Escritor chinês que se inspirou nos homicídios que cometeu condenado à morte

(dr) Zhejiang Province Public Security Bureau

Liu Yongbiao, o escritor chinês que se inspirou nos seus próprios crimes e que foi condenado à morte

Um aclamado escritor chinês foi condenado à morte 23 anos depois de ter assassinado quatro pessoas, crimes que serviram de inspiração às suas obras.

Segundo o Daily Mail, Liu Yongbiao e um cúmplice roubaram e mataram quatro pessoas depois de deixarem uma guesthouse onde tinham pernoitado. A dupla de criminosos nunca foi apanhada e, nas duas décadas que se seguiram, o homem de 53 anos tornou-se um aclamado escritor na China.

O caso ficou por resolver durante 23 anos por falta de provas. As autoridades chinesas explicaram que o estabelecimento onde ocorreu o crime não tinha quaisquer dados dos hóspedes, tornando-se impossível localizar os suspeitos. Além disso, também não havia câmaras de videovigilância que pudessem ter captado os criminosos.

Em agosto do ano passado, numa entrevista à China Central Television Station, depois de a polícia ter encontrado vestígios de ADN e de ter detido o escritor, Liu confessou que algumas das suas obras eram inspiradas nos seus pensamentos sobre o crime mas que não se atreveu a criar qualquer personagem baseada nas pessoas que matou.

Ao recordar o assassinato, Liu disse ao repórter da estação televisiva que ele e o seu cúmplice tinham usado corda, paus e martelos para matar estas pessoas e que tinha sido uma coisa “tão cruel” que merecia “morrer 100 vezes” pelo que tinha feito.

Liu também confessou que mataram um dos hóspedes que partilhou o quarto com eles porque lhes pareceu uma pessoa rica, embora depois só tenham encontrado um relógio, um anel e dez yuan (uma quantia equivalente a um euro).

Os vestígios de ADN, encontrados em junho do mesmo ano na saliva que estava numa beata de cigarro, foram essenciais para chegar ao escritor. Durante dois meses, a polícia viajou por 15 províncias chinesas e comparou dados de mais de 60 mil pessoas para encontrar os suspeitos.

Na mesma entrevista, Liu disse que percebeu que as autoridades estavam novamente a investigar o caso, no entanto, como as memórias do crime o assombraram ao longo dos anos, concordou em fornecer a sua amostra de ADN.

Na altura, o aclamado escritor pediu à mulher e à filha que fossem embora enquanto estava a aguardar pelos resultados e também falou com o cúmplice, que vivia em Shanghai, para finalmente enfrentarem o seu destino. Dois dias depois, os testes feitos em laboratório confirmaram que a saliva encontrada no cigarro era a de Liu.

Esta segunda-feira, durante o julgamento em Huzhou, na província chinesa de Zhejiang, os dois criminosos foram condenados à morte pelo chocante assassinato que ocorreu a 29 de novembro de 1995.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A ilha mais povoada do Hawai pode perder 40% das suas praias até 2050

A subida do nível das águas do mar pode fazer com que a ilha mais povoada do Havai perca 40% das suas praias, alerta uma nova investigação. Em causa está a ilha de Oahu, a …

Pela primeira vez em 10 anos, a Wikipédia vai mudar de aparência

A icónica Wikipédia vai, pela primeira vez em 10 anos, ser modificada para tornar o site mais acessível - e menos "assustador" - para novos utilizadores. A Wikipédia tem sido parte integrante da cultura da web …

Encontrados medicamentos ilegais em suplementos para o cérebro

Cientistas encontraram medicamentos ilegais, não aprovados nos Estados Unidos, em suplementos que alegadamente melhoram o desempenho cognitivo. Clareza mental, criatividade aprimorada e uma memória extremamente nítida são algumas das promessas feitas a quem compra suplementos de …

Voluntários oferecem-se para cumprir pena de jovem acusado de blasfémia

Num ato de solidariedade, 120 voluntários pediram para cumprir a pena de um jovem nigeriano condenado a 12 anos de prisão por blasfémia. Entre os voluntários está o diretor do Memorial de Auschwitz. Ao todo, 120 …

ADN ajuda a identificar assassino em série num dos mais infames casos da Austrália

Uma amostra de ADN ajudou a justiça australiana a considerar um homem como culpado pelo assassinato de duas mulheres na década de 1990, encerrando um caso que permaneceu sem solução durante quase 25 anos. Durante quase …

Mais 665 casos e nove mortes por covid-19 em Portugal

Portugal regista, este domingo, mais 665 novos casos positivos e nove mortes por covid-19, segundo boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Assim, desde o início da pandemia, Portugal conta com 73.604 infetados e 1.953 …

De guerreiros a anciões. Grupo étnico no Quénia faz cerimónia única de "transformação"

Milhares de homens Maasai vestidos com xales vermelhos e roxos e com as suas cabeças revestidas de ocre vermelho reuniram-se esta semana para uma cerimónia que os transforma de Moran (guerreiros) em Mzee (anciãos). De acordo …

Há 60 anos, Richard Nixon tricou uma sanduíche (e este homem guardou-a desde então)

Há 60 anos, o então vice-Presidente dos Estados Unidos, Richard Nixon, trincou uma sanduíche - e Steve Jenne, um homem que vive em Illinois, guardou-a os restos desde então. De acordo com o The New York …

Coreia do Norte adverte Sul para não procurar nas suas águas oficial assassinado

A Coreia do Norte pediu hoje à Marinha sul-coreana que deixe de entrar nas suas águas territoriais, numa altura em que Seul procura recuperar o corpo de um oficial sul-coreano morto a tiro no mar …

"Um abandonar dos utentes". Centros de saúde atiram pacientes para farmácias e privados

Sem resposta nos centros de saúde, vários utentes vêm-se obrigados a recorrer ao setor privado e a farmácias. A Entidade Reguladora de Saúde já recebeu várias reclamações. Face à pandemia de covid-19, os centros de saúde …