/

Descoberta uma nova estrela rodeada de “mega-estrutura alienígena”

5

NASA/JPL-Caltech

Hipotético anel disforme de poeira em KIC 8462852, também conhecida como Estrela de Boyajian ou Estrela de Tabby.

Um grupo internacional de cientistas descobriu uma nova estrela cuja luminosidade varia de forma misteriosa. Uma das teorias é que possa estar rodeada de uma possível mega-estrutura extraterrestre que ofusca a luz de tempos e tempos.

Baptizada VVV-WIT-07, a nova estrela foi detectada na análise de dados do programa VISTA Variables que estuda a área central da Via Láctea, através de um telescópio situado no Deserto de Atacama, no Chile.

Os cientistas procuravam super-novas e estrelas que se iluminam subitamente, à medida que explodem, como explicam no portal científico arXiv.org que fala da descoberta.

As observações da VVV-WIT-07, no período entre 2010 e 2018, revelam que o seu brilho aumenta e diminui sem um padrão pré-determinado, chegando a ofuscar a sua luminosidade em 80%.

Não sabemos que tipo de objecto é“, assume o astrónomo Roberto Saito, da Universidade Federal de Santa Catarina em Florianópolis, no Brasil, em declarações ao Science News.

Os cientistas admitem que pode ser algum tipo de destroço que orbita em torno dela que bloqueia a luz. Mas também há uma teoria que aponta para a existência de uma potencial mega-estrutura extraterrestre, a girar em torno dela, bloqueando a luz de tempos a tempos.

Só mais observações poderão desfazer o mistério. Mas em 2018, uma investigação em torno da estrela Tabby (KIC 8462852), a estrela inexplicável que tem um comportamento semelhante ao da VVV-WIT-07, concluiu que as mudanças de luminosidade se devem a partículas de pó, que bloqueiam as ondas de luz.

Durante meses, a Tabby alimentou o imaginário de astrónomos e cientistas das mais variadas áreas, que procuraram explicações para a misteriosa “mega-estrutura alienígena” que rodeava a estrela.

A astrónoma Tabetha Boyajian, da Universidade do Estado do Louisiana, refere ao Science News que se o fenómeno que se verifica com a VVV-WIT-07 “é o mesmo que ocorre com a estrela Tabby, então não podemos invocar uma explicação elaborada para o que está a acontecer em ambos os sistemas”.

“Se começarmos a ver estrelas semelhantes a esta em todo o lado, então tem que ser uma coisa bastante comum que acontece na natureza” e isso “é muito fixe”, diz ainda a astrónoma.

Há ainda outra estrela similar, a J1407, que foi descoberta em 2012, pelo astrónomo Eric Mamajek, da Universidade de Rochester em Nova Iorque. Esta estrela é ainda mais parecida com a VVV-WIT-07, obscurecendo em cerca de 95%, e acredita-se que alberga um planeta na sua órbita, com um sistema de anéis que a eclipsa de tempos a tempos.

O mistério prossegue, assim, em torno da nova estrela detectada. E, nesta altura, a localização da VVV-WIT-07 não permite traçar a sua distância em relação à Terra, nem sequer o tipo de estrela que é, pelo que “está praticamente tudo em cima da mesa“, refere Boyajian. “São precisos mais dados” para tirar todas as dúvidas”.

  ZAP //

5 Comments

  1. Calma que a Nasa daqui a uns dias depois de analisar durante 30 segundos os dados vai concluir que não é nada é apenas pó misturado com gelo e assunto encerrado.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE