracasso desempenha nestes processo, oferecendo finalmente uma estrutura metodológica e conceputal para colocar o fracasso onde pertence, que é dentro do cânone do sucesso”, argumenta.

O próximo passo da investigação passa por é refinar o modelo para quantificar outras características individuais e organizacionais que podem influenciar o sucesso.

PARTILHAR

RESPONDER

Médicos estrangeiros em Portugal atingem o valor mais alto da última década

O número de médicos estrangeiros registados em Portugal atingiu, em 2019, o valor mais elevado da última década, situando-se em 4192, mais 9,1% face a 2009, revelam dados da Ordem dos Médicos (OM). A maioria dos …

O único carro-avião do mundo vai ser vendido em leilão

O Taylor Aerocar, aquele que é o único carro-avião legalizado em todo o mundo, vai a leilão no início do próximo ano. Este modelo da marca data do ano de 1954. Se é um apaixonado por …

Marcha pelo Clima. Polícia espanhola deteve duas pessoas com facas e martelos

A Polícia Nacional de Espanha deteve, na sexta-feira, duas pessoas que pretendiam perturbar a manifestação pelo clima em Madrid, tendo apreendido vários materiais, como facas e martelos. Um homem e uma mulher foram detidos e enviados …

Reflexão, ritual ou mundo idealizado. Um Natal sem filmes, não é Natal

Se é daquelas pessoas que passa a noite da Natal com uma chávena na mão, meias nos pés e um filme na televisão, saiba que não está sozinho. Nesta altura do ano, os filmes tornam-se …

Musk ilibado depois de ter chamado "pedófilo" a mergulhador no resgate da gruta da Tailândia

O magnata fundador da Tesla, Elon Musk, foi absolvido na sexta-feira no processo por difamação movido pelo espeleólogo britânico Vernon Unsworth, que alegava ter sido chamado de pedófilo. Após cerca de uma hora de deliberações, o …

Luzes nas redes de pesca? Os golfinhos e as tartarugas agradecem

A implementação de luzes nas redes de pesca reduz a probabilidade de tartarugas marinhas e de golfinhos serem apanhados por acidente. Luzes LED nas redes de pesca eliminariam a "captura acidental" de tartarugas marinhas em mais …

Presidente da República passa o fim de ano na ilha do Corvo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai passar a noite de 31 de dezembro para 1 de janeiro na ilha do Corvo, nos Açores, de onde será transmitida a sua mensagem de Ano …

O calor extremo está a fazer com que os bebés nasçam mais cedo

Investigadores descobriram que o calor extremo faz com que os bebés nasçam mais cedo. Tal como quase tudo neste mundo, as coisas só vão piorar com as alterações climáticas. Segundo o Science Alert, os dois investigadores …

Empresa está a contratar uma pessoa que será paga para usar pijamas e dormir

Um start-up de colchões da Índia, que se descreve como uma "empresa de soluções para dormir" está a contratar alguém que será pago apenas para fazer isso mesmo. O objetivo é testar os seus produtos de …

O primeiro local funerário de compostagem humana do mundo abre em 2021

Prevê-se que a primeira instalação funerária de compostagem humana do mundo abra na primavera de 2021, depois de os legisladores do Estado de Washington terem legalizado o processo póstumo no início do ano. A empresa Recompose, …