Eurodeputados pedem investigação à nomeação de Durão Barroso no Goldman Sachs

European Parliament / Flickr

O ex-presidente da Comissão Europeia Durão Barroso

Mais de 50 deputados do Parlamento Europeu, incluindo quatro portugueses, pediram à Provedora de Justiça Europeia que investigue se a nomeação do antigo presidente da Comissão Europeia para a Goldman Sachs viola as regras comunitárias.

A carta, com a data de hoje, e à qual a Lusa teve acesso, é uma iniciativa da deputada italiana do Grupo de Esquerda Unitária (GUE) Barbara Spinelli – filha de Altiero Spinelli, considerado um dos pais fundadores da União Europeia, e que dá nome precisamente a um dos edifícios do Parlamento Europeu, em Bruxelas.

O documento foi subscrito por outros 52 deputados, entre os quais Ana Gomes e Maria João Rodrigues (PS), Marisa Matias (Bloco de Esquerda) e Marinho e Pinto.

Na missiva enviada a Emily O’Reilly, os eurodeputados argumentam que o artigo 245 do Tratado sobre o Funcionamento da UE e o próprio código de conduta para os Comissários aponta que o “dever de integridade e discrição” exigido aos comissários deve aplicar-se mesmo passado o período de 18 meses após cessarem funções, respeitado por Durão Barroso (presidente da Comissão entre 2004 e 2014) até aceitar o cargo de presidente não-executivo da Goldman Sachs International.

“Tendo em consideração o papel proeminente desempenhado, à época, pela Comissão Europeia na resposta às consequências da crise económica e financeira à escala europeia, pedimos à Provedora de Justiça Europeia que investigue se a nomeação do Sr.Barroso (…) pode constituir uma violação” da carta de direitos fundamentais da UE.

Por outro lado, os eurodeputados perguntam a O’Reilly se não considera discriminatório o facto de o código de conduta dos comissários prever que os mesmos podem assumir cargos sem necessidade de autorização prévia uma vez atingido o período de 18 meses desde que terminaram funções, quando o regulamento para todo o restante pessoal das instituições contempla um prazo de dois anos (24 meses).

“Finalmente, reiteramos o pedido, já formulado à Provedora de Justiça Europeia, de uma revisão do Código de Conduta dos Comissários, de forma a reforçar a sua transparência e colocá-lo em conformidade com as regras dos Tratados”, concluem os eurodeputados.

A nomeação de José Manuel Durão Barroso para o grupo norte-americano foi alvo de muitas críticas, tendo diversos sindicatos representativos de funcionários das instituições europeias deplorado em cartas abertas a ida do antigo presidente da Comissão para o banco, considerada “moralmente inaceitável” pelo Presidente francês, François Hollande.

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Pelos vistos a Raquel não deve saber o que é a Goldman Sachs… Ou que a dor de cotovelo não é uma doença, pois não se encontra em nenhum manual de medicina.
    Ele que se “deite com o inimigo”. A máscara caiu. Só demonstrou não ter qualquer ética nem moral. Tudo por amor ao dinheiro.

RESPONDER

"Pé de guerra". Quatro ministros exigem mais verbas a Centeno

Há quatro ministros em "pé de guerra" com Mário Centeno, exigindo ao responsável pela pastas das Finanças mais verbas no Orçamento de Estado para 2020 (OE2020) para os ministérios que tutelam, escreve o Correio da …

Trump formalmente acusado de abuso de poder e obstrução ao Congresso

Ao fim de vários audições, a Câmara dos Representantes decidiu formalmente acusar Donald Trump de abuso de poder e obstrução ao Congresso. O presidente norte-americano, Donald Trump, vai ser formalmente acusado de abuso de poder e …

EDP: Variar IVA em função do consumo de energia é "justo" e "lógico"

O presidente executivo da EDP, António Mexia, considerou esta terça-feira em Madrid "lógica" e "socialmente mais justa" a intenção do Governo de permitir a variação da taxa de IVA sobre a energia em função dos …

Protestos prosseguem em França na véspera da apresentação da reforma do sistema de pensões

Ao sexto dia consecutivo de greve geral em França, centenas de milhares de pessoas voltaram hoje a protestar nas ruas contra a revisão do sistema de pensões, com o Governo e os sindicatos a anunciaram …

Após o ataque a Alcochete, Bruno Fernandes ficou "mais nervoso" e com "mais ansiedade"

O futebolista disse, esta terça-feira, ter ficado "mais nervoso" e com "mais ansiedade" depois do ataque à academia do Sporting, no qual viu agressões a Rui Patrício, William Carvalho, Acuña e Bataglia. Bruno Fernandes foi ouvido, …

"Abusei da amizade". Santos Silva confessa que pediu ajuda a Sócrates num concurso público

O empresário Carlos Santos Silva confessou no primeiro dia de interrogatório com Ivo Rosa que chegou a sugerir ao antigo primeiro-ministro José Sócrates que o ajudasse num concurso público em que o Grupo Lena participou. De …

O Nepal proibiu, mas mulheres continuam a ser forçadas a dormir em "cabanas menstruais"

"Chaupadi" é uma tradição hindu, característica do Nepal, que força as mulheres a dormirem num abrigo quando estão menstruadas por serem consideradas impuras. Segundo o IFLScience, uma nova investigação mostra que 77% das raparigas que vivem …

O golo "doloroso" de Ansu Fati que fez dele o mais jovem jogador a marcar na Champions

Ansu Fati, avançado do Barcelona, tornou-se no mais jovem jogador de sempre a marcar um golo na Liga dos Campeões. Com 17 anos e 40 dias de idade, o espanhol faz mais uma vez história …

Almeida Henriques suspeito de receber avença enquanto esteve no Governo por favores a empresário

Almeida Henriques, antigo secretário de Estado Adjunto da Economia e Desenvolvimento Regional do Governo de Passos Coelho, e atual presidente da Câmara de Viseu, é suspeito de ter recebido dinheiro por favores ao empresário Agostinho …

Costa responde a Ventura: Programa do Governo não muda "semana sim semana não"

Recorrendo à ironia, o primeiro-ministro, António Costa, respondeu esta terça-feira ao deputado único do Chega, afirmando que o programa do Governo não muda "semana sim, semana não" consoante as críticas. No debate quinzenal na Assembleia da …