Vietname. Escritor condenado a 12 anos de prisão por escrever críticas ao governo

1

Trần Đức Thạch / Facebook

O escritor vietnamita Tran Duc Thach (dir)

Um escritor e ativista vietnamita foi condenado esta terça-feira a 12 anos de prisão por ter escrito artigos criticando o governo, que publicou na sua página no Facebook, uma década depois de ter sido foi libertado por um crime semelhante.

Em 2009, o escritor e poeta Tran Duc Thach, de 69 anos – condenado agora sob a acusação de tentativa de derrubar o governo – esteve preso durante três anos por criar “propaganda contra o Estado”, tendo entrado na lista de 10 mil reclusos que receberam amnistia em 2011.

Nos últimos meses, o Governo vietnamita intensificou os esforços para silenciar os críticos e dissidentes. Thach foi detido em abril e o julgamento desta terça-feira durou cerca de cinco horas, noticiou a agência AFP.

“No tribunal, Thach admitiu o seu crime”, relatou a media estatal. O ativista foi acusado de escrever e publicar vários artigos “distorcendo eventos económicos, socio-políticos, enegrecendo e humilhando líderes do partido e do Estado” na sua página do Facebook, entre maio de 2019 a março de 2020, informou.

A poesia de Thach se concentra na vida sem liberdade e justiça e os seus romances cobrem abusos dos Direitos Humanos e o sistema jurídico do país. No seu livro de memórias, “A Haunting Collective Grave”, conta a história do assassinato em massa de civis por soldados do exército em Dong Nai, em abril de 1975, que o próprio testemunhou.

O vice-diretor da Human Rights Watch na Ásia, Phil Robertson, criticou a detenção. “Quando o Vietname vai perceber que cidadãos como Tran Duc Thach devem ser homenageados pelo seu compromisso com a reforma e os direitos, e não perseguidos por apontar as deficiências do governo e da sociedade?”, disse em comunicado. A organização informou que o escritor terá sido detido pelo menos 10 vezes desde 1978.

No início deste mês, a Amnistia Internacional acusou o Facebook de ajudar a censurar a dissidência pacífica e a expressão política no país. A rede social admitiu que estava a bloquear conteúdo considerado ilegal pelas autoridades, enquanto o seu último relatório sobre transparência revelou um aumento de quase 1000% no conteúdo censurado por ordem do governo, em comparação com os seis meses anteriores.

  ZAP //

1 Comment

  1. Isto também pode acontecer no País dos Chinocas, ou em Portugal…
    Parece que o mundo, em geral, prefere a Ditadura. Que tristeza!!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.