//

Fenómeno astronómico deixou o México sem sombras durante 3 dias

10

Habitantes de Yucatán viveram um dos casos mais estranhos que ocorrem durante o ano em território mexicano. Entre os dias 23 e 25 de maio, um fenómeno astronómico deixou o estado mexicano sem sombras. Chama-se a passagem do “sol no topo”.

Este fenómeno acontece quando o Sol fica no seu ponto de maior verticalidade sobre a Terra, o que faz que as sombras laterais desapareçam. Outra consequência do “sol no topo” é o aumento da radiação solar.

O astrónomo Eddie Salazar Gamboa anunciou a semana passa que a partir do dia 23 (às 13h14, horário local) até o dia 25 de maio, o fenómeno astronómico do sol seria registado em Yucatán, de modo que os habitantes dessa área não iria ter sombras.

“Naqueles dias, o Sol estará bem acima das nossas cabeças, por isso as pessoas não projetarão sombra durante vários minutos“, explicou. “O mesmo acontecerá com os edifícios verticais e, portanto, também haverá mais radiação solar na região.”

A passagem do sol pelo topo ocorre duas vezes por ano, quando a nossa estrela e dirige para o norte na primavera e no seu regresso após o solstício de verão. O fenómeno pode ser testemunhado nos lugares compreendidos dentro do Trópico de Caranguejo e do Trópico de Capricórnio. O próximo “sol no topo” acontecerá em julho.

As zonas arqueológicas de Uxmal, Chichén Itzá e Mayapán, entre outras, também testemunharam o fenómeno. Para a civilização maia, o “sol no topo” significava o início da época de semeadura. Na Cidade do México, o fenómeno foi observado em 17 de maio.

 

O estado de Yucatán é um dos mais quentes do país, por isso as sombras são geralmente autênticos oásis para pessoas que sofrem com o calor abafado. Na sexta-feira, as temperaturas quentes persistiram em grande parte do país. Em Yucatán, oscilou entre 40 e 45ºC em 13 estados, informou o Serviço Meteorológico Nacional (SMN).

A agência explicou que as temperaturas de 40 a 45ºC estavam previstas em lugares como Yucatán, bem como Sinaloa, Tamaulipas, Nayarit, Jalisco, Michoacán, Guerrero, San Luis Potosí, Oaxaca, Veracruz, Chiapas, Tabasco e Campeche.

  ZAP //

10 Comments

    • O interesse desta notícia é o mesmo que a de eclipses, pois também é um fenómeno, e ocorre várias vezes num ano.
      A diferença só está que são sempre os mesmos a verem o fenómeno, que imagino que seja toda a linha do equador e não apenas o México.

      • Não é na linha do equador, mas sim em todos os países entre as linhas dos trópicos de Capricórnio e Caranguejo, e em épocas diferentes do ano e dia. Esses trópicos estão na latitude igual à inclinação do eixo da terra, o em determinadas horas do ano, o zénite dá 90º…

        • Mas as pessoas estão sem sombra 24 horas por dia? ..

          ou isto acontece por volta do meio-dia? poucas horas antes e depois?

          • há latitudes que o sol nasce exactamente a Este, percorre a abobada celente e ao meio dia solar está a 90º e deita-se exactamente a oeste. Executa um semi-circulo perfeito no céu, sempre a 90º em relação ao eixo norte sul. No entanto para ter 0 de sombra, tem que estar exactamente a 90 também no eixo este-oeste, que é por volta do meio dia solar

            • Pois. Caso contrário nunca seria possível. Quanto está na primeira metade do ciclo teremos sombra a oeste. E quando estiver na segunda metade teremos sombra a este. No ponto central do ciclo será válido. E não é ao meio-dia dos nossos relógios mas sim, como refere, no meio-dia solar.

          • Claro que não. A notícia é um pouco confusa mas a certa altura lá diz “durante alguns minutos “. Na verdade, só exatamente ao meio dia solar LOCAL (atenção a esta última palavra!) é que não há sombra NO LOCAL. À medida que o Sol vai descrevendo o seu movimento “aparente” (na realidade, é a Terra que vai rodando) o LOCAL em que não há sombra vai mudando (porque o meio dia solar vai mudando, claro).

  1. 🙂 isto acontece diariamente entre o trópico de câncer e o de capricórnio. As datas são estas:
    21/3 equador
    21/6 trópico de câncer
    21/9 equador
    21/12 trópico capricórnio.

  2. Prezado António Manuel Costa, claro que não. A notícia é um pouco confusa mas a certa altura lá diz “durante alguns minutos “. Na verdade, só exatamente ao meio dia solar LOCAL (atenção a esta última palavra!) é que não há sombra NO LOCAL. À medida que o Sol vai descrevendo o seu movimento “aparente” (na realidade, é a Terra que vai rodando) o LOCAL em que não há sombra vai mudando (porque o meio dia solar vai mudando, claro).

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE