/

Eventos em cascata levaram à erupção do vulcão Kilauea em 2018

Bruce Omori / Paradise Helicopters / EPA

A erupção do vulcão Kilauea, que ocorreu em 2018, foi um dos maiores eventos vulcânicos no Havai dos últimos 200 anos. Esta erupção foi desencadeada por uma relativamente pequena e rápida mudança no vulcão, depois de uma década de acumulação de pressão nas partes superiores.

Usando dados do USGS Hawaiian Volcanoes Observatory (HVO), de antes e durante as erupções de 2018 no cume e flanco, a equipa conseguiu reconstruir os eventos geológicos e concluir que a erupção do Kilauea foi desencadeada por uma pequena e rápida mudança no vulcão, depois de uma década de acumulação de pressão nas partes superiores.

“Os dados sugerem que um backup no sistema de encanamento de magma no local de erupção Pu’u ‘Ō’ō causou pressurização generalizada no vulcão, levando o magma para o flanco inferior”, explicou Matthew Patrick, geólogo do USGS HVO e principal autor do estudo, publicado a 6 de novembro na Nature.

De acordo com o EurekAlert, a erupção evoluiu e o impacto expandiu-se, seguindo uma sequência de eventos em cascata que permitiu que mudanças relativamente menores em Pu’u ‘Ō’ō causassem grande destruição e mudanças históricas em todo o vulcão.

O estudo demonstra que “a previsão de erupções pode ser inerentemente desafiadora em cenários onde os vulcões iniciam lentamente e desencadeiam-se devido a um pequeno evento, uma vez que os processos que levam à erupção podem ser difíceis de detetar e são fáceis de ignorar na escala de todo o vulcão”, disse Patrick.

“É também um conto de advertência contra o excesso de confiança em atividades recentes como um guia para erupções futuras”, rematou.

O Havai absorveu uma quantidade significativa do custo económico e social da erupção de 2018. Estudos como este têm como objetivo reduzir os custos, humanos e físicos, das próximas erupções.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE