Estudo revela que alunos portugueses no Luxemburgo são prejudicados

Marcos Santos / USP Imagens

-

Os preconceitos dos professores em relação à nacionalidade e estatuto socioeconómico dos alunos podem estar a prejudicar os portugueses no Grão-Ducado, contribuindo para a sua sobre-representação nos cursos técnico-profissionais, segundo um estudo da Universidade do Luxemburgo.

Os investigadores apresentaram boletins fictícios de luxemburgueses e portugueses a 38 professores do ensino primário no Luxemburgo, com os resultados escolares dos alunos, a nacionalidade e a profissão dos pais.

Com base nestes perfis, os professores decidiram se os alunos deviam continuar os estudos no ensino técnico ou no “clássico”, considerado o ramo mais elitista do secundário, uma decisão que no Luxemburgo é tomada no final do ensino primário.

O estudo da Universidade do Luxemburgo concluiu que os professores tomaram a decisão correta em relação aos alunos luxemburgueses em 90% dos casos, contra apenas 67% no caso dos portugueses.

As conclusões da Universidade do Luxemburgo vão no mesmo sentido de outros estudos internacionais que mostram que “os alunos de minorias étnicas e de famílias com baixo estatuto socioeconómico são particularmente prejudicados” pelos preconceitos dos professores, levando-os “a encaminhar estes alunos para ramos mais baixos” do ensino, apontam as investigadoras Ineke Pitten Cate, Sabine Krolak e Sabine Glock.

O estudo sublinha que os portugueses, que representam “o maior grupo étnico” no país, têm “níveis de sucesso académico abaixo da média”, com apenas 11% dos imigrantes a chegarem ao chamado ensino secundário clássico.

As investigadoras estudaram ainda mecanismos para reduzir o impacto dos preconceitos na avaliação, tendo questionado os professores sobre o seu grau de segurança em relação à decisão tomada e pedindo-lhes a seguir para avaliar novos alunos.

Aqui, as decisões “foram corretas, independentemente da origem étnica dos alunos”.

O estudo conclui que “pedir aos professores para avaliarem a sua responsabilidade” contribuiu para diminuir a influência dos preconceitos.

O processo de seleção vai ser alterado já neste ano letivo, e o Ministério da Educação disse em comunicado que “as conclusões destes estudos foram tidas em conta”.

A decisão sobre a via de ensino cabia até aqui a um conselho de orientação, que decidia com base no parecer do professor e dos pais, mas vai passar a ser feita de comum acordo pelo docente e os encarregados de educação.

Só em caso de discordância é que os pais vão poder recorrer a uma comissão de orientação, de que não há recurso.

Se a comissão decidir contra a via de ensino escolhida pelos pais, o aluno deixa de poder fazer testes para tentar entrar no liceu que escolheu, como acontecia até aqui.

O Ministério da Educação defende que a decisão tomada em conjunto pelo docente e os encarregados de educação reforça “o papel dos pais na decisão” e “a responsabilização do professor”, já que “uma decisão tomada em grupo” no conselho de orientação, como até aqui, “pode levar à difusão da responsabilidade entre os seus membros”.

O processo vai começar a ser aplicado neste ano letivo, mas já foi alvo de críticas.

Bom Dia

PARTILHAR

RESPONDER

Há mais de 10 mil infetados em Portugal e mais 20 mortes

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …

Costa "chocado" com caso da morte no aeroporto. Enfermeira, médico e polícias também investigados

Além dos três inspectores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que são suspeitos de terem agredido um cidadão ucraniano, que acabou por morrer, também há outros elementos do SEF, um médicos e uma enfermeira, …

Reino Unido ultrapassa número de óbitos da China. Itália ainda não conseguiu inverter a curva

O Reino Unido regista agora um número de óbitos superior ao número registado na China. Em Itália, embora o pico já possa ter sido ultrapassado, o país ainda não conseguiu inverter a curva epidemiológica. Nas últimas …

Keir Starmer substitui Jeremy Corbyn e é o novo líder do Labour

Keir Starmer, de 57 anos, que tem feito parte da equipa de topo de Jeremy Corbyn nos últimos três anos, no papel de secretário sombra do Brexit, é o novo líder do Partido Trabalhista. De acordo …

Marcelo vai pedir "apoio rápido e robusto" aos cinco maiores bancos do país

Marcelo Rebelo de Sousa vai reunir-se na próxima segunda-feira com os presidentes dos cinco maiores bancos portugueses para discutir o apoio que a banca pode dar às empresas e famílias. De acordo com semanário Expresso, o …

Turquia retém avião com ventiladores para Espanha

A ministra das Relações Exteriores de Espanha, Arancha González Laya, disse esta sexta-feira que as autoridades da Turquia retêm em Ancara um avião oriundo da China com ventiladores, para combater a pandemia de covid-19. A ministra …

Arqueólogos revelam condições horríveis de campo de concentração nazi no Reino Unido

Uma equipa de arqueólogos revelou as condições horríveis de um campo de concentração nazi em Alderney, a ilha britânica mais setentrional do Canal da Mancha, onde estavam prisioneiros políticos e trabalhadores forçados durante a Segunda …

Governo quer reabrir ensino secundário a 4 de maio. Telescola deve arrancar depois da Páscoa

O Governo está a preparar a reabertura das escolas apenas para o ensino secundário para 4 de maio. Ainda falta ouvir a Direção-geral da Saúde, os especialistas, o Conselho Nacional de Educação e o Conselho …

“Não há razão para alarme”. Governo quer perdoar penas até dois anos e antecipar liberdade condicional

A proposta de lei do Governo que estabelece um regime excecional para as prisões, no âmbito da pandemia covid-19, já deu entrada na Assembleia da República, podendo ser consultada na página oficial do Parlamento. No diploma, …