Elon Musk apresenta o seu plano para colonizar Marte

Elon Musk, CEO da SpaceX, revelou esta terça-feira os seus planos para colonizar Marte e organizar expedições “auto-sustentáveis” compostas por centenas de astronautas para o planeta vermelho.

“Estão preparados para morrer? Se não têm problemas, então são candidatos para ir”, afirmou Musk durante a sua participação na Conferência Internacional de Astronáutica, em Guadalajara (México), onde falou da nave que vai fazer essa viagem incrível e dos custos da jornada.

Elon Musk defendeu a ideia de que Marte representa um “polígono” ideal para a transição da humanidade para a vida no espaço, e declarou que a SpaceX pretende tornar-se a força motriz desta transformação.

“No futuro, é provável que a Terra enfrente uma catástrofe e entremos em extinção. A alternativa para isso é a transformação da humanidade numa espécie ‘espacial'”, declarou Musk. “O que importa é criar uma civilização sustentável em Marte o mais rápido possível. É diferente da missão Apollo. É tentar minimizar o risco existencial e ter um tremendo sentido de aventura”, sublinhou

Segundo o empresário, o ser humano não possui muitas opções para habitar outros planetas, já que, por exemplo, o nosso vizinho mais próximo, Vénus, parece mais um “banho de ácido” do que uma deusa da beleza, enquanto que as luas de Júpiter e de Saturno, que em teoria possuem condições para abrigar vida, estão demasiado longe.

Marte, por sua vez, possui muitas vantagens, explica Musk, a começar pelo fato de já ter sido muito semelhante à Terra e ter reservas de água e diversos gases que poderiam converter-se em oceanos e uma atmosfera.

Nas suas palavras, a atual composição da atmosfera do planeta vermelho já possui os dois elementos mais importantes para a criação de uma flora – azoto e dióxido de carbono -, além de ter um dia com duração semelhante ao nosso (24,5 horas).

O milionário da tecnologia tem falado sobre levar os humanos a Marte há muitos anos. A SpaceX planeaa enviar sua cápsula de carga Dragon ao planeta já em 2018. Uma missão tripulada poderá deixar a Terra em 2024 e chegar a Marte no ano seguinte.

Como tudo o que Musk faz, trata-se de um cronograma particularmente agressivo. A NASA afirma ter planos de enviar humanos a Marte só em 2030.

Sistema Interplanetário de Transporte

O “Sistema Interplanetário de Transporte” (Interplanetary Transport System – ITS) é a nave espacial e foguete que serão usados para colonizar Marte.

A descolagem deverá ser feita a partir da plataforma de lançamento 39A no Centro Espacial Kennedy, o famoso local de lançamento de muitas das missões Apollo, incluindo a Apollo 11, com o qual a SpaceX assinou um contrato de 20 anos em 2014.

A nave e os foguetes separam-se em órbita, permitindo que uma parte regresse à Terra. A parte tripulada do sistema deve ser reabastecida e relançada por uma terceira parte que estará à sua espera em órbita, dotando-a de combustível suficiente para chegar até o planeta vermelho.

A nave espacial também terá “asas” de painéis solares que ajudam a fornecer energia suficiente para fazer a viagem, capazes de gerar 200 kW de potência.

A duração média da viagem seria de 115 dias, variando de 80 a 140 dias. Musk espera que esse tempo chegue a apenas 30 dias no futuro.

A nave deverá viajar para Marte a uma velocidade de quase 100 mil quilómetros por hora. Ao entrar atmosfera do planeta, a parte externa vai aquecer a mais de 1.648 graus Celsius. A nave irá então usar propulsão retro supersónica – “muitos lançamentos de foguetes de uma só vez” – para baixar a embarcação até à superfície do planeta.

Civilização em até 100 anos

Musk afirmou que o primeiro projeto da nave comporta cerca de 100 pessoas e carga suficiente para construir colónias autossuficientes no planeta. Eventualmente, a empresa tentaria duplicar o número de passageiros. A cada dois anos, sairia uma nave em direção a Marte.

Quando os lançamentos de passageiros começarem, Musk estima serem necessários 40 a 100 anos para alcançar uma civilização totalmente autossustentável.

A nave seria construída em grande parte de fibra de carbono e alimentada por metano, que podem ser sintetizado utilizando elementos disponíveis em Marte – um aspecto-chave do carácter de autossustentação da colónia.

A longo prazo, Elon Musk acredita que o custo de fazer uma viagem a Marte possa baixar para menos de 200 mil dólares, podendo mesmo chegar a 100 mil dólares.

No entanto, trata-se de um valor muito longe do custo atual, próximo de 10 mil milhões de dólares por pessoa – completamente fora do alcance da maioria das pessoas que poderiam estar dispostas a fazer uma jornada tão ousada.

Terraformação?

A SpaceX planeia reduzir o custo da viagem espacial através da criação de foguetes que possam ser reutilizados.

Hoje em dia, a maioria dos foguetes lança uma nave espacial e, em seguida, é destruído no regresso à Terra, mas Musk quer reutilizar os seus foguetes pelo menos mil vezes.

A meta da empresa para chegar a Marte também requer reabastecimento em órbita para reduzir o custo de lançamento.

No entanto, Musk não foi muito claro sobre como planeia chegar lá, nem  como pretende manter os viajantes vivos durante e após a viagem para Marte – ou sequer onde vão viver.

Dito isto, uma animação de Marte a tornar-se um mundo azul e verde exuberante, muito parecido com a Terra, sugere que a terraformação – a alteração das características de um planeta para que este fique semelhante à Terra – faz parte dos seus planos.

elon-musk-marte

ZAP / SNHypeScience / Canal Tech

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Nova aplicação deteta insuficiência cardíaca através da voz

Foi desenvolvida uma nova aplicação para smartphones que prevê a insuficiência cardíaca através da voz. A tecnologia baseia-se num dos sintomas mais comuns: a falta de ar. O sintoma mais comum da insuficiência cardíaca é a …

Atividade física ajuda a prevenir a perda de visão

Uma nova investigação sugere que o exercício físico pode ser um componente-chave na prevenção da perda de visão. Os benefícios da atividade física são cada vez mais conhecidos, mas há alguns que devem ser tidos em …

Dubai vai construir uma cidade marciana no deserto

O Dubai tem em mãos um projeto ambicioso: a construção de uma cidade marciana. O projeto foi apresentado por uma empresa sediada em Copenhaga e Nova Iorque e é uma parte do plano dos Emirados …

Coreia do Norte voltou a rejeitar negociações com os Estados Unidos

A Coreia do Norte disse, esta terça-feira, que não tenciona retomar o diálogo com os Estados Unidos, quando o vice-secretário de Estado norte-americano, Stephen Biegun, chegou à Coreia do Sul para discutir diplomacia nuclear. Num comunicado …

Construiu uma cadeira de rodas com bicicletas elétricas para a namorada. Agora, vai produzi-la em massa

Para Zack Nelson, construir esta  peça inovadora de engenharia foi "super divertido e surpreendentemente simples". Há cerca de um ano, Zack Nelson, o youtuber de tecnologia do canal JerryRigEverything, uniu duas bicicletas elétricas para criar uma …

A reeleição de Trump nunca esteve tão ameaçada. A culpa é do pessimismo dos americanos

A gestão do Presidente norte-americano face à pandemia e a perspetiva de uma crise económica ameaçam a reeleição de Donald Trump. Um estudo de opinião da Fundação Peter G Peterson para o The Financial Times indica …

Ministros da Indonésia promovem colar de eucalipto como cura para a covid-19

O ministro da Agricultura da Indonésia foi muito criticado por especialistas por alegar que um colar feito de eucalipto pode ajudar a impedir a transmissão da covid-19. Segundo o The Guardian, o ministro da Agricultura da …

SATA pede auxílio ao Estado no valor de 163 milhões de euros

A SATA, companhia aérea detida a 100% pela Região Autónoma dos Açores, precisa do valor até ao final do ano para pagar dívidas. A SATA pediu um auxílio ao Estado de 163 milhões de euros para …

Cortiça portuguesa usada em foguetões da Space X

A Corticeira Amorim forneceu a Space X, de Elon Musk, para componentes usados nos foguetões espaciais da empresa, adiantou o presidente da empresa, António Rios Amorim. "É o nosso maior cliente [deste segmento] neste momento desde …

Pandemia põe em risco mais de 40% dos empregos no Algarve

Além do Algarve, outros destinos turísticos europeus, como ilhas do sul da Grécia, Canárias e Baleares, estão também em risco. As regiões onde o turismo tem mais peso enfrentam um risco maior de destruição de emprego, …