Encontrada a árvore oca onde viviam os morcegos que originaram a epidemia de Ébola

Suzanne Beukes, UNICEF

A primeira vítima conhecida da epidemia de Ébola de 2014 foi o pequeno Emile Ouamouno, de 2 anos, na foto com a família em Méliandou, na Guiné

A primeira vítima conhecida da epidemia de Ébola de 2014 foi o pequeno Emile Ouamouno, de 2 anos, na foto com a família em Méliandou, na Guiné

Morcegos que se alimentavam de insetos que viviam numa árvore oca numa aldeia remota na Guiné-Conacri podem ter sido a fonte da maior epidemia de sempre do vírus do Ébola, disseram hoje cientistas.

Mais de 20.000 casos de Ébola, com pelo menos 7.800 mortes, foram registados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde a morte de Emile Ouamouno, um rapaz de dois anos, na aldeia de Meliandou, em dezembro do ano passado, que terá sido o primeiro caso de infecção nesta epidemia.

Em declarações ao jornal EMBO Molecular Medicine, uma equipa de cientistas liderada por Fabian Leendertz, do Instituto Robert Koch, em Berlim, investigaram as circunstâncias relacionadas com a morte da criança.

As suspeitas apontam para morcegos insetívoros sem cauda, da espécie Mops condylurus, que viviam numa árvore oca a 50 metros de distância da casa do rapaz.

“A proximidade de uma grande colónia de morcegos sem cauda criou uma oportunidade para a infeção. As crianças apanhavam e brincavam frequentemente com morcegos nesta árvore”, disse a equipa, depois de um inquérito exaustivo de quatro semanas realizado em abril.

O vírus do Ébola aloja-se num ambiente natural, também chamado de reservatório, entre animais selvagens, sem os afetar.

O virus pode infetar humanos que entrem em contacto com esta fonte diretamente ou indiretamente através de contacto com animais que tenham adoecido.

Altamente contagioso, o vírus é transmitido entre humanos através de contacto com fluídos corporais.

Fabian Leendertz, Robert Koch-Institute, Berlin

Emile Ouamouno poderá ter sido infectado com Èbola por um morcego enquanto brincava no interior desta árvore oca, em Méliandou

Emile Ouamouno poderá ter sido infectado com Èbola por um morcego enquanto brincava no interior desta árvore oca, em Méliandou

Um reservatório conhecido é o morcego que se alimenta de fruta, Epomophorus wahlbergi, uma espécie amplamente disseminada na África tropical amplamente disseminada, que em alguns países é morto para servir de alimento, transmitindo infeções aos caçadores e carniceiros deste mamífero.

No entanto, o papel desta espécie de morcegos na epidemia atual nunca foi confirmado, segundo os cientistas.

Pelo contrário, testes em laboratório demonstraram que os morcegos sem cauda, uma espécie prima, podem transportar o vírus sem adoecer, o que os tornaria também reservatórios, mas nunca foi encontrada qualquer prova disto na natureza.

A equipa alemã afirmou que as provas de que esta espécie ajudou a espalhar o atual surto eram fortes, mas não a 100 por cento.

Além de brincarem com os morcegos na árvore, as crianças locais também caçavam estes animais e grelhavam-nos em casa para se alimentar.

Os investigadores não encontraram na região provas de qualquer mortandade entre mamíferos maiores, que poderiam ter sido uma fonte secundária de infeção para as pessoas.

Por outro lado, não foi encontrado qualquer vestígio de vírus do Ébola em nenhum dos morcegos que os cientistas capturaram e cujo sangue foi analisado.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Depois das sementes, norte-americanos recebem máscaras, óculos de sol e até meias sujas da China

Vários residentes da Flórida, nos Estados Unidos, receberam pacotes misteriosos da China pelo correio que não tinham encomendado. Desta vez não eram sementes, mas sim máscaras cirúrgicas, óculos de sol e até meias sujas. Em declarações …

Imposto sobre refrigerantes reduziu o seu consumo

O imposto especial sobre as bebidas com maior teor de açúcar levou mais de 40% dos inquiridos num estudo da Universidade Católica esta sexta-feira divulgado a reduzir o seu consumo, comportamento que adotariam também com …

Uma só teoria da conspiração sobre a covid-19 matou 800 pessoas. 60 ficaram totalmente cegas

Pelo menos 800 pessoas morreram e 60 ficaram cegas na sequência de uma teoria da conspiração sobre a covid-19, concluiu um novo estudo. A investigação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica American Journal …

Apple e Google removem das suas lojas de aplicações um dos jogos mais populares do mundo

As gigantes tecnológicas Apple e Google removeram esta semana das suas lojas de aplicações, a App Store e a Google Play Store, respetivamente, o Fortnite, um dos jogos mais populares de todo o mundo. As …

Encontrado tesouro de artefactos nazis no "Covil do Lobo", o quartel-general ultrassecreto de Hitler

Quando os nazis se prepararam para invadir a União Soviética, em 1941, construíram um quartel-general militar secreto na floresta Masúria, na Polónia, ao qual chamaram "Wolfsschanze" ou "Covil do Lobo". Desde a sua descoberta após a …

Itália vai construir um túnel submarino para unir Sicília ao continente

Itália está a planear construir um túnel para ligar a região insular da Sicília ao continente italiano. O projeto de cinco mil milhões de euros vai ser pago com a parte do Fundo de Recuperação …

Point Roberts tinha um pé nos EUA e outro no Canadá (mas agora não "pertence" a nenhum)

Point Roberts, em Washington, está numa posição única. Localizada na ponta da Península de Tsawwassen, a cidade fica totalmente abaixo do paralelo 49, a linha que separa o Canadá dos Estados Unidos. Agora, a cidade …

Milhares de processadores quebraram um trilião de chaves para resgatar um Zip com bitcoins

Um misterioso homem perdeu o acesso a um ficheiro Zip onde estavam encriptadas as suas chaves privadas de bitcoins. Os 300 mil dólares foram resgatados por dois especialistas em criptografia — e por muitos milhares …

Reino Unido com mais de mil novas infeções pelo quarto dia consecutivo

O Reino Unido registou mais 11 mortos e 1.441 infeções de covid-19 nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde britânico, que manteve restrições sobre a área metropolitana de Manchester e parte do norte …

Governo não pondera (para já) proibição de fumar ao ar livre

O Governo não está a ponderar, neste momento, proibir fumar ao ar livre como foi decretado em Espanha, mas há “muitos aspetos em aberto” que serão acompanhados, disse esta sexta-feira a ministra da Saúde, Marta …