Ensaio clínico de anticorpos controla VIH durante meses após tratamento

(dr) Alexey Kashpersky

Conceito artístico do VIH criado pelo designer ucraniano Alexey Kashpersky

Uma geração de anticorpos amplamente neutralizantes fornece agora uma nova abordagem para tratar a infeção pelo VIH. Uma equipa de cientistas investigou o impacto da combinação desses anticorpos em pacientes infetados pelo vírus e os resultados foram animadores.

O VIH não pode ser completamente curado. Mas, em vez disso, pode ser tratado com medicação de terapia anti-retroviral (ART). Todavia, nesta solução improvisada reside um problema: se um paciente não se sujeitar a essa rotina rígida de medicação, o vírus pode ressurgir.

Agora, novos ensaios clínicos realizados em humanos mostraram que medicação baseada em dois anticorpos encontrados naturalmente em algumas pessoas podem “esconder” o VIH durante meses a fio, adianta o New Atlas esta segunda-feira.

Estes anticorpos foram identificados, pela primeira vez, quando os cientistas estudaram a forma como certas pessoas parecem defender-se naturalmente (e com sucesso) contra o VIH. Nessas pessoas, os investigadores a Universidade Rockefeller identificaram dois anticorpos – conhecidos como o 3BNC117 e o 10-1074 – que estimulam o sistema imunológico a combater a infeção, atacando certas proteínas na superfície do vírus.

De forma a imitar o efeito destes anticorpos, foram desenvolvidos medicamentos no passado, chamados anticorpos neutralizantes (bNAbs), mas a sua eficácia ficou aquém do esperado. No entanto, os cientistas explicam que este fármaco foi desenvolvido tendo por base apenas um desses anticorpos.

Desta forma, para remediar a situação, os cientistas da Universidade de Rockefeller decidiram desenvolver medicação de bNAb que combinam 3BNC117 e 10-1074, que funciona de diferentes maneiras no corpo humano.

Depois de um primeiro teste que se mostrou muito promissor em animais, os investigadores decidiram avançar para os testes clínicos em humanos. O primeiro envolveu nove participantes que tinham versões do vírus muito vulneráveis a ambos os anticorpos.

Os pacientes interromperam os seus tratamentos e receberam três transfusões de medicação bNAbs com três semanas de intervalo. Os cientistas descobriram que o novo tratamento “adormece” o VIH durante 21 semanas, em média, e nos casos mais eficazes, durante cerca de seis meses.

A equipa adianta ainda que o vírus não desenvolveu resistência ao tratamento em nenhum dos pacientes, e o pior efeito colateral verificado foi uma leve fadiga.

Já no segundo ensaio clínico, a equipa realizou um teste semelhante em sete pacientes com VIH virémico, o que significa que o vírus estava ainda a circular ativamente pela corrente sanguínea. O tratamento com bNAb também funcionou, mantendo o vírus sob controlo durante cerca de três meses.

Ainda que este tratamento pareça promissor, os cientistas sublinham que estes anticorpos específicos não serão eficazes em todas as cepas do VIH. Desta forma, esta técnica pode ser adaptada de forma a poderem ser usados diferentes bNAbs para direcionar diferentes versões do vírus.

Se este tratamento resultar, os cientistas afirmam que poderá ajudar a manter o vírus sob controlo, libertando os pacientes da obrigação de terem de tomar um medicamento todos os dias.

Os dois estudos foram publicados recentemente na Nature e na Nature Medicine.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …