Família processou o fabricante da bala que matou a filha e foi condenada a pagar 200 mil dolares

cv BradyCampaign / YouTube

Lonnie e Sandy Phillips, pais de uma das vítimas do Massacre de Aurora

Lonnie e Sandy Phillips, pais de uma das vítimas do Massacre de Aurora

 “Perdemos a nossa filha num ataque, e agora ainda por cima devemos 203 mil dólares a quem forneceu as balas ao assassino”. É desta forma que Lonnie e Sandy Phillips descrem a tragédia em que vivem há três anos.

A filha do casal, Jessica Ghawi, foi uma das 12 vítimas do massacre no cinema de Aurora, no Colorado, EUA, durante a sessão de estreia do filme Batman: O Cavaleiro das Trevas Renasce.

O assassino, James Holmes, que disparou contra os jovens que se encontravam no cinema, foi condenado a 12 sentenças de prisão perpétua.

Durante o julgamento, as provas apresentadas mostraram que foram registados 240 marcas de impactos de fragmentos de munições.

Assim, os pais de Jessica decidiram processar as quatro empresas online – entre as quais, a Lucky Gunner – onde Holmes tinha comprado as balas.

Mas o tribunal determinou que a Lucky Gunner não pode ser considerada responsável pelas acções de Holmes, e ordenou que os pais da vítima pagassem os custos do processo judicial.

São estas custas judiciais que ascendem a 203 mil dólares, cerca de 181 mil euros.

Revolta

“Decidimos avançar para a Justiça porque achamos revoltante que estas empresas tenham vendido um verdadeiro arsenal a um homem perigoso, sem ter nenhum informação sobre ele e sem fazer nenhum esforço para saber se era um assassino perigoso, como era o caso”, afirmaram os pais de Jessica, numa nota enviada ao Huffington Post.

“Estas empresas criam os seus negócios para que gente como este assassino possa armar-se, com apenas um clique no rato. Nós queríamos mudar isso, e ainda queremos”, declaram Lonnie e Sandy Phillips.

O casal escreve ainda que o objectivo do processo não era obter dinheiro e lamenta o facto de as leis federais e estaduais acabarem por proteger empresas como a Lucky Gunner em acções judiciais.

O casal critica ainda o facto de a empresa não ter de arcar com os custos do processo e, em vez disso, poder usar o dinheiro que vão receber de volta para apoiar grupos que defendem o uso de armas, como a National Rifle Association.

A Lucky Gunner, por seu lado, afirma que o seu objectivo no processo foi o de “proteger o seu negócio e a Segunda Emenda, que defende o direito dos americanos de comprar e vender munições através da internet”.

ZAP / BBC

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Pois é… é uma faca de dois legumes como dizia o outro. Tanto serve para abastecer assassinos, como pode servir para defesa pessoal. Não cabe à empresa de balas nem de armas averiguar se este ou aquele é assassino ou não, pois é um negócio legal… Eles querem é vender.

  2. Na América usas-se e abusa-se deste tipo de processos de pedidos de indemnização. Instauram-nos pelos motivos mais inimagináveis e muitos deles terminam com decisões surreais para quem vive deste outro lado do Atlântico. Pelo que me parece, desta vez, a decisão foi mais à moda da Europa.

  3. É bem feito!!
    Estes americanos!… estão mal habituados e gostam de processar tudo e todos e exigir indemnizações milionárias (sem qualquer sentido)!…
    Como neste caso; queriam ficar ricos mas a estupidez foi tanta que as contas saíram ao contrario!!
    Que sirva de exemplo!

RESPONDER

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …

"Já sofreu muito". Trump comuta pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comutou a pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone, que foi condenado em fevereiro a 40 meses de prisão, anunciou sexta-feira a Casa Branca. Roger …

Armas, droga, sucata e prostituição financiam neonazis portugueses (mas lucros não vão todos para a causa)

Os grupos neonazis portugueses são "bastante desorganizados" e financiam-se com dinheiro obtido em negócios ilícitos, como o tráfico de armas, de droga e de mulheres para prostituição e a sucata. Mas os ganhos obtidos não …