Feirense vs Porto | Dragão ganha luta na Feira

O FC Porto esteve longe de brilhar ou de concretizar o seu intenso domínio sobre o Feirense com muitos golos ou jogadas de perigo, mas a verdade é que, em dia de dérbi entre Benfica e Sporting, o “dragão” não deixou fugir a oportunidade de somar três pontos e colocar os rivais sob grande pressão.

A segunda parte foi fraca, mas Aboubakar e Felipe resolveram os problemas de Sérgio Conceição.

O Jogo explicado em Números

  • Jogo algo “mastigado” no arranque, com o Porto a assumir as despesas ofensivas da partida, ao ponto de atingir os 75% de posse de bola no primeiro quarto-de-hora. Contudo, apesar de ambas as equipas terem um remate nesta altura, apenas os anfitriões somavam um disparo enquadrado.
  • Até que, aos 22 minutos, a insistência portista acabou por dar os seus frutos. Brahimi recuperou a bola na esquerda, cruzou atrasado para Aboubakar e este rodou antes de rematar para o fundo das redes de Caio Secco. Foi ao terceiro remate portista no encontro, segundo com a melhor direcção.
  • Mas a resposta dos “fogaceiros” foi rápida. Aos 26 minutos, no segundo remate da equipa, Tiago Silva bateu um livre da esquerda para a grande área e Luís Rocha saltou mais alto que toda a gente, para cabecear com êxito para o empate.
  • O Porto pareceu sentir o toque e, aos pouco, deixou de causar tanto perigo. Por volta da meia-hora, o domínio continuava a ser do “dragão”, com 72% de posse, mas às nove bolas colocadas na área dos homens da casa o Feirense respondia com cinco e os portistas não passavam dos quatro disparos, três deles enquadrados.
  • Bom jogo de Brahimi ao aproximar do descanso, com uma assistência e dois dribles eficazes em três tentativas, para além de dois remates enquadrados, nos únicos que tentou.
  • O descanso chegou com empate no marcador a uma bola, uma recompensa pela grande eficácia do Feirense no ataque – dois remates, ambos enquadrados, um que deu golo – e um castigo pelos poucos disparos portistas até então, cinco, embora quatro deles enquadrados.
  • O domínio era do “dragão”, dono de todos os cinco pontapés de canto da etapa inicial, mas os da casa iam lidando bem com a movimentação portista.
  • Vincent Aboubakar era o melhor em campo nesta fase do jogo, com um GoalPoint Rating de 7.0, fruto do golo que marcou no único remate que fez à baliza, mas também de uma ocasião flagrante criada.
  • Reinício algo confuso, com o Feirense muito fechado e a não dar espaços para o ataque do Porto criar perigo. Nos primeiros 15 minutos do segundo tempo o “dragão” registava 75% de posse e o único remate desta fase. Pouca emoção e muitas faltas, 13 para cada equipa no total do encontro.
  • A falta de ideias nesta fase era total nesta fase, com o jogo a chegar aos 70 minutos apenas com dois remates desde o intervalo, ambos para o Porto e sem a melhor direcção. O Feirense ia recorrendo à sua melhor arma, os alíviosLuís Rocha somava sete, Kakuba e Briseño seis cada.
  • Mas o Feirense acabaria por cair. Aos 76 minutos, Felipe saltou mais alto, após canto de Alex Telles da esquerda, e fez o 2-1. Foi o sexto remate dos portistas na segunda parte, primeiro enquadrado, na sequência do seu décimo canto.
  • O jogo estava nas mãos dos visitantes, que registavam 74% de posse de bola por volta dos 80 minutos, frente a uma formação do Feirense sem qualquer remate desde o intervalo. E aos 84 minutos, Felipe viu segundo cartão amarelo e foi expulso. Porém, sem impacto no jogo.

O Homem do Jogo

Por centésimas. O melhor em campo no triunfo do Porto em Santa Maria da Feira foi Aboubakar, mas apenas por centésimas em relação a Brahimi. O camaronês terminou com o mesmo GoalPoint Rating de 7.3, mas esteve “uns pozinhos” melhor. Fez o primeiro golo da partida e terminou com dois remates, um enquadrado. Porém, criou uma ocasião flagrante de golo e teve sucesso em duas de três tentativas de drible.

Jogadores em foco

  • Yacine Brahimi 7.3 – Na generalizada falta de ideias, o argelino foi que conseguiu, ainda assim, mostrar mais esclarecimento. Para além da assistência para o 1-0, o extremo rematou três vezes, duas delas enquadradas, ganhou de dos 18 duelos em que participou e teve sucesso em cinco das seis tentativas de drible, duas delas na grande área adversária.
  • Luís Rocha 6.9 – O defesa-central foi o melhor da sua equipa. Não apenas porque esteve muito bem a defender, com dez alívios e um bloqueio de remate, mas também porque marcou o golo da sua equipa.
  • Felipe 6.8 – O central portista estava em franca competição com Aboubakar e Brahimi pelo título de melhor em campo, graças ao golo que marcou, aos quatro duelos ganhos em oito e às três intercepções. Porém, a expulsão acabou por penalizar a nota do jogador.
  • Alex Telles 6.7 – Talvez não tenha sido tão exuberante como em outras partidas, mas o lateral brasileiro voltou a ser decisivo. Para além das quatro intercepções, colocou a bola 15 vezes na grande área do Feirense e fez a assistência para o tento de Felipe, que deu a vitória ao FC Porto.
  • Ricardo Pereira 6.0 – Bom jogo do lateral, que jogou atrás de Corona. O português tentou cinco vezes o cruzamento de bola corrida, teve sucesso em dois de três tentativas de drible e colocou 11 vezes a bola na área “fogaceira”.

Resumo

 

PARTILHAR

RESPONDER

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …

Pombos estão a perder dedos ou patas por causa da poluição

Basta passar algum tempo na praça de uma cidade para ver que alguns pombos têm patas feridas ou dedos em falta. Embora possamos pensar que isto é causado por algum vírus ou pelos eventuais desentendimentos …

Descoberto no Japão fóssil de pássaro com 120 milhões de anos

O fóssil de um pássaro do Cretáceo recentemente descoberto no Japão pode levar os cientistas a repensarem alguns detalhes sobre a evolução do voo. Há cerca de 120 milhões de anos, um pássaro com o tamanho …