Estudante de 18 anos criou um soutien que detecta o cancro da mama

-

Inspirado na luta da sua mãe contra um cancro da mama, um estudante de 18 anos inventou um soutien capaz de identificar sinais precoces da doença.

A tecnologia, baptizada de EVA Bra, foi desenvolvida pelo mexicano Julian Rios Cantu, de 18 anos, juntamente com mais três parceiros, e utiliza bio-sensores capazes de medirem a temperatura, o peso e a forma dos seios, alertando a utilizadora do soutien sobre possíveis mudanças.

Desenvolvido especialmente para mulheres com predisposição genética para o cancro da mama, o soutien está equipado com 200 bio-sensores que monitorizam a anatomia dos seios.

O equipamento envia os dados obtidos para uma aplicação, Eva Health, que informa e alerta as utilizadoras sobre possíveis alterações relacionadas com os sintomas do cancro.

O interessante é que só é preciso utilizar o soutien por 60 a 90 minutos por semana para obter resultados.

Soutien que detecta sinais de cancro da mama.

Julian Rios Cantu e os seus três parceiros são donos da empresa Higia Technologies que conquistou, em Abril passado, o prémio Global Student Entrepreneur Awards (GSEA), na Alemanha, por esta invenção inovadora.

O soutien ainda está em fase de protótipo, mas, segundo os seus criadores, o prémio de 20 mil dólares vai ajudar a dar continuidade ao desenvolvimento do produto.

“Estamos empenhados em trazer maior qualidade de vida às mulheres através da obtenção de uma profissionalização do método de ‘auto-exploração’, na detecção precoce e eficaz do cancro da mama”, declaram os jovens inventores.

Julian Rios Cantu teve a ideia para esta invenção depois de quase ter perdido a mãe por causa do cancro da mama, quando tinha 13 anos de idade.

Quando a mãe do empreendedor mexicano descobriu os primeiros sinais, disseram-lhe que eram tumores benignos. Contudo, com o tempo descobriu-se que, na verdade, se tratava de um tumor maligno que obrigou à remoção dos dois seios.

O caso inspirou Julian a encontrar um dispositivo que pudesse detectar mais cedo a doença. A invenção tem potencial para salvar milhões de vidas, além de ser esteticamente apelativa.

O cancro da mama é o segundo tipo de cancro que mais mata em todo o mundo, depois do cancro da pele. Segundo a Organização Mundial de Saúde, ocorrem 458 mil mortes por cancro da mama todos os anos.

Os tumores cancerígenos podem deixar a pele com uma temperatura diferente devido ao aumento do fluxo sanguíneo, sendo essa a principal premissa do soutien criado por Julian Rios Cantu, na detecção de possíveis sinais da doença.

No entanto, o aumento do fluxo sanguíneo não significa necessariamente que a portadora esteja a desenvolver cancro. “Ainda não há provas que mostrem se este soutien é uma maneira confiável de detectar tumores, é preciso que esta tecnologia seja plenamente testada”, alerta na BBC Anna Perman, do Instituto de Pesquisa de Cancro do Reino Unido.

A investigadora recomenda que o ideal é que as mulheres conheçam o seu próprio corpo e percebam “o que é normal” e o que pode ser “incomum”, procurando, neste caso, ajuda médica.

Apesar desta abordagem cautelosa da comunidade científica, a expectativa de Julian Rios Cantu e dos seus parceiros de negócio é que o soutien inovador comece a ser vendido já em 2018.

ZAP // Move

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Cientistas investigam estranho gelo cor-de-rosa num glaciar dos Alpes italianos

Uma equipa de cientistas anunciou esta segunda-feira estar a tentar averiguar a origem de gelo cor-de-rosa num glaciar nos Alpes italianos. O fenómeno deverá ser provocada por algas que aceleram os efeitos das mudanças climáticas. A origem …

Especialistas de 32 países alertam OMS: covid-19 também se transmite pelo ar

Numa carta aberta à Organização Mundial de Saúde, 239 cientistas pedem que a organização reveja as recomendações que tem emitido, alertando para o facto de a covid-19 poder transmitir-se pelo ar. Numa carta dirigida à Organização …

Moreirense 0-0 Sporting | Nulo em jogo de pólvora seca

A 30ª jornada fechou no Minho com um nulo entre Moreirense e Sporting, que continua sem derrotas sob o comando de Rúben Amorim. A formação leonina poderia muito bem ter vencido em Moreira de Cónegos, pois …

Armazém flutuante. A China está a guardar petróleo no mar (e já se sabe porquê)

A China está a guardar uma quantidade épica de petróleo no mar. De acordo com a CNN, o país comprou tanto petróleo estrangeiro a preços baratos que formou um congestionamento maciço de navios-tanque no mar, …

Peregrinos em Meca proibidos de tocar ou beijar a Caaba por causa da covid-19

Os muçulmanos que vão participar na peregrinação a Meca não poderão tocar ou beijar a Caaba nem a "pedra negra", presentes na Grande Mesquita, local considerado como um dos mais sagrados pelo Islão, informaram as …

Países Baixos continuam a abater milhares de martas. 20 quintas afetadas pela pandemia

Esta segunda-feira, as autoridades holandesas abateram milhares de martas em mais duas fazendas onde foram detetados surtos de covid-19. Esta segunda-feira, as autoridades abateram milhares de martas em mais duas fazendas, sendo agora 20 as quintas …

Cientistas criam robô para fazer testes à covid-19 (e proteger os profissionais de saúde)

O Korea Institute of Machinery & Materials (KIMM) desenvolveu um novo robô de coleta remota de amostras que elimina o contacto direto entre os profissionais de saúde e os pacientes, potencialmente infetados com o novo …

"Não use desodorizante". A peculiar estratégia de Berlim para promover o uso de máscaras nos transportes públicos

"Não use desodorizante". Esta é a peculiar campanha adotada pela empresa que controla os transportes públicos em Berlim, na Alemanha, para promover o uso correto de máscaras, evitando assim novos casos de covid-19.  Tal como escreve …

Vírus pode ter estado adormecido antes de surgir na China, diz investigador de Oxford

O novo coronavírus pode ter estado adormecido algures no mundo antes de ter surgido na China, defendeu o investigador da Universidade de Oxford, Tom Jefferson, apontando para várias descobertas de amostras do vírus em Espanha, …

Federer sente falta de Wimbledon. "Deu-me tudo"

Roger Federer admitiu sentir a falta de Wimbledon, o torneio do "Grand Slam" que, se não tivesse sido cancelado devido à pandemia de covid-19, estaria a decorrer em Londres. O tenista suíço Roger Federer admitiu, esta …