Em 2017, EUA realizaram operação secreta para resgatar espião. Rússia e CIA negam

Light Brigading / Flickr

A Casa Branca, em Washington DC

Após Donald Trump ter discutido informação confidencial com o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, os serviços secretos “recuperaram” um infiltrado que teria um acesso único ao Governo de Vladimir Putin, com receio de que o Presidente norte-americano colocasse ainda mais em risco o espião de topo.

Em 2017, os Estados Unidos levaram a cabo uma operação para retirar da Rússia um espião com acesso ao mais alto nível dentro do Governo do país. A missão secreta foi agora divulgada pela CNN, que cita várias fontes oficiais da administração Trump com conhecimento direto da missão.

De acordo com a notícia, a decisão justificou-se em parte pelas preocupações levantadas pela forma como o atual Presidente norte-americano e o seu Governo trataram informação classificada, contribuindo para a eventual exposição da fonte secreta em Moscovo.

A operação foi acelerada após uma reunião onde Donald Trump discutiu informações altamente confidenciais com o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, e o então embaixador da Rússia nos EUA, Sergey Kislyak.

Em causa estavam dados fornecidos por Israel sobre o Daesh na Síria, mas, ainda assim, cresceram os receios quanto aos riscos envolvidos para a fonte secreta a operar no Kremlin, o que levou à preparação da missão, adianta o Expresso.

Brittany Bramell, diretora de comunicação da CIA, revelou é “simplesmente falsa” a ideia de que sejam tomadas decisões “de vida ou morte com base em outra coisa que não análises objetivas”. “A especulação equivocada de que a forma como o Presidente lida com a informação mais sensível da nação – à qual ele tem acesso todos os dias – conduziu à alegada operação de extração é imprecisa.”

Um porta-voz do secretário de Estado Mike Pompeo recusou comentar a notícia. Já a porta-voz da Casa Branca, Stephanie Grisham, afirmou que “os relatórios da CNN não são apenas incorretos, mas têm também o potencial para colocar vidas em perigo”.

O artigo da CNN refere que o receio quanto à segurança do operacional em causa existia já no final da administração Obama. A preocupação aumentou no início de 2017, também pela divulgação do relatório sobre a alegada interferência russa nas eleições de 2016, apontando o dedo ao Presidente Vladimir Putin.

De acordo com a CNN, Donald Trump foi previamente informado sobre a operação, que terminou com sucesso. Em relação aos detalhes sobre a missão ou sobre o paradeiro atual do espião, a CNN diz nada ter sido possível apurar.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Coca-Cola financiou estudos científicos que minimizaram o papel das bebidas açucaradas na obesidade, revela investigação

A Coca-Cola terá financiado com milhões de dólares vários estudos científicos que minimizaram o impacto das bebidas açucaradas na obesidade. A conclusão é de uma investigação publicada na revista médica Public Health Nutrition, que conta …

André Ventura vai pedir suspensão temporária do mandato no Parlamento

O deputado do Chega vai pedir, em setembro, a suspensão do mandato parlamentar até fevereiro do próximo ano para se dedicar às campanhas eleitorais da região dos Açores e das Presidenciais. Em declarações à agência Lusa, …

Governo abre concursos para 800 novos técnicos especializados nas escolas

As escolas vão poder contratar mais de 800 novos técnicos especializados, um reforço de recursos humanos "englobado nas medidas excecionais de organização e funcionamento das escolas para o próximo ano letivo". "As escolas vão poder contratar …

Macron em Beirute: "Se não houver reformas, Líbano continuará a afundar-se"

O Presidente francês chegou, esta quinta-feira, a Beirute, no Líbano. É o primeiro chefe de Estado a visitar o país depois das explosões que destruíram parte da capital.  Emmanuel Macron aterrou no Líbano, esta quinta-feira, e …

"Eu disparei". Neonazi alemão confessa ter matado autarca Walter Lübcke

Um neonazi alemão confessou hoje em tribunal ter matado o autarca Walter Lübcke em 2019, homicídio que chocou o país e fez ressurgir o debate sobre a violência de extrema-direita na Alemanha. "Eu disparei" sobre Walter …

Há 16 anos que não havia tão pouca água na albufeira do Alqueva

É preciso recuar ao ano de 2004 para encontrar uma altura em que esta albufeira tenha tido menos água do que agora, que corresponde apenas a 63,8% do seu nível de pleno armazenamento. De acordo com …

CTT passam de lucros a prejuízos de dois milhões de euros

Os CTT registaram, no primeiro semestre deste ano, prejuízos de dois milhões de euros, o que compara com lucros de nove milhões de euros em igual período de 2019. "O resultado líquido foi de -2 milhões …

Equipa do ciclista em estado grave vai apresentar queixa-crime contra o rival

O diretor da equipa Deceuninck-Quick Step confirmou, esta quinta-feira, que vai apresentar uma queixa-crime contra o ciclista Dylan Groenewegen, face à sua responsabilidade na grave queda de Fabio Jakobsen no Tour da Polónia. "Confirmo as mensagens …

Caso do negócio das golas antifumo já tem 18 arguidos

O processo sobre a alegada corrupção no negócio das golas antifumo já tem 18 arguidos, entre os quais o ex-secretário de Estado da Proteção Civil, Artur Neves, e o presidente da Proteção Civil, Mourato Nunes. A …

Farmacêutica Pfizer inicia ensaio clínico de vacina para covid-19 com 30 mil participantes

A farmacêutica norte-americana Pfizer e a biotecnológica alemã BioNTech iniciaram um ensaio clínico de uma potencial vacina para a covid-19 envolvendo cerca de 30 mil participantes, foi anunciado na quarta-feira. Segundo noticiou a agência Lusa, …