Estadia de Puigdemont na Bélgica financiada por criptomoeda

Salvatore di Nolfi / EPA

Carles Puigdemont, ex-líder do Governo da Catalunha, Espanha

O juiz que investiga o desvio de fundos públicos na Catalunha atribuiu ao informático Jaume Cabaní um papel-chave na transferência de dinheiro para o ex-presidente Carles Puigdemont, através de criptomoedas e da criação de uma ‘república digital’.

Tal como consta de um relatório da Guardia Civil remetido ao titular do julgado de instrução número 1 de Barcelona, Joaquín Aguirre, o investigado Jaume Cabaní teria obtido recursos da Plataforma Pró-Seleções Desportivas Catalães provenientes de subvenções públicas que se teriam usado para financiar as atividades de Puigdemont.

Do sumário do processo, consultado pela agência Efe, depreende-se que estes fundos foram utilizados, entre outros fins, para pagar os honorários dos advogados do ex-presidente, fugido à justiça, através de uma transferência feita em finais de 2017 para uma entidade que permite o câmbio de bitcoins por euros.

Os fundos teriam sido canalizados através de uma plataforma, à qual Cabaní emitiu uma fatura de 10.559 euros em agosto de 2017, “mascarando assim o verdadeiro destino” dos mesmos que, para a Guardia Civil, “não é outro que desenvolver os sistemas tecnológicos e informáticos que permitam a instalação da criptomoeda e da república digital”.

A Guardia Civil considera também que o dinheiro recebido pelo informático poderia estar a ser transformado em criptomoeda, que o próprio venderia e com a qual se financia o desenvolvimento da república digital, “para escapar ao controlo das autoridades”, pelo que pode ter havido um crime de desvio de recursos públicos e outro de branqueamento de capitais.

Cabaní, para quem o juiz emitiu uma decisão europeia de investigação, dado o risco de ocultação e destruição de provas, mudou-se para a Bélgica no início de 2018 e registou-se como informático na denominada Casa de la República, a residência belga de Puigdemont.

Este, estaria alegadamente a beneficiar de parte do dinheiro obtido de forma irregular, através de entidades intermediárias e com adjudicação de subvenções, outorgadas por instituições sobre a direção da JxCat (coligação Juntos pela Catalunha) e da extinta Convergència.

Fundos em mais de 120 mil euros

Além dos da Plataforma Pró-Seleções Desportivas Catalães, Cabaní teria recebido fundos da Fundação Barcelona Formação Profissional, Fundação Bertelsmann, Agência de Empreendedorismo, Inovação e Conexão — cujos sócios são as autarquias de Vic e de Manlleu, o Conselho da Comarca de Osona e a Fundação Universitária Balmes –, a Associação Unidos para o Fomento da Coesão e da Catalunidade (AUFCC), Partal Maresma i Associats (Vilaweb) e CatGlobal.

No total, acrescenta o documento da Guardia Civil, os fundos procedentes destas entidades excederiam os 120 mil euros.

A Guardia Civil também concluiu que, com base em conversas telefónicas, entre os exdirigentes da CDC David Madí e Víctor Terradellas, que Cabaní era o “cérebro” encarregado do projeto da criptomoeda, com o qual se queria “provocar uma mudança no modelo económico, transformando os recursos monetários de que pudessem dispor na atualidade ou no futuro”, através da aquisição de ‘bitcoins’ com dinheiro público desviado.

Esta “transformación digital” estaria a ser impulsionada pelo Conselho da República e por Puigdemont, com quem Cabaní mantém uma “estreita relação”, ocupando inclusive uma situação estratégica na esfera do poder” do ex-presidente, cujos trabalhos coordenaria em ligação direta com o Departamento de Políticas Digitales, que dirige Jordi Puigneró.

No seu relatório, a Guardi Civil sublinha que a digitalização “é uma via de fuga ao controlo do Estado” para os dirigentes independentistas, que pretenderiam criar uma “administração virtual”, para que os cidadãos pudessem votar em uma Catalunha independente, seguindo o modelo da Estónia, onde precisamente Cabaní tem uma empresa.

Desta maneira, ainda segundo a Guardia Civil, os investigados consideram a criptomoeda como “a via ideal para conseguir os seus objetivos”, designadamente “dispor de financiamento, originariamente proveniente de fundos públicos, para avançar para a independência”.

  // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Técnicos insistem que INEM transporta muitos doentes não urgentes para urgências hospitalares

Os técnicos de emergência pré-hospitalar insistiram na necessidade de rever os fluxos de triagem dos doentes transportados pelo INEM para as urgências dos hospitais e reconhecem maior dificuldade na passagem do doente devido à elevada …

Ministro da Defesa não participou na organização das comemorações do Dia do Exército — onde foi vaiado

João Gomes Cravinho não participou no processo de organização do Dia do Exército, cerimónia onde foi vaiado e onde não foi tocado o hino daquela força militar. O governante foi, nas últimas 24 horas, defendido …

Recorde: Palmeiras de Abel rematou... 36 vezes num jogo

Um "massacre" da equipa de Abel Ferreira, que conseguiu uma vitória difícil contra o Sport. O Palmeiras prolongou a série positiva no Brasileirão. A equipa de Abel Ferreira chegou à terceira vitória consecutiva no campeonato, levando …

A vitória em Barcelona deve ajudar... a bilheteira do Real Madrid

O máximo que o Santiago Bernabéu registou nesta época foi 24 mil espectadores. Com condicionantes. O renovado Estádio Santiago Bernabéu já acolheu três jogos do Real Madrid nesta temporada mas muitas cadeiras ficaram vazias. O mítico palco …

Mais três mortes e 829 novos casos por covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal conta mais mais 1284 recuperados. A maioria dos novos casos são em Lisboa e Vale do Tejo e no Centro. Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais três mortes e 829 casos de infecção pelo …

Operação Marquês. Relação de Lisboa obriga Ivo Rosa a admitir o recurso do MP e a ficar com os autos da não pronúncia

O Tribunal da Relação de Lisboa decidiu que o juiz de instrução criminal tem de continuar a ser responsável por parte do megaprocesso da Operação Marquês, contra a vontade do magistrado. O Tribunal da Relação de …

OE2022: Catarina Martins diz que Governo “talvez queira” uma crise política

A coordenadora do BE, Catarina Martins, acusou hoje o PS de não querer uma solução para o Orçamento do Estado, considerando que o Governo “talvez queira” uma crise política e eleições antecipadas, o que será …

Nova maternidade de Gaia entra em funcionamento em janeiro de 2022

Vila Mova de Gaia está prestes a ter uma nova maternidade. Espera-se que as obras fiquem concluídas em dezembro deste ano. O funcionamento deverá ter início em janeiro de 2022. Rui Guimarães, presidente do Conselho de …

Teste à covid-19

Investigadores descobrem marcador biológico que antecipa prognóstico de covid-19

Um grupo internacional de investigadores no qual estiveram envolvidos especialistas da Fundação Champalimaud descobriu um marcador biológico com potencial para dar prognóstico da gravidade da covid-19, com a deteção do marcador a resultar de um …

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque

Nem as regiões autónomas são boia de salvação. PSD Açores e PSD Madeira contra OE2022

As regiões autónomas têm historial de votar de forma diferente o Orçamento do Estado, caso seja essa a indicação da comissão política regional e se houver ganhos para a região. Desta vez, parece não ser …