/

“Nightmare On Elm Street” é inspirado num mistério médico da vida real

Warner Bros. Pictures

Freddy Krueger, personagem principal da saga “Nightmare on Elm Street”

Nightmare on Elm Street conta a história de uma criatura com navalhas no lugar das mãos que se esconde nos pesadelos das crianças e as mata enquanto dormem.

Segundo o IFL Science, o diretor Wes Craven teve a ideia para o filme de terror depois de ter lido uma série de artigos no LA Times sobre jovens ​​refugiados do sudeste asiático que chegaram aos Estados Unidos. Do nada e sem problemas de saúde relacionados, estes indivíduos saudáveis “gritavam durante o sono e morriam”, conta.

Nos anos 1980, foram registados pelo menos 117 casos deste tipo nos Estados Unidos, em pessoas vindas do Sudeste Asiático.

As autoridades médicas começaram a chamar o mistério médico de “Síndrome da Morte Asiática” e, mais tarde, de “Síndrome da Morte Súbita Noturna Inesperada [SUNDS]”. Na cultura popular assumiu outros nomes – desde bangungut, nas Filipinas, a pokkuri, no Japão -, mas tudo se traduz aproximadamente da mesma maneira: morte de pesadelo.

Na altura, o mistério difundiu-se e nem a comunidade científica desconfiava do que se passava. Até que, segundo o portal, as autópsias de 18 vítimas desta doença revelaram que os corações estavam “aumentados”, sendo que 17 apresentavam defeitos nos sistemas que coordenam as contrações musculares.

Friedrich Eckner, da University of Illinois College of Medicine e investigador responsável pelas autópsias, descreveu ao LA Times que “foi como se os corações tivessem entrado em curto-circuito“.

Em 1987, cientistas investigaram as mortes em campos de refugiados na Tailândia, tendo chegado à conclusão de que mortes desta natureza eram ainda mais comuns nestes locais do que nos Estados Unidos.

O estudo mostrou que houve maiores ocorrências deste tipo de morte nas famílias de pessoas já afetadas, o que sugere a existência de um elemento genético para a doença.

“As vítimas de morte súbita do sudeste asiático nos EUA tendem a ser imigrantes mais recentes, em comparação com os grupos de controlo, o que indica que os refugiados recém-chegados ao país podem ter um risco maior de morte súbita do que os residentes de longo prazo do mesmo grupo”, descobriram os cientistas, num padrão consistente com a ideia de que o stress também é um importante fator a ter em conta nestas mortes.

O provável culpado acabou por ser encontrado, muito depois de Wes Craven ter transformado o mistério num filme de terror.

Chama-se Síndrome de Brugada e é uma doença causada por mutações, normalmente no gene SCN5A – que perturba o ritmo normal do coração.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.