Está provado: os humanos são realmente feitos de pó de estrelas

Z. Levay and R. van der Marel, STScI; T. Hallas; and A. Mellinger / NASA, ESA

-

Uma análise realizada a 150 mil estrelas mostra que os seres humanos e a nossa galáxia têm cerca de 97% do mesmo tipo de átomos.

Além disso, foi observado que os elementos da vida parecem existir em maior quantidade no centro da galáxia. Esses elementos são abreviados como CHONPS: carbono, hidrogénio, oxigénio, nitrogénio, fósforo e enxofre.

Pela primeira vez, os astrónomos conseguiram catalogar a abundância desses elementos numa enorme amostra estelar, utilizando um método chamado espectroscopia.

Cada um desses elementos emite ondas de luz com comprimentos diferentes, e os cientistas mediram as amostras de escuridão e brilho em cada espectro de luz para determinar a composição de cada estrela.

Os especialistas usaram medidores estelares do Sloan Digital Sky Survey, do observatório APOGEE, no Novo México. Como a técnica usa infravermelhos, a poeira da Via Láctea não atrapalhou a medição.

Apesar de os humanos apresentarem os mesmo elementos que as estrelas, as proporções são bastante diferentes. Por exemplo, um ser humano é formado por 65% de oxigénio, que representa apenas 1% de todos os elementos medidos no espaço.

A localização das estrelas também influencia essa composição – as estrelas na nossa região do espaço têm menos elementos necessários para a vida, como oxigénio, quando comparadas com estrelas da região central da galáxia.

Dana Berry/SkyWorks Digital Inc.; SDSS collaboration

Os seis elementos mais comuns da vida na Terra (carbono, hidrogénio, nitrogénio, oxigénio, enxofre e fósforo) são também os mais abundantes no centro de nossa galáxia

Os seis elementos mais comuns da vida na Terra (carbono, hidrogénio, nitrogénio, oxigénio, enxofre e fósforo) são também os mais abundantes no centro de nossa galáxia

“É um assunto de interesse humano, porque agora podemos mapear a abundância de todos os principais elementos encontrados no corpo humano através de centenas de milhares de estrelas na Via Láctea”, afirma Jennifer Johnson, cientista da SDSS-III APOGEE e professora na Universidade Estadual de Ohio.

“Isso permite-nos ver onde e quando é que a vida passou a ter os elementos necessários para evoluir na galáxia”, destacou.

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Já estou mais conformado, possivelmente ainda virei a transformar-me em estrela e certamente mais brilhante do que estas que andam por aí a brilhar nas TVs.

  2. Muita verdade…A esse documentario; existe mesmo a possibilidade que somos estrelas após existência terrena e podemos com nossa sensibilidade e energia sintonizar e ver esse campo magnético Onde as moléculas são transformadas em luz de densidade em sintonia de vibração e movimentos de Beleza inigualável.

RESPONDER

Morreu Rogério "Pipi", histórico jogador do Benfica

O ex-futebolista internacional português, que se evidenciou ao serviço do Benfica nas décadas de 40 e 50 do século passado, morreu este domingo, um dia depois de completar 97 anos. "Foi com profunda tristeza e pesar …

Milhares de manifestantes voltam às ruas de Hong Kong

A polícia de Hong Kong deteve, este domingo, onze pessoas e apreendeu várias armas, incluindo uma pistola, pouco antes do início de uma manifestação convocada para a cidade, para a qual se espera uma forte …

Irão e Estados Unidos trocam prisioneiros

Irão e Estados Unidos realizaram, este sábado, uma troca de prisioneiros que envolveu a troca de um investigador sino-americano por um cientista iraniano detido pelos EUA, num avanço diplomático que surge após meses de tensão …

Coreia do Norte anuncia "teste muito importante" em local de lançamento de mísseis

A Coreia do Norte anunciou ter realizado um "teste muito importante" no local de lançamento de mísseis de longo alcance, defendendo que terá um efeito fundamental na futura posição estratégica do país. A Agência Central de …

Balas que assassinaram John F. Kennedy preservadas em modelo 3D

A partir do próximo ano, os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos vão disponibilizar, no seu catálogo online, imagens 3D das balas que assassinaram o antigo presidente norte-americano John F. Kennedy. Para criar os modelos das …

Pela primeira vez, neurónios artificiais foram criados para curar doenças crónicas

Uma equipa de investigadores conseguiu recriar as propriedades biológicas dos neurónios em chips, que podem ser úteis ajudar na cura de doenças neurológicas crónicas. Naquele considerado um feito única na ciência, investigadores da Universidade de Bath …

Cientistas encontram uma relação negativa "muito forte" entre inteligência e religiosidade

Uma equipa de investigadores sugere que pessoas religiosas tendem a ser menos inteligentes do que pessoas sem crenças religiosas. O estudo tem gerado uma grande controvérsia. A religião é um tema forte, capaz de juntar ou …

Descoberta nova espécie de tubarão pré-histórico que podia chegar aos sete metros

Uma nova espécie de tubarão pré-histórico foi descoberta no Kansas, nos Estados Unidos. Este predador podia crescer até quase sete metros de comprimento. De acordo com a revista Newsweek, Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, e Michael …

Conhecido medicamento para diabetes pode conter um carcinógeno

A Food and Drug Administration, agência federal e reguladora do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, está a testar amostras de metformina, um medicamento para diabetes que pode conter o carcinógeno N-Nitrosodimetilamina …

Nobel da Física diz que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra

Didier Queloz disse, este sábado, estar convencido de que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra, razão pela qual está "zangado" com alguns argumentos do cofundador da Tesla, Elon Musk. Os suíços …