Envelhecer é o maior fator de risco para cancro (em que não há nada que possamos fazer)

hapal / Flickr

O envelhecimento provoca em nós mudanças a nível estrutural e funcional que não podemos evitar. Essas mudanças são o maior fator de risco para o desenvolvimento de cancro.

Enquanto há fatores e comportamentos que podem agravar o desenvolvimento de vários tipos de cancro, que são de certa forma evitáveis, há um fator que nada podemos fazer para o travar. Cientistas da Miami Miller School of Medicine publicaram, no mês passado, um estudo que associa o envelhecimento celular a uma maior risco de cancro.

A estatística é assustadora. De acordo com os dados do Surveillance Epidemiology and End Results do Instituto Nacional da Cancro dos Estados Unidos, 43% dos homens e 38% das mulheres vão desenvolver cancro ao longo da sua vida. A mortalidade está fixada em 23% e 19%, respetivamente.

Pior é ainda saber que pouco podemos fazer para evitar isso, sendo que o estudo sugere que as alterações a nível celular à medida que uma pessoa envelhece podem contribuir para a leucemia mielóide aguda (LMA) e outros tipos de cancro no sangue, como o explica o Tech Explorist.

“Se pensarmos em todo o material genético como hardware, o epigenoma é o software da célula, responsável por determinar o comportamento da célula. A nossa teoria era que, com a idade, esse programa epigenético se ia corrompendo, o que acabou por se verificar”, explicou Maria Figueroa, uma das autoras do estudo.

“Há um conjunto básico de mudanças que se verificaram em todos os indivíduos”, realçou Figueroa. O envelhecimento resulta na reprogramação epigenética de importantes componentes regulatórios do genoma, limitando o seu desempenho.

Para efeitos científicos, os cientistas recolheram células estaminais de 41 pessoas entre os 18 e os 30 anos, e 55 pessoas entre os 65 e 75 anos — sendo que nenhuma delas tinha cancro.

Muitas dessas alterações detetadas com o envelhecimento celular eram semelhantes às observadas nas células cancerígenas, demonstrou o estudo. Contudo, não quer obrigatoriamente dizer que estas células se tornem cancerígenas.

Nem todos que envelhecem ficam com cancro, nem todos que têm estas mudanças ou mutações genéticas desenvolvem cancro. Esperamos que este estudo leve a mais investigações sobre mudanças relacionadas com a idade para identificar quais dessas mudanças e quais fatores coexistentes são realmente críticos para nos colocar em risco de cancro”, alertou Figueroa.

Além disso, a cientista espera que esses novos estudos possam permitir perceber se é possível intervir para alterar esses fatores de risco para o desenvolvimento de uma das doenças que mais mata no mundo.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Olha a novidade…à anos que li que, dos que chegarem a velhos poucos escaparão à possibilidade de desenvolver tão funesta doença .

RESPONDER

Par de patinadores no gelo mais medalhado de sempre anuncia fim da carreira

Os canadianos Tessa Virtue e Scott Moir, o par de patinadores no gelo mais medalhado da história do olimpismo, anunciaram esta quarta-feira o fim da carreira. “Olá a todos. Temos novidades para todos os que nos …

Elon Musk é o líder mais inspirador da tecnologia da atualidade

Elon Musk foi nomeado o líder mais inspirador no setor da tecnologia, de acordo com um estudo publicado pela Hired, uma plataforma para contratação de pessoal em 14 cidades em todo o mundo. O estudo, chamado …

De portas abertas para quem precisa. Frigoríficos solidários crescem em Paris

A Cantina do 18.º bairro parisiense foi o primeiro espaço deste projeto solidário, inaugurado há dois anos. Atualmente existem 38 restaurantes em França que acolhem os frigoríficos solidários. Em dois anos, o projeto dos frigoríficos solidários …

Imigrante do Bangladesh em Itália encontra e devolve carteira com 2 mil euros

Mossan Rasal, um bangladeshiano de 23 anos que vive em Roma, encontrou na rua uma carteira com dois mil euros, documentos de identificação, cartões de crédito, carta de condução. Em vez de retirar o dinheiro e …

Austrália conclui que China foi responsável por ciberataque ao parlamento

A agência de inteligência cibernética da Austrália (ASD) concluiu que a China foi a responsável por um ataque informático, no início deste ano, contra o parlamento nacional. Os serviços de inteligência australianos (Australian Signals Directorate) concluíram …

"A bola apenas bateu no peito". VAR admite erro no penálti do Portimonense-FC Porto

O vídeo-arbitro do encontro entre Portimonense e FC Porto, Vasco Santos, admitiu esta quarta-feira que não existiu razão para assinalar grande penalidade a favor do clube portista. "No momento em que o árbitro apita fiquei com …

Na Índia, usar cigarros eletrónicos já pode dar prisão

O Governo indiano anunciou esta quinta-feira a proibição de cigarros eletrónicos no país, de 1,3 mil milhões de pessoas, numa ação que pretende ser a favor da saúde e contra os vícios. "A decisão foi tomada …

Iñaki Urdangarín pode sair da prisão dois dias por semana

Detido na cadeia de Brieva, Ávila, há 15 meses, Iñaki Urdangarín, cunhado do rei de Espanha, soube esta terça-feira que poderá sair da prisão duas vezes por semana para fazer voluntariado numa instituição que ajuda …

Criança com anemia aplástica grave submetida a transplante inédito em Portugal

Um menino de quatro anos com anemia aplástica grave foi submetido a um transplante com células estaminais de sangue do próprio cordão umbilical, um tratamento inédito em Portugal realizado no Instituto Português de Oncologia (IPO) …

Renováveis baixaram fatura da luz em 2,4 mil milhões na última década

A produção de eletricidade a partir de fontes renováveis permitiu ao sistema elétrico português acumular uma poupança de 2,4 mil milhões de euros ao longo dos últimos 10 anos. Esta é a principal conclusão de um …