Envelhecer é o maior fator de risco para cancro (em que não há nada que possamos fazer)

hapal / Flickr

O envelhecimento provoca em nós mudanças a nível estrutural e funcional que não podemos evitar. Essas mudanças são o maior fator de risco para o desenvolvimento de cancro.

Enquanto há fatores e comportamentos que podem agravar o desenvolvimento de vários tipos de cancro, que são de certa forma evitáveis, há um fator que nada podemos fazer para o travar. Cientistas da Miami Miller School of Medicine publicaram, no mês passado, um estudo que associa o envelhecimento celular a uma maior risco de cancro.

A estatística é assustadora. De acordo com os dados do Surveillance Epidemiology and End Results do Instituto Nacional da Cancro dos Estados Unidos, 43% dos homens e 38% das mulheres vão desenvolver cancro ao longo da sua vida. A mortalidade está fixada em 23% e 19%, respetivamente.

Pior é ainda saber que pouco podemos fazer para evitar isso, sendo que o estudo sugere que as alterações a nível celular à medida que uma pessoa envelhece podem contribuir para a leucemia mielóide aguda (LMA) e outros tipos de cancro no sangue, como o explica o Tech Explorist.

“Se pensarmos em todo o material genético como hardware, o epigenoma é o software da célula, responsável por determinar o comportamento da célula. A nossa teoria era que, com a idade, esse programa epigenético se ia corrompendo, o que acabou por se verificar”, explicou Maria Figueroa, uma das autoras do estudo.

“Há um conjunto básico de mudanças que se verificaram em todos os indivíduos”, realçou Figueroa. O envelhecimento resulta na reprogramação epigenética de importantes componentes regulatórios do genoma, limitando o seu desempenho.

Para efeitos científicos, os cientistas recolheram células estaminais de 41 pessoas entre os 18 e os 30 anos, e 55 pessoas entre os 65 e 75 anos — sendo que nenhuma delas tinha cancro.

Muitas dessas alterações detetadas com o envelhecimento celular eram semelhantes às observadas nas células cancerígenas, demonstrou o estudo. Contudo, não quer obrigatoriamente dizer que estas células se tornem cancerígenas.

Nem todos que envelhecem ficam com cancro, nem todos que têm estas mudanças ou mutações genéticas desenvolvem cancro. Esperamos que este estudo leve a mais investigações sobre mudanças relacionadas com a idade para identificar quais dessas mudanças e quais fatores coexistentes são realmente críticos para nos colocar em risco de cancro”, alertou Figueroa.

Além disso, a cientista espera que esses novos estudos possam permitir perceber se é possível intervir para alterar esses fatores de risco para o desenvolvimento de uma das doenças que mais mata no mundo.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Olha a novidade…à anos que li que, dos que chegarem a velhos poucos escaparão à possibilidade de desenvolver tão funesta doença .

RESPONDER

Dezenas de mulheres abusadas por funcionários da OMS na República Democrática do Congo

Dezenas de mulheres e meninas foram abusadas sexualmente por voluntários da Organização Mundial de Saúde (OMS) destacados para enfrentar o Ébola na República Democrática do Congo (RDC), entre 2018 e 2020, concluiu um inquérito independente …

Evolução de parasita está a tornar mais difícil detetar e tratar a malária

Uma mutação do parasita que causa a malária está a "camuflar" as proteínas que são identificadas nos testes rápidos, tornando mais difícil detetar e tratar a doença. De forma semelhante aos testes à covid-19, baratos e …

Banguecoque em alerta. Mais de 70.000 casas inundadas na Tailândia

As autoridades tailandesas têm feito esforços para proteger partes de Banguecoque das cheias, que já inundaram 70.000 casas e mataram seis pessoas nas províncias no norte e centro do país. A tempestade tropical Dianmu causou cheias …

Exilados sírios obrigados a pagar taxas para evitar o alistamento obrigatório

No início deste ano, Yousef, um sírio de 32 anos que vive na Suécia, teve que pagar as taxas que lhe isentavam da obrigatoriedade de se alistar no exército da Síria, caso contrário a família …

Portugal tem cerca de 8.200 pessoas em situação de sem-abrigo, mais de metade em Lisboa

Estima-se que, em 2020, cerca de 485 pessoas tenham abandonado esta condição, o que representa uma descida de 39% face a 2019. Portugal terá cerca de 8.200 pessoas em situação de sem-abrigo, segundo os resultados de …

Simone Biles: "Deveria ter desistido muito antes dos Jogos Olímpicos"

"Uma mulher preta tem que ser a melhor, as pessoas tentam menosprezar", lamentou a multi-campeã olímpica de ginástica. Simone Biles não conquistou qualquer medalha de ouro nos Jogos Olímpicos deste ano mas foi a atleta mais …

Mãe e filho de 2 anos morrem à porta do estádio. Jogo decorreu normalmente

Queda aconteceu pouco antes de começar um jogo da Major League Baseball, em San Diego. O desporto passou para segundo plano na tarde deste domingo, pouco antes de um jogo de beisebol, nos Estados Unidos da …

"Blá blá blá". Greta Thunberg acusa líderes mundiais de não cumprirem com as promessas climáticas

Ativista considera que os anúncios feitos pelos líderes mundiais não passam de bonitas intenções que, na prática, não se traduzem em ações com verdadeiro impacto na luta contra as alterações climáticas. Greta Thunberg acusou os líderes …

Mulher com síndrome de Down perde ação judicial contra a lei do aborto no Reino Unido

Na semana passada, uma mulher com síndrome de Down perdeu uma ação judicial contra o governo britânico por causa de uma lei que permite o aborto até ao fim da gestação de fetos que poderão …

Tribunal condena corticeira da Feira por despedir trabalhadora que denunciou assédio

A corticeira Fernando Couto foi condenada pelo Tribunal da Feira a pagar uma coima de cerca de 11 mil euros por ter despedido a operária Cristina Tavares, após esta ter denunciado ser vítima de assédio …