/

Norte-americano indemnizado em 52 milhões de euros depois de sofrer queimaduras numa aula de química

reerdahl / Flickr

A cidade de Nova Iorque, nos Estados Unidos, foi condenada a indemnizar em 52 milhões de euros um jovem que sofreu queimaduras graves durante uma experiência numa aula de química, em 2014, noticiou a imprensa local.

Um júri de Manhattan determinou que Alonzo Yanes, agora com 21 anos, deverá receber 29,5 milhões de dólares (cerca de 25 milhões de euros), respeitante à avaliação da dor e do sofrimento dos últimos cinco anos, e uma quantia semelhante por eventuais danos futuros. De acordo com a acusação, a experiência incluiu a manipulação de minerais salinos e metanol e foi realizada apesar das advertências da Secretaria de Educação da cidade.

O estudante ficou com queimadas de terceiro grau em mais de 30% do corpo. Yanes sofreu queimaduras no rosto, pescoço, braços e mãos, e teve de se submeter a várias operações de enxerto de pele. “Estava desesperadamente a ser queimado vivo (…) a dor foi insuportável”, disse Yanes durante o julgamento que durou três semanas, citado pelo diário norte-americano New York Post.

O porta-voz do Departamento Jurídico da cidade, Nick Paolucci, informou que, na sequência do caso, a experiência deixou de ser praticada no circuito educacional da cidade.

O advogado do jovem sublinhou que esta indemnização “ajudará Yanes a continuar a fazer tratamentos, potencialmente uma cirurgia plástica” mas “não pode consertar o passado”.

“Escusado será dizer que os ferimentos sofridos por Alonzo foram horríveis. Foram uma mudança de vida e, infelizmente, desfiguradores”, acrescentou.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.