Envelhecer é o maior fator de risco para cancro (em que não há nada que possamos fazer)

hapal / Flickr

O envelhecimento provoca em nós mudanças a nível estrutural e funcional que não podemos evitar. Essas mudanças são o maior fator de risco para o desenvolvimento de cancro.

Enquanto há fatores e comportamentos que podem agravar o desenvolvimento de vários tipos de cancro, que são de certa forma evitáveis, há um fator que nada podemos fazer para o travar. Cientistas da Miami Miller School of Medicine publicaram, no mês passado, um estudo que associa o envelhecimento celular a uma maior risco de cancro.

A estatística é assustadora. De acordo com os dados do Surveillance Epidemiology and End Results do Instituto Nacional da Cancro dos Estados Unidos, 43% dos homens e 38% das mulheres vão desenvolver cancro ao longo da sua vida. A mortalidade está fixada em 23% e 19%, respetivamente.

Pior é ainda saber que pouco podemos fazer para evitar isso, sendo que o estudo sugere que as alterações a nível celular à medida que uma pessoa envelhece podem contribuir para a leucemia mielóide aguda (LMA) e outros tipos de cancro no sangue, como o explica o Tech Explorist.

“Se pensarmos em todo o material genético como hardware, o epigenoma é o software da célula, responsável por determinar o comportamento da célula. A nossa teoria era que, com a idade, esse programa epigenético se ia corrompendo, o que acabou por se verificar”, explicou Maria Figueroa, uma das autoras do estudo.

“Há um conjunto básico de mudanças que se verificaram em todos os indivíduos”, realçou Figueroa. O envelhecimento resulta na reprogramação epigenética de importantes componentes regulatórios do genoma, limitando o seu desempenho.

Para efeitos científicos, os cientistas recolheram células estaminais de 41 pessoas entre os 18 e os 30 anos, e 55 pessoas entre os 65 e 75 anos — sendo que nenhuma delas tinha cancro.

Muitas dessas alterações detetadas com o envelhecimento celular eram semelhantes às observadas nas células cancerígenas, demonstrou o estudo. Contudo, não quer obrigatoriamente dizer que estas células se tornem cancerígenas.

Nem todos que envelhecem ficam com cancro, nem todos que têm estas mudanças ou mutações genéticas desenvolvem cancro. Esperamos que este estudo leve a mais investigações sobre mudanças relacionadas com a idade para identificar quais dessas mudanças e quais fatores coexistentes são realmente críticos para nos colocar em risco de cancro”, alertou Figueroa.

Além disso, a cientista espera que esses novos estudos possam permitir perceber se é possível intervir para alterar esses fatores de risco para o desenvolvimento de uma das doenças que mais mata no mundo.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Olha a novidade…à anos que li que, dos que chegarem a velhos poucos escaparão à possibilidade de desenvolver tão funesta doença .

Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta. A cena "gansos de Meidum", originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se …

Físico cria algoritmo de IA que pode provar que a realidade é uma simulação

Hong Qin, do Laboratório de Física de Plasma de Princeton (PPPL) do Departamento de Energia dos EUA, criou um algoritmo de Inteligência Artificial que pode provar que a realidade é, na verdade, uma simulação. O algoritmo …

Quase 10 anos depois, avião de Gaddafi continua parado num aeródromo em França

Quase uma década depois de ter aterrado em solo francês, o avião presidencial do ex-ditador líbio continua parado num aeródromo no sul do país, estando no meio de vários processos judiciais que parecem não ter …

Governo recebeu 1.600 ideias para a bazuca. Costa agradece mobilização

Durante a fase de discussão pública, o Plano de Recuperação e Resiliência recebeu mais de 1.600 contribuições e mais de 65 mil consultas. O primeiro-ministro António Costa disse que, durante a fase de discussão pública, …

"Honjok" é o nome do movimento sul-coreano que reivindica a solidão

A solidão tornou-se um tema recorrente devido à pandemia de covid-19. Na Coreia do Sul, existe um movimento chamado "honjok", que promove um estilo de vida solitário. O isolamento imposto pela pandemia de covid-19 está a …

Do subsolo sírio à nomeação ao Óscar: hospitais em tempos de guerra numa "era de impunidade"

The Cave é o nome de uma produção que esteve nomeada para o Óscar de Melhor Documentário de 2020. É também o lugar onde hospitais sírios se escondem para salvar vidas longe de bombardeamentos e …

Patrícia Mamona sagra-se campeã no triplo salto em pista coberta

Esta tarde, Patrícia Mamona tornou-se a terceira atleta portuguesa a garantir a medalha de ouro para Portugal no Campeonato da Europa em pista coberta. A portuguesa Patrícia Mamona conquistou, este domingo, a medalha de ouro na …

Dias de aulas mais longos, férias mais curtas e cinco períodos. Em Inglaterra, já se equacionam formas de recuperar o tempo perdido

Há três medidas em cima de mesa que podem vir a ser adotadas para combater os atrasos na aprendizagem dos alunos. Na Inglaterra, as escolas reabrem para aulas presenciais esta segunda-feira, mas já se pensa …

Índia abre centro de bem-estar para hóspedes abraçarem vacas e "esquecerem todos os problemas"

Animais de conforto e apoio emocional são cada vez mais populares em todo o mundo. Embora a maioria das pessoas use cães ou gatos, há também algumas escolhas mais bizarras, incluindo pavões, macacos e cobras. Os …

Abel Ferreira tentou levar jogador do Benfica para o Palmeiras

O treinador português Abel Ferreira, no comando técnico dos brasileiros do Palmeiras, pediu a contratação de Franco Cervi, que alinha pelo Benfica, mas acabou por ver a sua proposta recusada pelo jogador argentino. A notícia …