Engenheiro despedido da Google por sexismo ganha emprego na WikiLeaks

wheelzwheeler / Flickr

Julian Assange, fundador da WikiLeaks: a censura é para os perdedores

Foi despedido o funcionário da Google que defendeu, num documento interno, que as desigualdades laborais entre homens e mulheres se devem a diferenças biológicas. Mas já ganhou um novo emprego na WikiLeaks.

O texto do engenheiro de software despedido da Google argumenta que a ausência de mulheres nos altos cargos de empresas de tecnologia ocorre devido a “diferenças biológicas” entre homens e mulheres, cita a BBC.

O memorando com estas ideias foi publicado num fórum interno da Google pelo funcionário James Damore, engenheiro de software, mas acabou por ser divulgado pela comunicação social.

A Google avançou, então, com o despedimento do funcionário, alegando que violou o código de conduta da empresa, conforme explica o director executivo da gigante tecnológica, Sundar Pichai, num email enviado aos empregados, segundo citam vários órgãos de informação norte-americanos.

No texto polémico, Damore escreve ainda que é preciso “parar de assumir que as lacunas de género implicam sexismo“. O documento foi bastante criticado, mas, segundo o autor, recebeu “muitas mensagens privadas” de apoio de colegas da Google.

Quem o apoia publicamente é Julian Assange, o polémico fundador do site WikiLeaks que critica a Google, notando, numa publicação no Twitter, que “a censura é para os perdedores” e oferecendo emprego ao engenheiro despedido.

Assange está refugiado na Embaixada do Equador, em Londres, há cinco anos, tentando evitar a extradição para os EUA, onde é acusado de espionagem, e depois de ter enfrentado um pedido de extradição para a Suécia, entretanto retirado, no âmbito de uma acusação de violação.

Desigualdade explicada por “causas biológicas”

O artigo de James Damore foi divulgado na íntegra pelo site de tecnologia Gizmodo que não revela como teve acesso ao documento, nem aponta o nome do funcionário envolvido.

James Damore foi, entretanto, identificado como o autor do texto que refere que “as capacidades de homens e mulheres são diferentes, em parte, devido a causas biológicas”, diferenças essas que “podem explicar porque não vemos uma representação igual de mulheres na tecnologia e na liderança“, conforme escreve.

O engenheiro acrescenta que, geralmente, as mulheres “preferem trabalhos em áreas sociais e artísticas”, enquanto há “mais homens que se interessam por programação de computadores”.

Google investigada por pagar menos às mulheres

A divulgação do documento causou grande alvoroço, tanto mais numa altura em que a Google enfrenta uma investigação do Departamento de Trabalho dos EUA, sob suspeitas de discriminação salarial, uma vez que pagará menos às mulheres do que aos homens, em cargos semelhantes.

Assim, a Google agiu prontamente a despedir o funcionário. E a recém nomeada vice-presidente da Google para a diversidade e integridade, Danielle Brown, enviou um email a todos os trabalhadores da empresa, que é divulgado pelo site Motherboard, onde vinca a condenação de James Damore.

“Acreditamos de forma inequívoca que a diversidade e a inclusão são importantes para o nosso sucesso enquanto empresa”, salienta.

Nas redes sociais, várias mulheres, nomeadamente funcionárias da Google e ex-funcionárias de empresas de tecnologia, criticaram o documento e desabafaram sobre as atitudes sexistas que têm vivido no mercado de trabalho, de uma forma geral.

Um relatório sobre diversidade publicado pela Google, em Junho de 2017, mostrou que 69% da força de trabalho é de homens e 56% de brancos. As mulheres preenchem apenas 25% dos postos de liderança e 20% dos empregos técnicos, tais como a programação de computadores.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Navio australiano filma meteoro a desintegrar-se no céu da Tasmânia

O navio de pesquisa científica da CSIRO capturou imagens surpreendentes de um meteoro a desintegrar-se no oceano, muito perto da Tasmânia. Na quarta-feira, o navio de pesquisa científica da CSIRO capturou um meteoro a desintegrar-se no …

Afinal, o Espaço não é assim tão escuro. Há brilho de origem desconhecida

Uma equipa de cientistas usou a New Horizons para medir a luminosidade do Espaço profundo e os resultados surpreenderam-na. Há muito tempo que os cientistas tentam perceber qual a luminosidade do Espaço, se lhe retirarmos todas …

Meteorito atinge casa de homem indonésio e transforma-o em milionário

O caso insólito aconteceu em Kolang, na Sumatra do Norte, Indonésia. Um fabricante de caixões de 33 anos encontrou um meteorito no seu jardim, depois deste atingir o telhado da sua casa em agosto. O protagonista …

Há 20 anos que ninguém sabe do paradeiro de dois cadernos de Charles Darwin

Dois dos cadernos do naturalista Charles Darwin, um dos quais com o rascunho da “Árvore da Vida” (1837), estão desaparecidos há cerca de 20 anos e terão sido muito provavelmente roubados, anunciou esta terça-feira a …

Cientistas reconstruiram explosão de Beirute através das redes sociais

Cientistas forenses recorreram a imagens partilhadas nas redes sociais para reconstruirem a explosão de Beirute, em agosto, que matou 191 pessoas. A 4 de agosto, uma série de explosões causadas por 2.750 toneladas de nitrato de …

Professor alemão do ensino básico é suspeito de canibalismo e homicídio

Depois de uma pilha de ossos ter sido encontrada por transeuntes no parque de Berlim, as autoridades alemãs descobriram que se tratava de uma vítima de canibalismo. As pistas conduziram-nas, mais tarde, à casa do …

Marselha 0-2 FC Porto | Dragão vence e abre porta dos "oitavos"

Basta apenas um ponto para que o FC Porto carimbe uma vaga nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Na noite desta quarta-feira, os “dragões” venceram o Marseille por 2-0 – com os contributos de Zaidu …

Mais de 100 mil crianças morreram com VIH e 320 mil ficaram infetadas. A pandemia pode piorar o cenário

De acordo com um relatório da UNICEF, a cada 100 segundos uma criança ou jovem com menos de 20 anos foi infetado pelo VIH no ano passado. Com os novos dados, o número total de …

Animação mostra como foram construídas as pontes do século XIV

Construir uma ponte sobre a água parece uma tarefa complicada e a verdade é que, apesar dos inúmeros avanços tecnológicos, os fundamentos pouco alteraram desde os tempos medievais. A Ponte Carlos tem 618 anos, mas não …

Médicos sem Fronteiras deixam hospital da Venezuela devido a restrições

A Médicos sem Fronteiras (MSF) vai se retirar de uma colaboração com um hospital venezuelano que visa tratar pacientes com covid-19 devido a restrições na entrada de especialistas no país, informou a organização na terça-feira. A …