Estudo mostra que é seguro misturar vacinas, mas DGS quer mais detalhes

Georgi Licovski / EPA

O novo estudo dá indicações sobre a segurança da administração de vacinas de marcas diferentes – uma das opções possíveis em Portugal para o meio milhão de pessoas com menos de 60 anos que receberam a primeira da dose da vacina da AstraZeneca.

Os resultados preliminares do estudo, que foi publicado na revista The Lancet, indicam que, ao misturar vacinas de diferentes marcas, não foram detetados quaisquer efeitos ao nível da coagulação do sangue.

Estas conclusões podem levar a que muitos países, incluindo Portugal, se mostrem interessados no resultado desde ensaio, chamado ComCov, que neste momento incluiu 830 participantes distribuídos por quatro grupos.

Numa altura em que ainda existem muitas dúvidas sobre a vacina da AstraZeneca, os países querem perceber se é seguro administrar uma segunda dose de outra vacina a quem tomou a primeira desta marca.

No entanto, os dados revelam que tomar vacinas de tecnologias diferentes na primeira e na segunda dose faz aumentar os efeitos secundários nas primeiras 48 horas após a sua administração. Ainda assim, o estudo frisa que estes são passageiros e tratáveis com paracetamol.

“Houve aumentos semelhantes para efeitos como arrepios, fadiga, dores de cabeça, articulares e musculares, mal-estar. Mas não houve hospitalizações devido aos sintomas”, escrevem os cientistas. Os voluntários foram aconselhados a tomar paracetamol e a maior parte das reações desapareceu nas 48 horas após a imunização.

“É importante que não tenham surgido sinais de preocupação ou segurança. Mas isto ainda não nos diz se a resposta imunitária será afetada”, frisou Matthew Snape, coordenador da equipa da Universidade de Oxford que está a fazer o ensaio clínico, iniciado em fevereiro, citado pela Sky News.

Para já, a Direção-Geral da Saúde aguarda os resultados deste e outros estudos em curso para poder atualizar as recomendações sobre a toma da segunda dose da AstraZeneca, que em Portugal acontece com 12 semanas de intervalo e está recomendada para maiores de 60 anos, recorda o Público.

Enquanto os resultados completos não são conhecidos, em Portugal as pessoas com menos de 60 anos que foram vacinadas com a primeira dose da AstraZeneca têm duas alternativas: ou tomam a segunda dose da mesma marca às 12 semanas ou ficam a aguardar os resultados deste e outros estudos em curso sobre a mistura de vacinas.

Dispensa do uso de máscara para vacinados

Numa altura em que grande parte da população já tomou pelo menos uma dose da vacina contra a covid-19, começam a surgir dúvidas sobre a necessidade de manter o distanciamento social e a utilização de máscara.

Raquel Duarte, uma das autoras do plano de desconfinamento, disse ao Público que a máscara vai continuar a fazer parte do dia-a-dia da generalidade da população, mas para os já vacinados contra a covid-19 há cenários em que esta não será necessária.

A grande parte dos especialistas ouvidos pelo Público concorda com a dispensa das máscaras na população que já foi vacinada e em alguns contextos específicos.

No entanto, alertam que é necessário observar o impacto da vacinação na evolução dos internamentos e das mortes por covid-19 e voltar atrás nas medidas sempre que necessário.

“Acho que devemos seguir o caminho e as aprendizagens dos outros países e o que eles estão a fazer é dispensar as pessoas vacinadas em espaços abertos (como na rua), por exemplo, de utilizar a máscara. Isso está a ser feito neste momento e os resultados são positivos”, refere Tiago Correia, investigador do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa ao Público.

Para já, ainda não há nenhuma indicação da DGS sobre este assunto, e apesar dos pareceres dos especialistas, toda a população deve manter a máscara sempre que sai de casa.

Com o processo de vacinação a decorrer de forma célere, e com mais de quatro milhões de doses já administradas, os portugueses dão sinais de ter confiança.

Segundo a Sondagem do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião da Universidade Católica, questionadas sobre como irão reagir quando chegar a sua vez, 82% das pessoas responderam que irão receber a vacina contra a covid-19 assim que forem chamadas.

Ana Isabel Moura, ZAP //

 

 

 

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Pelos vistos há estudos para todos os gostos….

    “Covid-19: Misturar vacinas diferentes causa mais efeitos secundários, mostra novo estudo”

    “A administração de uma dose da vacina da Pfizer seguida de uma da vacina da AstraZeneca (ou vice-versa) induz uma maior frequência de efeitos secundários ligeiros a moderados, em comparação com duas doses padrão de qualquer uma das vacinas.

    A conclusão é de um estudo britânico, citado pelo ‘The Guardian’, que explora a segurança e eficácia de estratégias de vacinação mistas, que estão a ser consideradas em vários países, para fortalecer programas de distribuição de vacinas.

    A pesquisa contou com 830 participantes de 50 anos ou mais, alguns dos quais com doenças associadas e testou quatro combinações de vacinas: AstraZeneca com AstraZeneca; AstraZeneca com Pfizer; Pfizer com Pfizer e Pfizer com AstraZeneca.”

RESPONDER

Do café aos brinquedos. Preço do transporte de mercadorias vai atingir a nossa carteira mais cedo do que se pensava

Os preços exorbitantes do transporte de mercadorias pelo mundo poderão atingir a sua carteira mais cedo do que pensa. Mais de 80% de todo o comércio de mercadorias é transportado pela via marítima, mas o alto …

Tal é a qualidade de Portugal, que o treinador da Hungria "podia ser motorista ou roupeiro"

O selecionador da Hungria, o italiano Marco Rossi, afirmou hoje que "até podia ser o motorista ou rapaz dos equipamentos" da seleção portuguesa, tal é a qualidade dos jogadores lusos que vão disputar o Euro2020. “Estamos …

Destroços de avião descobertos no fundo de um lago nos EUA podem pôr fim a um mistério de 56 anos

Trabalhadores que testam equipamentos de investigação subaquática dizem ter encontrado os destroços de um pequeno avião nas profundezas do lago Folsom, na Califórnia. A confirmar-se, podem ter resolvido um mistério com 56 anos. As imagens de …

Norte-americanos envolvidos na fuga de Carlos Ghosn declaram-se culpados

Os dois norte-americanos acusados de ajudarem o ex-presidente da Nissan Carlos Ghosn a fugir do Japão quando aguardava julgamento em liberdade sob fiança declararam-se esta segunda-feira culpados perante a justiça japonesa. De acordo com fontes da …

Enfermeira tentou provar que as vacinas tornam as pessoas magnéticas (mas não correu como previsto)

Na semana passada, a enfermeira negacionista de Ohio Joanna Overholt tentou, durante uma sessão legislativa, provar que as vacinas contra a covid-19 tornam as pessoas magnéticas. Mas não foi bem sucedida. O teste do íman resulta …

Foda e Kostadinov: as recordações à volta do Áustria-Macedónia do Norte

O selecionador da Áustria e um dos jogadores da Macedónia do Norte trouxeram memórias dos anos 90. O jogo entre Áustria e Macedónia do Norte, que terminou com vitória austríaca por 3-1, não estava propriamente na …

Paquistão. Quem não se vacinar pode ficar sem acesso ao telemóvel

O governo regional de Punjab, no Paquistão, decidiu que os cidadãos que não se vacinarem contra a covid-19 "ao fim de um certo tempo" podem ver o cartão SIM do seu telemóvel bloqueado. "Estamos a fazer …

Seleção Nacional testa negativo na véspera da estreia no Europeu

Depois do susto de João Cancelo, que testou positivo ao novo coronavírus, a seleção nacional respira de alívio na véspera da estreia no Europeu, depois de ter testado negativo à covid-19. Esta segunda-feira de manhã, a …

Associação quer que os testes em eventos culturais sejam gratuitos

A Associação Espetáculo - Agentes e Produtores Portugueses defendeu que os testes de diagnóstico à covid-19 devem ser gratuitos em eventos culturais. A Associação Espetáculo – Agentes e Produtores Portugueses defendeu, este domingo, que os testes …

Advogados repudiam declarações de Cabrita sobre agendamentos do SEF

Um grupo de advogados repudiou as declarações do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, que atribuem a um escritório de advogados a responsabilidade pelo mau funcionamento do sistema de agendamentos para atribuição de vistos de …