Sindicato dos Enfermeiros avisa: Governo vai enfrentar “uma luta como nunca teve”

Rodrigo Antunes / Lusa

O presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor), Carlos Ramalho, avisou que o Governo vai enfrentar “uma luta como nunca”, caso os ministérios da Saúde e das Finanças não aceitem negociar. O líder sindical adianta ainda que está a “preparar uma reação sem precedentes”. 

De acordo com o jornal Público, que avançou a notícia nesta quarta-feira, o sindicato pretende encontrar uma “plataforma de entendimento” sobre as reivindicações que motivaram as polémicas greves “cirúrgicas” e culminaram com a requisição civil.

O Sindepor foi um dos sindicatos envolvidos na “greve cirúrgica”, chegando Carlos Ramalho a levar a cabo uma greve de fome em frente ao Palácio de Belém. Depois de alguns dias de tréguas, o conflito entre os enfermeiros e o Governo pode voltar a agudizar-se.

O Governo tinha dito que no início de março ia retomar as negociações com as estruturas sindicais dos enfermeiros, que foram interrompidas no fim de janeiro.

Para esta quinta-feira estão marcadas reuniões com o Sindepor (17h) e com a Federação Nacional dos Sindicatos dos Enfermeiros (14h30). Na sexta-feira de manhã será a vez da Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros (ASPE).

Segundo disse Carlos Ramalho ao matutino, a agenda da reunião com o Ministério da Saúde só contempla “questões menores”, como a dos serviços mínimos que o Governo “pretende regulamentar em termos de ACT [acordo coletivo de trabalho]”.

O Ministério da Saúde adianta que as questões a discutir passam por matérias como “regime e modalidades de trabalho: por turno, jornada contínua, regras de aferição do tempo de trabalho, segurança no trabalho e definição de serviços mínimos e meios necessários para os assegurar”, sublinhando que a “proposta de protocolo negocial admite outras matérias que venham a ser acordadas pelas partes no decurso do processo”.

“Não nos voltarão a tratar como idiotas”

Carlos Ramalho vai ainda mais longe: Caso o Governo insista naquele “insulto a que chamam diploma de carreira”, os protestos vão agudizar-se, promete num comunicado publicado no site do sindicato, em que se apela à mobilização geral dos enfermeiros “para as lutas que se seguem”.​

Não nos voltarão a tratar como idiotas, como fizeram em 2009”, garante ao diário.

O dirigentenão quis especificar que tipo de protesto se seguirá, mas reafirma que será algo “como nunca se viu”. Para já, o Sindepor prepara-se para “avançar com queixas-crime contra todas as instituições que obrigaram os enfermeiros a trabalhar” durante a greve.

O dirigente diz que o sindicato recebeu “milhares” de minutas assinadas por enfermeiros que dizem “ter sido obrigados a trabalhar sob coação”. As minutas foram disponibilizadas após a requisição civil e depois de o Conselho Consultivo da Procuradoria Geral da República ter considerado ilícito o protesto.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Estado recebeu 28 milhões de euros de jogos de casino. Movimentados mais de 4 milhões por dia em 2018

Em 2018, entraram nos cofres públicos 28 milhões de euros provenientes dos casinos e bingos portugueses, num ano em que o volume do jogo ultrapassou os 1.6 mil milhões de euros. Contas feitas, os apostadores movimentaram …

Bundesbank alerta que economia alemã pode estar a entrar em recessão

O Bundesbank alertou que a economia alemã, a maior da Europa, pode estar a recuar durante os meses de verão, depois da contração já registada no segundo trimestre, aumentando a possibilidade de entrar em recessão. No …

Turismo sustentável promove o Alqueva, o "grande lago" da Europa

Thiago Kalisvaart vem de uma família holandesa que navegou durante gerações, seguiu a tradição e lançou-se à água. Mas não navega os mares. Iça as suas velas no Alqueva, o maior lago artificial da Europa …

Estados Unidos dão mais 90 dias para negócios com a Huawei

O Governo norte-americano prolongou, esta segunda-feira, por 90 dias as isenções que permitem ao grupo chinês de telecomunicações Huawei continuar a fazer negócios nos Estados Unidos, indicou o secretário do Comércio, Wilbur Ross. Os EUA consideraram …

Venda de elefantes selvagens de África para zoológicos e parques de diversão proibida pela ONU

A Convenção sobre Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas (CITES) deu, no domingo, um passo importante para a proibição da venda de elefantes selvagens a jardins zoológicos, uma "vitória histórica" saudada pelos ecologistas. Uma larga maioria de …

Benfica tem o mesmo plano de Félix para Florentino

Florentino Luís é uma das maiores promessas da equipa do SL Benfica. As "águias" sabem disso e têm um plano para o jogador semelhante ao de João Félix. O SL Benfica não quer dar os seus …

Donald Trump volta a indicar Pence para vice-presidente em segundo mandato

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, disse no domingo que concorrerá à reeleição no próximo ano com Mike Pence como vice-presidente. "Estou muito feliz com o Mike Pence", afirmou aos jornalistas, antes de embarcar …

Já mais de 5.000 pessoas assinaram a petição contra Museu de Salazar

Pelo menos 5.650 pessoas já assinaram uma petição pública pela intervenção do Governo socialista para impedir a instalação de um museu sobre a antiga ditadura do Estado Novo e seu líder, Salazar, em Santa Comba …

Otília é a 18.ª mulher este ano a morrer num contexto de violência doméstica

Um casal foi encontrado morto em casa, este domingo, em Famalicão. As autoridades apontam para um caso de homicídio, seguido de suicídio, num ambiente de violência doméstica. Segundo o Público, o alerta soou por volta das …

Vítor Baía confronta Scolari com ausência do Euro 2004

Vítor Baía, antigo guarda-redes do FC Porto, confrontou o ex-selecionador português Luiz Felipe Scolari sobre o facto de não ter sido convocado para o Euro 2004. "Era uma opção minha", respondeu o técnico brasileiro. Agora com …