Estes são os empregos preferidos dos Serial Killers

A recente detenção do Golden State Killer a 26 de abril, também conhecido como o “Violador da Área Este”, na que foi considerada a mais intrigante e perturbadora constelação de casos “esquecidos” da história americana, trouxe mais questões do que respostas.

Uma das questões levantadas com a detenção do Golden State Killer – um ex-polícia reformado – é como é que um violador e assassino conseguia operar em tantas jurisdições ao mesmo tempo e ter polícias que negligenciaram as ligações entre os seus crimes em cidades diferentes.

Outra questão é como é que um polícia como Joseph DeAngelo, o acusado que será presente a tribunal no próximo dia 14 de maio, poderia ser capaz de tal brutalidade sádica em grande parte da sua breve e problemática carreira, sendo alegadamente responsável por dezenas de violações e assassinatos que aterrorizaram o estado da Califórnia durante as décadas de 1970 e 1980.

Questões semelhantes foram feitas no passado sobre outros serial killers, cujos empregos inócuos e até virtuosos pareciam desmentir os horrores cometidos.

Isso inclui personalidades desde o ínfame canadiano Russell Williams, que já pilotou um avião VIP que transportava a Rainha Elizabeth II, ao menos conhecido proprietário de uma loja de computadores e proeminente empresário de Nashville, Tom Steeples, que matou três pessoas antes de se suicidar quando já estava sob custódia policial.

Mas a verdade é que assassinatos e empregos são frequentemente ligados e alguns empregos específicos são muito comuns entre serial killers. Tanto que, nos últimos 50 anos, surgiram alguns padrões dominantes.

E, de acordo com o Live Science, estas ocupações são comummente inseridas em quatro categorias baseadas nas aptidões, treino e rotatividade. Algumas podem surpreender, outras nem tanto.

Obviamente que nem todos os que ocupam estes cargos são considerados serial killer, nem isso significa que haja probabilidade de se tornarem num. Mas os maquinistas, sapateiros ou reparadores, e estofadores de automóveis encabeçam a lista de prováveis profissões de um assassino em série.

Logo depois, seguem-se os trabalhadores florestais, condutores de camiões, gerentes de armazém, porteiros de hotel, lojista numa bomba de gasolina, polícia ou segurança e padres.

As conclusões são retiradas do livro Murder in Plain English, de Michael Arntfield. O autor escreve que há algo de apelativo nestes trabalhos ou que, por outro lado, cultiva os interesses dos que já tinham propensão a tornarem-se um serial killer.

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. “… e padres…” bem…quanto à pedofilia já se sabia. Agora quanto ao assassinato em série é novidade.
    Eu sempre pensei que os piores seriam os talhantes.

  2. estou lixado, trabalho no meio de seguranças e um deles é sapateiro nas horas vagas, meu deus como vou fazer, acho que vou ter que ir procurar outro emprego

RESPONDER

Oposição levou mais gente às ruas do que Bolsonaro

Manifestações a favor do presidente Jair Bolsonaro e da reforma da previdência, o principal objetivo do governo neste ano, moveram milhares de brasileiros em pouco mais de 130 cidades de 26 estados do Brasil. No passado …

Utentes da Soflusa estão “cansados” de constantes supressões

Os utentes da Soflusa mostraram-se esta segunda-feira "cansados" das constantes supressões das ligações fluviais entre o Barreiro e Lisboa, que estão hoje a acontecer durante todo o dia devido à falta de mestres. "Já estou a …

Banco Alimentar recolhe 1.605 toneladas de alimentos no fim de semana

O Banco Alimentar contra a Fome recolheu 1.605 toneladas de alimentos durante o fim de semana da campanha nacional que decorreu em mais de duas mil superfícies comerciais, anunciou a presidente do Banco Alimentar contra …

Sérgio Conceição apontado à Lazio

A imprensa italiana aponta esta segunda-feira o treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, à Lazio. O técnico português, recorde-se, passou pelo emblema italiano em duas ocasiões como jogador de futebol. O jornal italiano Il Messaggero adianta …

Filial portuguesa de multinacional alemã envolvida em subornos em Angola

A sucursal portuguesa em Angola da multinacional alemã Fresenius Medical Care, que actua na área médica, esteve envolvida num esquema de pagamento de subornos a médicos e militares angolanos que renderam 124 milhões de euros …

CGD acaba com empresa que criou há quase 20 anos com a PT

Criada há quase 20 anos pela Caixa Geral de Depósitos (CGD) e pela Portugal Telecom (PT), a Caixanet foi liquidada no início deste ano, bem como a Caixa Tec e a Sogrupo, duas outras empresas …

MB Way. Bancos "fecham" aplicação para cobrar comissões diferenciadas nas transferências

Em pleno arranque do 'open banking', os bancos estão a substituir a aplicação MB Way por soluções próprias que "amarram" os clientes, com o propósito de cobrar comissões diferenciadas nas transferências através do telemóvel. Segundo noticiou …

A abstenção venceu. É a mais alta de sempre

A abstenção foi a grande figura das eleições europeias deste domingo, tendo 68,7% dos portugueses optado por não votar. A abstenção em Portugal voltou a atingir um novo recorde, enquanto que a taxa de participação …

Neurocirurgia do Hospital de São João deixa os contentores ao fim de 12 anos

O novo serviço de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, está a funcionar desde este sábado. Ao fim de 12 anos, os serviços de neurocirurgia do Hospital de S. João, no Porto, deixaram de …

Derrota histórica para o PSD. O PS resiste, o Bloco chega-se à frente e o PAN estreia-se

A derrota do PSD, com uma desvantagem de mais de 10 pontos percentuais sobre o PS que foi o vencedor da noite eleitoral, o reforço do Bloco de Esquerda como a terceira força política e …