Em mais uma polémica, Berlusconi acusa alemães de negar campos de concentração

Downing Street / Flickr

Sílvio Berlusconi

Sílvio Berlusconi

O antigo primeiro-ministro italiano Sílvio Berlusconi declarou que os alemães consideram que os campos de concentração nunca existiram, uma declaração com que pretendeu atacar o candidato à presidência da Comissão Europeia Martin Schulz e que gerou polémica.

Sílvio Berlusconi, que falava perante ativistas, recordou um episódio de 2003, quando foi contestado no Parlamento Europeu e, na resposta, aconselhou o alemão Martin Schulz – atualmente presidente daquele órgão europeu – a assumir o papel de “Kapo” (chefe da guarda) em filmes sobre os campos de concentração nazistas.

“Eu não queria insultar, mas isto causou um escândalo, porque, para os alemães, os campos de concentração nunca existiram. Aqueles de Katyn [campo soviético onde foram massacrados milhares de polacos] sim, mas os [campos] alemães não”, afirmou o ex-primeiro-ministro, numa declaração que está a ser vista como uma ‘gaffe’ e a motivar críticas.

“Há este senhor que se chama Schulz, a quem eu fiz involuntariamente uma campanha extraordinária, um senhor que não simpatiza nem com Berlusconi nem com Itália. Votar na esquerda é votar nele”, afirmou hoje Berlusconi, a propósito do candidato do Partido Socialista Europeu (PSE) à Comissão Europeia.

As declarações do antigo governante italiano foram imediatamente condenada pelo presidente do PSE, Sergei Stanichev, que as classificou de “desprezíveis”, apelando aos dirigentes do Partido Popular Europeu (PPE), a que pertence a formação de centro-direita de Berlusconi, Forza Italia, e ao candidato à presidência da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, para que as repudiem.

“Estes comentários são um insulto ao povo alemão, não apenas a Martin Schulz. É também uma tentativa cínica para distrair [os eleitores] dos verdadeiros problemas, que são a necessidade de aumentar o emprego e o crescimento na Europa”, acrescentou.

A afirmação de Berlusconi tem sido vista como uma ‘gaffe’ pela imprensa italiana e nos círculos políticos.

O chefe da delegação do Partido Democrático (centro-esquerda) ao Parlamento Europeu, David Sassoli, atribuiu a frase a “uma elevada taxa de alcoolemia”.

“Depois de declarações tão delirantes, como é que os membros da Forza Italia farão para serem bem-vindos no Parlamento Europeu e para trabalhar com os representantes da Alemanha democrática, nascida nas cinzas dos campos de concentração nazistas?”, questionou.

Por outro lado, o conselheiro político do ex-governante italiano, Giovanni Toti, criticou que “toda a ocasião seja boa para atacar Silvio Berlusconi”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O Projeto Galileu quer provar a existência de aliens através da tecnologia deixada para trás

Investigadores vão centrar o seu trabalho na procura de objetos físicos associados a equipamento tecnológico extraterrestre, em oposição às pesquisas anteriores que se focaram em sinais eletromagnéticos. Um grupo de investigadores de Universidade de Harvard está …

O tesouro dos Templários pode estar escondido debaixo de uma casa em Inglaterra

Um historiador inglês alega que um edifício histórico em Burton, em Inglaterra, é onde está escondido o lendário tesouro dos Templários. Existem várias lendas sobre um tesouro que alguns templários conseguiram esconder do rei francês Filipe …

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro

O núcleo interno da Terra está a crescer mais de um lado do que do outro. No entanto, isto não quer dizer que o nosso planeta esteja a ficar inclinado. Mais de 5.000 quilómetros abaixo de …

Incêndios devastam sul da Europa e obrigam a retirar moradores e turistas

Dezenas de aldeias e hotéis foram este domingo evacuados nas zonas turísticas do sul da Turquia devido a incêndios que começaram há cinco dias e já mataram oito pessoas no país, devastando também regiões da …

Há uma empresa a transformar as cinzas de entes queridos em diamantes

Uma empresa norte-americana transforma cinzas de entes queridos — e animais de estimação — em diamantes, que podem ser colocados em anéis ou colares. Lidar com a morte de um ente querido é sempre uma altura …

Pianista de aeroporto ganhou 60 mil dólares em gorjetas

Tonee "Valentine" Carter, que toca piano num aeroporto norte-americano, ganhou 60 mil dólares (cerca de 50.800 mil euros) depois de um estranho partilhar um vídeo seu a tocar. Tonee "Valentine" Carter, de 66 anos, não é …

Youtubers denunciam campanha de fake news contra vacina da Pfizer

De acordo com a imprensa brasileira, uma agência de marketing terá tentado que influenciadores digitais de todo o mundo partilhassem desinformação sobre as vacinas contra a covid-19. A denúncia foi feita por alguns dos influenciadores …

Na Tailândia, a legalização do aborto enfrenta "resistência espiritual"

Desde fevereiro, qualquer pessoa que procure fazer um aborto na Tailândia consegue fazê-lo legalmente, pelo menos no primeiro trimestre. Ainda assim, muitos médicos e enfermeiros recusam-se a levar a cabo o procedimento. A advogada Supecha Baotip …

Haiti. Viúva do presidente assassinado implica seguranças no crime

Martine Moise, a viúva do presidente haitiano Jovenel Moise — assassinado na sua residência por um comando armado no início de julho — descreveu abertamente o ataque e partilhou as suas suspeitas sobre o crime …

Covid-19. Portugal regista 2.306 novos casos e aumento nos internados

Portugal registou este domingo 2.306 novos casos de infeção por covid-19 e mais oito mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).  Portugal regista este domingo oito mortes atribuídas à covid-19, 2.306 novos casos …