Estudante de 18 anos criou um soutien que detecta o cancro da mama

-

Inspirado na luta da sua mãe contra um cancro da mama, um estudante de 18 anos inventou um soutien capaz de identificar sinais precoces da doença.

A tecnologia, baptizada de EVA Bra, foi desenvolvida pelo mexicano Julian Rios Cantu, de 18 anos, juntamente com mais três parceiros, e utiliza bio-sensores capazes de medirem a temperatura, o peso e a forma dos seios, alertando a utilizadora do soutien sobre possíveis mudanças.

Desenvolvido especialmente para mulheres com predisposição genética para o cancro da mama, o soutien está equipado com 200 bio-sensores que monitorizam a anatomia dos seios.

O equipamento envia os dados obtidos para uma aplicação, Eva Health, que informa e alerta as utilizadoras sobre possíveis alterações relacionadas com os sintomas do cancro.

O interessante é que só é preciso utilizar o soutien por 60 a 90 minutos por semana para obter resultados.

Soutien que detecta sinais de cancro da mama.

Julian Rios Cantu e os seus três parceiros são donos da empresa Higia Technologies que conquistou, em Abril passado, o prémio Global Student Entrepreneur Awards (GSEA), na Alemanha, por esta invenção inovadora.

O soutien ainda está em fase de protótipo, mas, segundo os seus criadores, o prémio de 20 mil dólares vai ajudar a dar continuidade ao desenvolvimento do produto.

“Estamos empenhados em trazer maior qualidade de vida às mulheres através da obtenção de uma profissionalização do método de ‘auto-exploração’, na detecção precoce e eficaz do cancro da mama”, declaram os jovens inventores.

Julian Rios Cantu teve a ideia para esta invenção depois de quase ter perdido a mãe por causa do cancro da mama, quando tinha 13 anos de idade.

Quando a mãe do empreendedor mexicano descobriu os primeiros sinais, disseram-lhe que eram tumores benignos. Contudo, com o tempo descobriu-se que, na verdade, se tratava de um tumor maligno que obrigou à remoção dos dois seios.

O caso inspirou Julian a encontrar um dispositivo que pudesse detectar mais cedo a doença. A invenção tem potencial para salvar milhões de vidas, além de ser esteticamente apelativa.

O cancro da mama é o segundo tipo de cancro que mais mata em todo o mundo, depois do cancro da pele. Segundo a Organização Mundial de Saúde, ocorrem 458 mil mortes por cancro da mama todos os anos.

Os tumores cancerígenos podem deixar a pele com uma temperatura diferente devido ao aumento do fluxo sanguíneo, sendo essa a principal premissa do soutien criado por Julian Rios Cantu, na detecção de possíveis sinais da doença.

No entanto, o aumento do fluxo sanguíneo não significa necessariamente que a portadora esteja a desenvolver cancro. “Ainda não há provas que mostrem se este soutien é uma maneira confiável de detectar tumores, é preciso que esta tecnologia seja plenamente testada”, alerta na BBC Anna Perman, do Instituto de Pesquisa de Cancro do Reino Unido.

A investigadora recomenda que o ideal é que as mulheres conheçam o seu próprio corpo e percebam “o que é normal” e o que pode ser “incomum”, procurando, neste caso, ajuda médica.

Apesar desta abordagem cautelosa da comunidade científica, a expectativa de Julian Rios Cantu e dos seus parceiros de negócio é que o soutien inovador comece a ser vendido já em 2018.

ZAP // Move

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Grupo de precários da Casa da Música dispensado de serviço via e-mail "meia hora depois" de uma vigília de protesto

Cerca de 13 trabalhadores "precários" da Casa da Música, no Porto, foram dispensados dos concertos que tinham alocados para o mês de junho. Em declarações à Lusa, Hugo Veludo, um dos 13 assistentes de sala …

Sete detidos em operação na Quinta da Fonte ficam em prisão preventiva

Os sete homens que foram detidos numa operação policial no bairro da Quinta da Fonte, em Loures, na segunda-feira, ficaram em prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa, revelou à agência Lusa a Polícia …

O parasita da malária tem o seu próprio relógio interno

Um novo estudo acaba de revelar que, mesmo quando cultivados fora do corpo, os parasitas da malária conseguem manter o seu ritmo. Quando uma pessoa contrai malária, acontece uma dança rítmica dentro do corpo. Os sinais …

Maduro e Guaidó juntam-se na luta contra a pandemia. EUA acusam país de impedir voos humanitários

O governo do Presidente venezuelano e o líder da oposição Juan Guaidó acordaram procurar conjuntamente fundos para combater a pandemia da covid-19 na Venezuela, de acordo com um documento divulgado esta terça-feira na televisão oficial. No …

Marítimo "aplaude" Costa no espectáculo de Bruno Nogueira e pede adeptos nos Estádios

Com recurso a fotografias de António Costa no Campo Pequeno, a assistir ao espectáculo "Deixem o pimba em paz" de Bruno Nogueira, o Marítimo "aplaude" o gesto do primeiro-ministro e apela a que o futebol …

Sexta extinção em massa cada vez mais próxima. Mais de 500 vertebrados estão em risco

Uma sexta extinção em massa está cada vez mais perto, alertam os cientistas. Mais de 500 espécies de vertebrados estão sob ameaça de extinção devido aos seres humanos. Em 2015, o biólogo da Universidade de Stanford …

O Oumuamua pode ser um icebergue de hidrogénio (e um dos objetos mais raros do Universo)

Uma equipa de astrónomos da Universidade de Yale e da Universidade de Chicago propôs uma nova descrição para o Oumuamua, o primeiro objeto interestelar a passar pelo nosso Sistema Solar. De acordo com a nova teoria …

A Via Láctea pode ter sido esmagada por campos magnéticos quando ainda era um "bebé cósmico"

Nos primeiros dias do Universo, quando a Via Láctea ainda era apenas um bebé cósmico, campos magnéticos poderosos podem tê-la esmagado e ter tido um grande impacto no seu crescimento. Em entrevista ao NewScientist, astrofísicos da …

Veneno de caracol marinho usado para criar insulina híbrida promissora no tratamento da diabetes

Cientistas criaram uma versão minimalista e híbrida de insulina, a partir da hormona humana e de um caracol marinho, que pode vir a melhorar o tratamento da diabetes, divulgou a universidade norte-americana de Ciências da …

Sequelas da covid-19 em doentes mais graves ainda estão por compreender

O acompanhamento depois da alta para doentes que estiveram internados com covid-19 é um dos grandes desafios do sistema de saúde para compreender que sequelas, por enquanto desconhecidas, a doença poderá deixar. “Só daqui a seis …