FIFA “veta” Superliga europeia e ameaça excluir clubes e jogadores de torneios

drabikpany / Flickr

Gianni Infantino, presidente da FIFA

Em comunicado, a FIFA avisou que na eventualidade da criação de uma Superliga europeia, o organismo que tutela o futebol a nível mundial não reconheceria a competição. Além disso, haverá represálias para os clubes que decidam juntar-se.

“À luz das recentes especulações da imprensa sobre a criação de uma ‘Superliga’ europeia por parte de alguns clubes europeus, a FIFA e as seis confederações (AFC, CAF, CONCACAF, CONMEBOL, OFC e UEFA), gostariam de reiterar e enfatizar, mais uma vez, que tal competição não será reconhecida nem pela FIFA nem pelas suas seis confederações. Qualquer clube ou jogador envolvido em tal competição não poderá participar em nenhuma competição organizada pela FIFA ou por qualquer uma das seis confederações”, lê-se no comunicado emitido esta quinta-feira.

O comunicado foi assinado por Gianni Infantino, presidente da FIFA, Shaikh Salman bin Ebrahim Al Khalifa, presidente da AFC (Confederação Asiática de Futebol), Constant Omari, presidente Interino da CAF (Confederação Africana de Futebol), Vittorio Montagliani, presidente da CONCACAF (Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caraíbas), Alejandro Domínguez, presidente da CONMEBOL (Confederação Sul-Americana de Futebol), Lambert Maltock, presidente OFC (Confederação de Futebol da Oceania) e Aleksander Ceferin, presidente da UEFA (União das Associações Europeias de Futebol).

“De acordo com os estatutos da FIFA e das confederações, todas as competições devem ser organizadas ou reconhecidas pelo órgão competente a nível nacional, pela FIFA a nível global e pelas seis confederações em nível continental. Nesse sentido, as confederações reconhecem o Mundial de Clubes da FIFA, no seu atual e novo formato, como a única competição mundial de clubes, enquanto a FIFA reconhece as competições de clubes organizadas pelas confederações como as únicas competições continentais de clubes”, lê-se ainda no comunicado.

Há pelo menos 11 clubes de Inglaterra, Espanha, Itália, França e Alemanha que já se mostraram interessados em participar numa eventual Superliga europeia. Ao lote deste 11 clubes, juntar-se-iam posteriormente cinco clubes convidados. Os clubes fundadores são: Real Madrid, Barcelona, Manchester United, Manchester City, Chelsea, Arsenal, Liverpool, PSG, Juventus, AC Milan e Bayern de Munique.

No entanto, esta terça-feira, o dirigente do Bayern, Karl Heinz Rummenigge, disse que, neste momento, o emblema bávaro ficaria fora desta prova.

“A Superliga causaria sérios danos às ligas nacionais. É por isso que tenho minhas reservas. Se eu tivesse que decidir hoje pelo Bayern, votaria contra”, disse o germânico.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE