Ferro propôs restrições no Parlamento. Esquerda não aceitou redução dos plenários

Tiago Petinga / Lusa

O presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues

Durante a última conferência de líderes foi adiada a decisão sobre os procedimentos a adotar no Parlamento durante o novo estado de emergência. O Presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, propôs regras semelhantes às de março, mas a esquerda discordou.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Segundo noticiou na quinta-feira o Expresso, que teve acesso a um documento sobre a conferência, foi criado um novo grupo de trabalho para decidir sobre o assunto.

Ferro Rodrigues propôs um plenário por semana, com  46 deputados e, no momento da votação, 116. Os restantes participariam por videoconferência. Esta proposta previa que as comissões parlamentares só se reunissem presencialmente no âmbito do processo do Orçamento do Estado, ficando suspensas as visitas e eventos no Parlamento.

Embora a proposta fosse semelhante à aplicada em março, a esquerda discordou – devido a reservas quanto ao abrandamento da atividade parlamentar – tendo Ferro Rodrigues avançando para a criação de um grupo de trabalho dedicado ao assunto.

O Bloco de Esquerda propôs que número de plenários se mantivessem, enquanto o PCP  fará conhecer as suas propostas esta sexta-feira, confirmou fonte do partido ao Expresso.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.