Ensaio clínico de anticorpos controla VIH durante meses após tratamento

(dr) Alexey Kashpersky

Conceito artístico do VIH criado pelo designer ucraniano Alexey Kashpersky

Uma geração de anticorpos amplamente neutralizantes fornece agora uma nova abordagem para tratar a infeção pelo VIH. Uma equipa de cientistas investigou o impacto da combinação desses anticorpos em pacientes infetados pelo vírus e os resultados foram animadores.

O VIH não pode ser completamente curado. Mas, em vez disso, pode ser tratado com medicação de terapia anti-retroviral (ART). Todavia, nesta solução improvisada reside um problema: se um paciente não se sujeitar a essa rotina rígida de medicação, o vírus pode ressurgir.

Agora, novos ensaios clínicos realizados em humanos mostraram que medicação baseada em dois anticorpos encontrados naturalmente em algumas pessoas podem “esconder” o VIH durante meses a fio, adianta o New Atlas esta segunda-feira.

Estes anticorpos foram identificados, pela primeira vez, quando os cientistas estudaram a forma como certas pessoas parecem defender-se naturalmente (e com sucesso) contra o VIH. Nessas pessoas, os investigadores a Universidade Rockefeller identificaram dois anticorpos – conhecidos como o 3BNC117 e o 10-1074 – que estimulam o sistema imunológico a combater a infeção, atacando certas proteínas na superfície do vírus.

De forma a imitar o efeito destes anticorpos, foram desenvolvidos medicamentos no passado, chamados anticorpos neutralizantes (bNAbs), mas a sua eficácia ficou aquém do esperado. No entanto, os cientistas explicam que este fármaco foi desenvolvido tendo por base apenas um desses anticorpos.

Desta forma, para remediar a situação, os cientistas da Universidade de Rockefeller decidiram desenvolver medicação de bNAb que combinam 3BNC117 e 10-1074, que funciona de diferentes maneiras no corpo humano.

Depois de um primeiro teste que se mostrou muito promissor em animais, os investigadores decidiram avançar para os testes clínicos em humanos. O primeiro envolveu nove participantes que tinham versões do vírus muito vulneráveis a ambos os anticorpos.

Os pacientes interromperam os seus tratamentos e receberam três transfusões de medicação bNAbs com três semanas de intervalo. Os cientistas descobriram que o novo tratamento “adormece” o VIH durante 21 semanas, em média, e nos casos mais eficazes, durante cerca de seis meses.

A equipa adianta ainda que o vírus não desenvolveu resistência ao tratamento em nenhum dos pacientes, e o pior efeito colateral verificado foi uma leve fadiga.

Já no segundo ensaio clínico, a equipa realizou um teste semelhante em sete pacientes com VIH virémico, o que significa que o vírus estava ainda a circular ativamente pela corrente sanguínea. O tratamento com bNAb também funcionou, mantendo o vírus sob controlo durante cerca de três meses.

Ainda que este tratamento pareça promissor, os cientistas sublinham que estes anticorpos específicos não serão eficazes em todas as cepas do VIH. Desta forma, esta técnica pode ser adaptada de forma a poderem ser usados diferentes bNAbs para direcionar diferentes versões do vírus.

Se este tratamento resultar, os cientistas afirmam que poderá ajudar a manter o vírus sob controlo, libertando os pacientes da obrigação de terem de tomar um medicamento todos os dias.

Os dois estudos foram publicados recentemente na Nature e na Nature Medicine.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Coreia do Sul organizou um espetáculo de luzes para agradecer e incentivar o uso de máscara

A Coreia do Sul tem sido dos países com maior sucesso no combate à pandemia de covid-19. Com receio de uma segunda vaga, o Governo organizou uma forma incomum de agradecer aos profissionais de saúde …

Desgostos e namoriscos com humanos. Aquário de Quioto expõe complexas relações dos pinguins num fluxograma

O Aquário de Quioto, antiga capital do Japão, tem um fluxograma onde expõe as relações dos seus pinguins. Entre diferenças de idade, desgostos de amor e até namoriscos com humanos, as relações entre estes animais …

O sangue azul do caranguejo-ferradura é fundamental para a vacina da covid-19. Mas há um problema

O sangue azul do caranguejo-ferradura pode ser um elemento muito importante para encontrar a vacina para a covid-19, mas há um grande senão. O sangue azul do caranguejo-ferradura (Limulus Polyphemus) é a única fonte natural conhecida …

Jovem guarda-redes russo atingido por raio durante um treino

Ivan Zakborovsky, um jovem guarda-redes russo, está em coma induzido. O clube já revelou que o atleta não corre perigo. Ivan Zakborovsky, um guarda-redes de apenas 16 anos do Znamaya Truda, da Rússia, foi atingido por …

Elegante, leve e com fibra de carbono. O Tyr quer ser diferente de todos os outros caiaques

Embora os caiaques com assento se tenham tornado muito populares entre os pescadores, a maioria dos barcos é bastante tubular, pesada e de plástico. O Tyr da Apex Watercraft é diferente por ser elegante, leve …

2029 Majestic, a mota elétrica futurista com um design centenário

A 2029 Majestic é inspirada no modelo original de 1929, mas tem um motor elétrico e peças impressas em 3D. É o casamento ideal entre tecnologia e a tradição. Em 1929, Georges Roy criou a Majestic, …

Fernando Alonso regressa à Fórmula 1 com a Renault

O piloto espanhol Fernando Alonso vai regressar à Fórmula 1 depois de ter abandonado a modalidade em 2018. Assina agora um contrato de dois anos com mais um de opção. A escuderia Renault anunciou esta quarta-feira …

China reitera que não participará no diálogo EUA/Rússia para reduzir arsenal atómico

A China reiterou, esta quarta-feira, que não entrará nas negociações entre os Estados Unidos e a Rússia para um novo acordo que limite a quantidade de armas nucleares, e acusou Washington de “constituir uma ameaça”. Pequim …

Traumas na infância e um pai "sociopata". As revelações do livro da sobrinha de Trump

O livro de memórias de Mary Trump, sobrinha do Presidente norte-americano Donald Trump, já chegou às mãos de vários jornalistas nos Estados Unidos. A data de publicação está marcada para dia 14 de julho. No livro, …

Rússia detém antigo jornalista por acusações de traição

O ex-jornalista Ivan Safronov, assessor do diretor da agência espacial russa Roscosmos, foi detido esta terça-feira e acusado de traição. Esta terça-feira, as autoridades russas prenderam um antigo jornalista que trabalhava agora como assessor do chefe …